A origem do plano nacional de educação e como ele abordou as questões de gênero

José Jairo Vieira, Carla Chagas Ramalho, Andréa Lopes da Costa Vieira

Resumo


Este trabalho traz a construção histórica do Plano Nacional de Educação, mostra como a realidade político social influenciou e influência a sua formatação ou até, em alguns momentos, impossibilitou-a. Após essa construção histórica, iremos analisar como o tema gênero transcorre, ou não, de forma direta no decorrer dos textos dos respectivos Planos Nacionais de Educação. Esse artigo traz como objetivo o questionamento de até onde a abordagem gênero, é feita no Plano Nacional de Educação que norteia o sistema educacional do país. Por fim faremos algumas conclusões de como um país, como o Brasil, que se encontra na sétima posição relacionada a violência contra mulheres (no ranking mundial), deveria se portar em seus documentos educacionais para incentivar as problematizações sobre identidade de gênero nas escolas e deixar de tornar um assunto tabu, para procurar, efetivamente, reduzir o número de crimes direcionados a mulheres como, também, todas as violências relacionadas a gênero.


Palavras-chave


Políticas públicas de educação. Plano nacional de educação. Gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


BONAMIGO ET AL, História da educação básica brasileria: uma avaliação do plano nacional de educação 2001-2010. IX ANPED-Sul. Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. 2012

BRASIL. Plano Nacional de Educação, 2000. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2014.

BRASIL. Lei n. º 9.394. de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2014.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Plano Nacional de educação: proposta da sociedade brasileira. 1997.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Por um novo Plano Nacional de Educação. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, vol. 41, n. 144, p. 790-811, set./dez. 2011

LEHER, Roberto. 25 anos de Educação Publica no Brasil: notas para um balanço do período. In: GUIMARÃES, Catia.; BRASIL, Isabel.; MOROSINI, Márcia. Trabalho, Educação e Saúde: 25 anos de formação Politécnica no SUS. Rio de Janeiro: EPSJV(Fiocruz), 2010

LOURO, Guacira. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

LOURO, Guacira. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 2011.

SAFFIOTI, Heleieth I. B. Violência de gênero: poder e impotência. Rio de Janeiro: Revinter, 1995.

SAVIANI, Demerval. (2008). O legado educacional do regime militar. Cad. Cedes, Campinas, vol. 28, n. 76, p. 291-312, set./dez.

SHIROMA, E.; MORAES, M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. Rio de Janeiro. Lamparina, 2007.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da Violência 2012. Atualização: homicídio de mulheres no Brasil. Rio de Janeiro. Cebela/Flacso. 2012




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9746



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.