Alfabetização: por que a criança não aprende a ler e escrever?

Onaide Schwartz Mendonça, Katia Maria Roberto de Oliveira Kodama

Resumo


Objetivando investigar se o PNAIC/Alfabetização possibilitará mudanças no cenário da alfabetização brasileira, à luz da Linguística, pretende-se apresentar parte de pesquisa que analisou as unidades destinadas ao primeiro Ciclo da Educação Básica. Os resultados apontam que, embora o referencial teórico seja representativo e reconheça que o ensino sistemático de conteúdos específicos de língua é indispensável para que a criança aprenda, não se propõe nenhuma metodologia e as estratégias recomendadas abordam apenas letramento. A fim de mostrar que quando se ensina, a criança aprende, esse texto apresenta resultados de Projeto de Extensão desenvolvido em escola de Ensino Fundamental Municipal (Ciclo I) de Presidente Prudente, SP. Trata-se de Instituição com histórico de fracasso escolar, onde apenas 55% dos alunos concluíam o 5º. ano no nível alfabético. Após ensino efetivo de valores e conteúdos linguísticos com metodologia adequada, a escola teve sua realidade transformada não só em nível de aprendizagem, mas em cordialidade e a alegria. As avaliações periódicas da alfabetização mostraram a evolução das crianças, pois os 1ºs e 2ºs anos iniciaram 2015 com apenas 9,3% das crianças no nível alfabético e concluíram com 79% alfabetizadas. As salas de 3º, 4º e 5º anos concluíram 2015 com 93,7% das crianças plenamente alfabetizadas. 


Palavras-chave


Alfabetização. Ensino sistemático. Aprendizagem significativa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v11.n.esp4.9202



Direitos autorais 2016 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.