A interdisciplinaridade como essência na promoção da saúde das participantes do Projeto Idade Ativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v22.n2.maio/ago.2018.10851

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Promoção da Saúde, Terceira Idade

Resumo

A interdisciplinaridade na área da saúde coletiva vem sendo colocada como um importante requisito no sistema de saúde. Este trabalho objetiva relatar experiência no Curso de Educação Física no Projeto de Extensão Idade Ativa, em que procura salientar a magnitude de um trabalho interdisciplinar na promoção da saúde a um público de terceira idade. As atividades do projeto acontecem duas vezes por semana na Academia de Ginástica de Sobral (AGIS) sobre a colaboração de acadêmicos do Curso de Educação Física e Enfermagem e o então coordenador do projeto pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Para analisar a experiência colocada em prática, foi utilizada a observação participante, anotações em diário de campo, memorial fotográfico e análises dos relatórios mensais. A partir das informações coletadas, foram ponderados quatro eixos de discussão. Conclui-se então que o trabalho interdisciplinar possui fragilidades. E para seu melhor resultado, são necessários aprimoramentos no sistema de formação dos profissionais. Os projetos curriculares acabam tornando-se base dessa estratégia, possibilitando assim, uma melhor qualificação dos futuros profissionais e consequentemente resultados ao público trabalhado.

Biografia do Autor

Viviany Caetano Freire Aguiar, Centro Universitário INTA (UNINTA).

Orientadora Educacional na Coordenação do Curso de Educação Física pelo Centro Universitário INTA (UNINTA), Sobral, Ce.

Luiz Carlos da Silva Junior, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Prof. Dr. no Curso de Educação Física da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Sobral, Ce.

Stela Lopes Soares, Centro Universitário INTA (UNINTA)

Profa. Me. no Curso de Educação Física pelo Centro Universitário INTA (UNINTA), Sobral, Ce.

Referências

COSTA, R. P. Interdisciplinaridade e equipes de saúde: concepções. Mental, Barbacena, v. 5, n. 8, jun., 2007.

ERDMANN, A. L.; LANZONI, G. M. M. Características dos Grupos de Pesquisa da Enfermagem Brasileira Certificados pelo Cnpq de 2005 A 2007. Esc. Anna Nery Rev. Enferm., v. 12, n. 2, p. 316-322, jun., 2008.

FALCI, D. M.; BELISÁRIO, S. A. A inserção do profissional de educação física na atenção primária à saúde e os desafios em sua formação. Comunicação Saúde Educação, v. 17, n. 47, p. 885-99, out./dez., 2013.

FERNANDES, M. C. P.; BACKES, V. M. S. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 63, n. 4, p. 567-573, jul./ago., 2010.

FORNAZARI, S.A.; FERREIRA R. E. R. Religiosidade/Espiritualidade em Pacientes Oncológicos: qualidade de Vida e Saúde. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 26, n. 2, p. 265-272, abr./jun., 2010.

GATTÁS, M. L. B. Interdisciplinaridade em cursos de graduação da área na saúde da Universidade de Uberaba-Uniube. 2005. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.

GORSKI, G. M.; PEREIRA, D. L. Profissional de Educação Física: interdisciplinaridade no Programa Saúde da Família. Rev. Ciênc. Ext., v. 9, n. 3, p. 72-81, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE: Censo Demográfico 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro. 2012. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Caracteristicas_Gerais_Religiao_Deficiencia/caracteristicas_religiao_defi ciencia.pdf. Acesso em: 07 set. 2017.

LOCH, M. R.; FLORINDO, A. A. A Educação Física e as residências multiprofissionais em saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 17, n. 1, p. 81-2, 2012.

MARTINS, V. M. G. A prática regular da ginástica e da hidroginástica como coadjuvante no processo do envelhecimento saudável: relato de experiência do projeto de extensão idade ativa em Sobral – CE. Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA, 2013.

MENDES, J. M. R.; LEWGOY, A. M. B.; SILVEIRA E. C. Saúde e interdisciplinaridade: mundo vasto mundo. Revista Ciência & Saúde, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 24-32, jan./jun., 2008.

MORAES, M. C. O Pensamento Eco- sistêmico: educação, aprendizagem e cidadania no século XXI. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2004.

OLIVEIRA, E. R. A. et al. Interdisciplinaridade, trabalho em equipe e multiprofissionalismo: concepções dos acadêmicos de enfermagem. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, v. 13, n. 4, p. 28-34, 2011.

OMS/UNICEG. Cuidados de Saúde Primários: Relatório da Conferência Internacional sobre Cuidados primários da Saúde. URSS: Alma-Ata. 1978.

QUEIROZ, D. T. et al. Observação participante na pesquisa qualitativa: conceitos e aplicações na área da saúde. Rev Enferm., v. 15, n. 2, p. 276-283, 2007.

SILVA, R. M.; ARAÚJO M. A. L. Promoção da saúde no contexto interdisciplinar. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 20, n. 3, p. 141-142, 2007.

SPINATO, I. L.; MONTEIRO L. Z.; SANTOS, Z. M. S. A adesão da pessoa hipertensa ao exercício físico – uma proposta educativa em saúde. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 256-264, 2010.

VERAS, R. P. Prevenção de doenças em idosos: os equívocos dos atuais modelos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 10, p. 1834-1840, out., 2012.

Downloads

Publicado

02/05/2018

Como Citar

FREIRE AGUIAR, V. C.; DA SILVA JUNIOR, L. C.; SOARES, S. L. A interdisciplinaridade como essência na promoção da saúde das participantes do Projeto Idade Ativa. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], p. 469–481, 2018. DOI: 10.22633/rpge.v22.n2.maio/ago.2018.10851. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/10851. Acesso em: 8 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)