Relato de experiência: reflexões sobre o papel do profissional de educação física no âmbito das deficiências múltiplas

Francisco Claudeci Faustino Teixeira, Ana Paula Mendes Santiago, Jacqueline de Oliveira Lima, Stela Lopes Soares, Heraldo Simões Ferreira

Resumo


Este trabalho científico privilegiou relatar as práticas inclusivas da disciplina: Educação Física para Pessoas com Deficiência. As ações acolhedoras foram realizadas na Associação de Pais e Filhos Excepcionais – APAE. Sendo efetivadas essas vivências no campo de atuação pautado no interesse em compreender o papel do Profissional de Educação Física no âmbito das deficiências múltiplas. Este trabalho tem como objetivo descrever as atividades interativas com as pessoas portadoras de deficiências múltiplas na APAE por meio da disciplina Educação Física para as Pessoas com Deficiência. A metodologia utilizada pelo estudo foi à pesquisa-ação, tendo como propósito produzir informações e conhecimentos de uso aprofundado, inclusive ao nível pedagógico, que promove condições para ações e transformações de situações dentro da própria instituição de atendimento às pessoas excepcionais. Portanto discutiu-se o quanto qualquer profissional quer ser visto com um constituinte formativo deferenciado em seu campo de atuação, e com o Profissonal de Educação Física não é muito deferente, na maioria das vezes se tem a consciência da gama de beneficios que a profissão pode proporcionar nas práticas diferentes, mas que ainda encarra dessafios quanto a sua legitimidade concreta no progresso do indíviduo. Conclui-se que é imprescindível que o Profissional de Educação Física ocupe este espaço.


Palavras-chave


Profissional de educação física; Deficiências múltiplas; Ações inclusivas; Práticas interativas.

Texto completo:

PDF XML

Referências


AZOLINI. L. C. O Estágio Supervisionado na Formação do Professor de Educação Física: um Estudo Autorreferente de um Estudante da ESEF da UFRGS no Ano de 2012 (Trabalho de Conclusão de Curso), p. 1-51. Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/70296/000875908.pdf?sequence=1. Acesso em: 24 fev. 2016.

BRASIL. Educação Infantil: Saberes e Praticas da Inclusão. Brasília: MEC/SEF, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br. Acessado em: 24 mar. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília, 1998.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, DE 12 de Dezembro de 2012. Disponível em:http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acessado em: 02 de abr. 2016.

CUNHA, A. S.; CORTEZ, M.; LÔ, E. N.; PIONER, R.; FREITAS, B.; GOERL, D. B.. Relevância da Educação Física na Escola Inclusiva para o Individuo com Síndrome de Down. X Salão de Iniciação Científica – PUCRS, 2009. Disponível em:http://www.pucrs.br/edipucrs/XSalaoIC/Ciencias_da_Saude/Educacao_Fisica/71054-AMANDA_SOUZA_CUNHA.pdf. Acessado em: 04 de abr. 2016.

CHICON, F. J Inclusão e exclusão no contexto da educação física escolar. Revista movimento. v.14, n.01, p.13-38, Porto Alegre, 2008.

DAMAZIO, M. S.; BRUZI, A. T. Educação Física inclusiva e o papel da educação física no contexto escolar. Revista Ramal de Idéias, UFAC n. 1, 2008

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas, 4. ed. São Paulo, 2008.

MARQUES, K. G.; SILVA. R. V.; SILVA. R. F. Atividades Inclusivas na Educação Física Escolar. EFDesportes.com, Revista Digital, Buenos Aires, ano 13, n. 119, abril de 2008. Disponível em:http://www.efdeportes.com/efd119/atividades-inclusivas-na-educacao-fisica-escolar.htm. Acesso em: 06 abr. 2016.

MONTEIRO, J. A.; SILVA. M. S. A importância da atividade física para os deficientes físicos. EFDesportes.com. Revista Digital, Buenos Aires, ano, 15 – N° 148, setembro de 2010 .

NETO, A. O. BUCIOLI, S. A. A inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais nas aulas de Educação Física escolar: um estudo de revisão bibliográfica. EFDesportes.com, Revista Digital, Buenos Aires, ano, 20 – N° 207, agosto de2015. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd207/a-inclusao-nas-aulas-de-educacao-fisica.htm. Acessado em: 06 abr. 2016.

PERUZZO, C. M. K. Da observação participante à pesquisa-ação em comunicação: pressupostos epistemológicos e metodológicos. Anais... XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – BH/MG – 2 a 6 Set 2003. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2003/www/pdf/2003_COLOQUIO_peruzzo.pdf. Acesso em: 06 abr. 2016.

PRADO, J. S.; VINHAS, T. S. A Ginástica na escola como forma de inclusão de pessoas com deficiência física. (Trabalho de Conclusão de Curso), p. 1-29. Biblioteca Univap, Universidade do Vale do Paraíba, Faculdade de Educação e Artes, Jacareí-SP. Disponível em: http://biblioteca.univap.br/dados/000004/000004c7.pdf. Acess em: 06 abr. 2016.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v. 31, n. 3, 2005.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v22.n.1.2018.10204



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.