Perspectiva de mulheres sobre prevenção à gravidez na adolescência e ações de saúde na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.17207

Palavras-chave:

Gravidez na adolescência, Promoção da saúde, Educação em saúde, Serviços de saúde escolar

Resumo

A gravidez na adolescência tem impactos nos processos de vida, visto sua complexidade; assim, a investigação das atividades voltadas aos aspectos da prevenção, baseada na promoção da saúde e abordagem histórico-cultural, apresenta relevância à pesquisa em saúde. Deste modo, o presente artigo busca analisar os sentidos de mulheres sobre as ações desenvolvidas pela escola relacionadas à prevenção da gravidez. Trata-se de um estudo de caráter descritivo e transversal com abordagem qualitativa. Participaram do estudo três mulheres que passaram pelo momento da primeira gravidez durante a adolescência. Os dados foram construídos com entrevistas e análise qualitativa. Os resultados demonstraram que as atividades executadas no espaço de ensino caracterizaram-se por serem atividades pontuais, com abordagem técnica; infelizmente, a escola foi pouco explorada pelos serviços de saúde. Assim, este trabalho contribuiu para o conhecimento da prática da equipe de saúde e escolar no desenvolvimento de ações de prevenção à gravidez na adolescência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Karoline Barbosa da Silva, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Mestre pelo Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas.

Maraina Gomes Pires Fernandes Dias, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Doutoranda do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas.

Luciane Sá de Andrade, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Professora Livre-Docente no Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas.

Referências

ARRUDA, M. P.; MORAES, N. A. Sonhos de vida da gestante adolescente: reflexões sobre o papel educativo do enfermeiro. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 13, n. 2, p. 822-838, 2018. DOI: 10.21723/riaee.v13.n2.2018.9537. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9537. Acesso em: 19 jan. 2023.

BARROS, R. P.; HOLANDA, P. P. B.; SOUSA, A. D. S. Necessidades em Saúde dos adolescentes na perspectiva dos profissionais da Atenção Primária à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva [online], v. 26, n. 02, p. 425-434, 2021. DOI: 10.1590/1413-81232021262.40812020.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006. DOI: 10.1191/1478088706qp063oa.

CINTRA, F. A.; SAWAIA, B. B. A significação do glaucoma e a mediação dos significados de velhice na perspectiva Vygotskiana: subsídios para a educação à saúde. Rev Esc Enf USP, v. 34, n. 4, p. 339-4, 2000. DOI: 10.1590/S0080-62342000000400004.

DOURADO, J. V. L. et al. Tecnologias para a educação em saúde com adolescentes: revisão integrativa. Av Enferm, v. 39, n. 2, p. 235-254, 2021.

FEIO, A.; OLIVEIRA, C. C. Confluências e divergências conceituais em educação em saúde. Saúde e Sociedade [online], v. 24, n. 2, 2015. DOI: 10.1590/S0104-12902015000200024.

FIEDLER, M. W.; ARAÚJO, A.; SOUZA, M. C. C. A prevenção da gravidez na adolescência na visão de Adolescentes. Texto Contexto Enferm, v. 24, n. 1, p. 30-7, 2015. DOI: 10.1590/0104-07072015000130014.

LOPES, I. E.; NOGUEIRA, J. A. D.; ROCHA, D. G. Eixos de ação do Programa Saúde na Escola e Promoção da Saúde: revisão integrativa. Saúde em Debate, v. 42, n. 118, p. 773-789, 2018. DOI: 10.1590/0103-1104201811819.

MALTA, D. C. et al. Exposure to alcohol among adolescent students and associated factors. Rev. Saúde Pública, v. 48, n. 1, p. 52-62, 2014. DOI: 10.1590/S0034-8910.2014048004563.

MASSON, L. N. et al. D. A educação em saúde crítica como ferramenta para o empoderamento de adolescentes escolares frente suas vulnerabilidades em saúde. REME - Rev Min Enferm, v. 24, e-1294, 2020. DOI: 10.5935/1415-2762.20200023.

MINAYO, M. C. S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. saúde coletiva, v. 17, n. 3, p. 621-626, 2012. DOI: 10.1590/S1413-81232012000300007.

MONROY-GARZON, A. M.; SILVA, K. L. Silenciamento da sexualidade do adolescente no contexto rural. Interface, Botucatu, v. 26, e210572, 2022. DOI: 10.1590/interface.210572.

OBACH, A.; SADLER, M.; CABIESES, B. Intersectoral strategies between health and education for preventing adolescent pregnancy in Chile: Findings from a qualitative study. Health Expect, v. 22, n. 2, p.183-192, 2019. DOI: 10.1111/hex.12840.

QUEIROZ, M. V. O. et al. Pregnant teenagers’ group: contributions to prenatal care. Rev. Gaúcha Enferm., v. 37, e2016-0029, 2016. DOI: 10.1590/1983-1447.2016.esp.2016-0029.

ROJAS RAMÍREZ G. et al. Acceso a anticoncepción en adolescentes: percepciones de trabajadores de la salud en Huechuraba, Chile. Rev Panam Salud Publica, v. 41, e77, 2017

SAAVEDRA, L.; NOGUEIRA, C.; MAGALHAES, S. Discursos de jovens adolescentes portugueses sobre sexualidade e amor: implicações para a educação sexual. Educ. Soc., v. 31, n. 110, p. 135-156, 2010. DOI: 10.1590/S0101-73302010000100008.

SENA FILHA, V. L. M; CASTANHA, A. R. Profissionais de unidades de saúde e a gravidez na adolescência. Psicol. Soc, v. 26, p. 79-88, 2014. DOI: 10.1590/S0102-71822014000500009.

SFAIR, S. C.; BITTAR, M.; LOPES, R. E. Educação sexual para adolescentes e jovens: mapeando proposições oficiais. Saúde e Sociedade, v. 24, n. 2, p. 620-632, 2015. DOI: 10.1590/S0104-12902015000200018.

SILVA, J.P. et al. Health promotion in primary education: perceptions of bachelor’s degree with a teaching diploma in nursing students. Rev. Gaúcha Enferm, v. 39, e2017, 2018. DOI: 10.1590/1983-1447.2018.2017-0237.

SILVA, R. F.; ENGSTROM, E. M. Atenção integral à saúde do adolescente pela Atenção Primária à Saúde no território brasileiro: uma revisão integrativa. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [online], v. 24, suppl. 1, e190548, 2020. DOI: 10.1590/Interface.190548.

SOUZA, C.; SILVA, D. N. H. Adolescência em debate: contribuições teóricas à luz da perspectiva histórico-cultural. Psicologia em Estudo [online], v. 23, e2303, 2018. DOI: 10.4025/psicolestud.v23.e35751.

VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas. Tomo IV. Psicología infantil. Machado Grupo de Distribución, 1997.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. WMF Martins Fontes, 2001.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Ottawa Charter for Health Promotion. [s.l: s.n.], 1986.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Child and adolescent health and development. Geneva: WHO, 2001.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. La Adolescencia. Una época de oportunidades. [s.l: s.n.], 2002. v. 1.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health for the World’s Adolescents, A Second Chance in the Second Decade. Geneva: WHO, 2014.

ZAPPE, J. G.; ALVES, C. F.; DELL AGLIO, D. D. Comportamentos de risco na adolescência: revisão sistemática de estudos empíricos. Psicol. rev., Belo Horizonte, v. 24, n. 1, p. 79-100, 2018. DOI: 10.5752/P.1678-9563.2018v24n1p79-100.

Publicado

04/05/2023

Como Citar

SILVA, J. K. B. da; DIAS, M. G. P. F.; ANDRADE, L. S. de. Perspectiva de mulheres sobre prevenção à gravidez na adolescência e ações de saúde na escola. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023032, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.17207. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17207. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos