Deslocamentos de identidade na educação superior: uma investigação sobre a internacionalização do currículo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i3.15418

Palavras-chave:

Educação superior, Identidades, Ciências sem fronteiras

Resumo

Este artigo buscou analisar relatos de acadêmicos de diferentes cursos de graduação e pós-graduação de uma Universidade do Vale do Itajaí/SC que participaram do Programa de Intercâmbio Internacional do Governo Federal brasileiro, Ciências sem Fronteiras (CsF). Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo descritivo-interpretativista, caracterizada como um estudo de caso. Tem-se como instrumento de coleta de dados relatos escritos de oito acadêmicos de diferentes cursos da instituição que participaram do CsF entre 2012 e 2017. Os resultados apontaram que, se por um lado os discursos dos acadêmicos pautam-se em uma formação pessoal e profissional qualificada para o mercado de trabalho, assim como a ampliação do repertório linguístico e cultural; por outro lado, ainda se evidenciam desigualdades sociais, culturais, econômicas, geográficas pelo acesso ainda restrito pelas/das classes populares ao CsF. Considera-se que tal estudo empreende reflexões para uma melhor compreensão sobre a internacionalização no currículo na Educação Superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Helena de Cúrio Caetano, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Cassia Ferri, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Professora e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutora em Educação (PUCSP).

Referências

ARAÚJO, E. R.; SILVA, S. Temos de fazer um cavalo de troia: elementos para compreender a internacionalização da investigação e do ensino superior. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 20, n. 60, p. 77-98, mar. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782015000100077&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 maio 2021.

BALL, S. J.; MAINARDES, J. (org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução a teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1999.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BOURDIEU, P. Escritos de educação. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J.-C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Trad. Reynaldo Bairão. Rev. Pedro Benjamin Garcia e Ana Maria Baeta. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BRASIL. Ciência Sem Fronteiras. 2011. Disponível em: http://cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/objetivos. Acesso em: 03 jan. 2021.

DUTRA, C. F.; GAYER, S. M. A inclusão social dos imigrantes haitianos, senegaleses e ganeses no Brasil. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DEMANDAS SOCIAIS E POLÍTICAS PÚBLICAS NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA, 12., 2015, Santa Cruz do Sul. Anais [...]. Santa Cruz do Sul, RS: UNISC, 2015. Disponível em: https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/sidspp/article/viewFile/13067/2282. Acesso em: 22 jan. 2021.

DWYER, T. Reflexões sobre a internacionalização da sociologia brasileira. Revista Brasileira de Sociologia, v. 1, n. 1, jan./jul. 2013. Disponível em: http://www.sbsociologia.com.br/rbsociologia/index.php/rbs/article/view/22/5. Acesso em: 03 jan. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 62. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019[1996].

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 69. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2019[1968].

GARCÍA CANGLINI, N. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa Pezza Cintrão, Ana Regina Lessa e Gênese Andrade. 4. ed. 8. reimp. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2019.

GOMES, M. S.; CHIRELLI, M. Q.; TAKEDA, E. Elective Educational Unit: International Exchange Experience in Undergraduate Medical Training. Rev. bras. educ. med., Brasília, v. 43, n. 3, p. 196-203, jul. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022019000300196&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 maio 2021.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

KNIGHT, J. Internationalization remodeled: definition, approaches, and rationales. Journal of studies in international education, v. 8, n. 1, p. 5-31, 2004. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1028315303260832. Acesso em: 20 jun. 2021.

LARROSA, J. Experiência e alteridade em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19. n. 2, p. 04-27, jul./dez. 2011. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/2444. Acesso em: 20 jun. 2021.

MIGNOLO, W. At the end of the university as we know it. 2010. Disponível em: http://publicu-niversity.org.uk/2010/11/23/at-the-end-of--the-university-as-we-know-it/. Acesso em: 10 jan. 2021.

MIGNOLO, W. Geopolitics of sensing and knowing: On (de) coloniality, border thinking, and epistemic disobedience. Confero: Essays on Education, Philosophy and Politics, v. 1, n. 1, p. 129-150, 2013. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13688790.2011.613105. Acesso em: 20 jun. 2021.

PICCIN, G. F. O.; FINARDI, K. R. A internacionalização a partir de diferentes loci de enunciação: as concepções de sujeitos praticantes do currículo profissional. Trab. linguist. apl., Campinas, v. 58, n. 1, p. 313-340, abr. 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-18132019000100313&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 maio 2021.

RIBEIRO, G. L. Antropologia da globalização. Circulação de pessoas, mercadorias e informações. Série Antropologia. Brasília: DAN/UnB, 2011. v. 435.

RIO, M. M. O. A internacionalização no ifsul e a relevância da língua estrangeira para o desenvolvimento acadêmico e científico da instituição. BELT - Brazilian English Language Teaching Journal, v. 8, n. 2, p. 279-298, 2017. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/belt/article/view/28562/0. Acesso em: 09 nov. 2020.

RODRIGUES, N. Complexo de vira-latas. In: RODRIGUES, N. À sombra das chuteiras imortais. São Paulo: Cia. das Letras, 1993. p. 51-52.

THIESEN, J. S. Políticas curriculares, Educação Básica brasileira, internacionalização: aproximações e convergências discursivas. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 45, e190038, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022019000100526&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 maio 2021.

Downloads

Publicado

01/07/2021

Como Citar

CAETANO, M. H. de C.; FERRI, C. Deslocamentos de identidade na educação superior: uma investigação sobre a internacionalização do currículo. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 3, p. 1995–2009, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i3.15418. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15418. Acesso em: 25 out. 2021.