Políticas públicas em educação: a escola de educação infantil da UFRJ frente à resolução nº 1 do CNE/MEC

José Jairo Vieira, Isabela Pereira Lopes, Andréa Lopes da Costa Vieira

Resumo


Este artigo procurou compreender os impactos das atuais políticas públicas direcionadas às unidades de educação infantil federais, principalmente no momento atual, quando legislações e políticas públicas estão inquietando esses espaços e atribuindo-lhes novos significados e demandas. Neste estudo, foi utilizada a Escola de Educação Infantil da UFRJ diante de Resolução do Conselho Nacional de Educação, que entre outros pontos democratiza o acesso às unidades de educação infantil universitárias, espaços que em sua maioria, durante décadas, foram entendidos como benefício de alguns poucos servidores e estudantes. Os desafios que a Escola de Educação Infantil da UFRJ tem enfrentando para constituir sua nova identidade, no início da implantação de uma política pública, são problematizados. Dialogo com alguns autores que procurar explicar o histórico da educação infantil tão relacionado ao assistencialismo (Costa, Nunes, Ghon) e que pensa especificamente isso aplicado às creches universitárias (Raupp). Observando o histórico de cada creche universitária, é possível perceber que cada uma buscou estratégias para a sua legitimação e para se destacar no campo acadêmico. Se ainda hoje é possível notar que muitas dessas creches ainda mantêm vínculos iniciais, firmados há décadas, fica fácil entender o desconforto gerado pela Resolução e os desafios que serão enfrentados por esses espaços.


Palavras-chave


Politica Públicas. Universidade. Creche universitária.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Constituição da República federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

______. Consolidação das Leis do Trabalho. Rio de Janeiro, 1943.

______. Decreto Nº 93.408, de 10 de Outubro de 1986.

______. Decreto Nº 977, de 10 de Setembro de 1993.

______. LDB. Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 1, de 10 de Março de 2011. Brasília, DF.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1989.

EDITAL DE ADMISSÃO 2012 – ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL (EEI-UFRJ). Edital de 07 de Novembro de 2011. Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 27 mai 2012

GOHN, M. G. Educação Infantil: aspectos da legislação. Campinas: Departamento de Criança ao Projeto Jorge Haje, 1990 (mimeo).

KISHIMOTO, T. M. A pré-escola em São Paulo (1877-1940). São mPaulo: Loyola, 1988.

NUNES, D. G. Da roda à creche – proteção e reconhecimento social da infância de 0 a 6 anos. UFRJ, Tese de Doutorado em Educação, Rio de Janeiro, 2000.

RAUPP, M. D. Creches nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. In: Educação & Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 86, p. 197-217, abril, 2004.

RAUPP, M. D. A educação infantil nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – UFSC, Santa Catarina.

VIEIRA, Lívia M. F. Creches no Brasil: do mal necessário a lugar de compensar carências: rumo à construção de um projeto educacional. Belo Horizonte: Faculdade de Educação da UFMG, 1986. Dissertação (mestrado).




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v20.n2.9477



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.