A formação continuada em atendimento educacional especializado: uma experiência no ambiente virtual de aprendizagem eureka

Autores

  • Paulo Vinicius Tosin da Silva Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Gislaine Coimbra Budel Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)
  • Paulo Ricardo Ross Universidade Federal do Paraná (UFPR)

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n2.2018.9288

Palavras-chave:

Formação continuada, Atendimento educacional especializado, Educação a distância.

Resumo

Símbolo da contemporaneidade, a Educação a Distância desponta como tendência no cenário educacional do século XXI, haja vista o grande número de pessoas conectadas no mundo inteiro, reflexo do processo de globalização e volatilidade da informação. Em contrapartida, exige maior comprometimento do aluno que se lança nesta proposta de aprendizagem. A educação em sua concepção ampla é um processo contínuo que visa o aperfeiçoamento do ser em suas faculdades mentais até níveis mais elevados, e a busca de saberes que respondam às demandas sociais. Sem distinção de méritos na educação, a formação continuada impõe-se como cerne da postura docente na atualidade, haja vista a sociedade em constante transformação, que é por sua vez acelerada pelas tecnologias da informação. Sendo assim, o presente artigo retrata a experiência de um curso sobre Atendimento Educacional Especializado em Salas de Recursos Multifuncionais ofertado na Plataforma Eureka da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, relatando as expectativas dos cursistas em relação ao Atendimento Educacional Especializado em Salas de Recursos Multifuncionais, as dificuldades na promoção da inclusão de alunos com necessidades especiais, além do próprio desenho didático do curso no que se refere à sua aplicabilidade. Os resultados apontam para necessidade de formação continuada em educação inclusiva com ênfase para o Atendimento Educacional Especializado, que seja de caráter prático, isto é, seu embasamento esteja concatenado com a realidade do aluno com necessidades especiais.

Biografia do Autor

Paulo Vinicius Tosin da Silva, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Especialista em Educação Especial com Ênfase em Inclusão pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Realiza pesquisas nas áreas de Educação Inclusiva, Acessibilidade e Ensino de Geografia no âmbito da Inclusão de alunos com deficiência. Professor de Geografia na Secretaria de Estado da Educação do Paraná – SEED/PR.

Gislaine Coimbra Budel, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Graduada em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Professora de cursos de pós-graduação e graduação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e Faculdade Doutor Leocádio José Correia. Atualmente é Diretora do Departamento de Inclusão e Atendimento Educacional Especializado, da Secretaria Municipal da Educação de Curitiba.

Paulo Ricardo Ross, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professor Titular do Departamento de Planejamento da Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Doutor em Educação Especial pela Universidade de São Paulo (USP).

Referências

ABED, Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EaD.br: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2013. Curitiba: Ibpex, 2014.

BAPTISTA, C. R. Ação pedagógica e educação especial: a sala de recursos como prioridade na oferta de serviços especializados. Revista Brasileira de Educação Especial. Marília, v. 17, n. 1, edição especial, maio/ago., 2011.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. MEC. SEESP. Nota Técnica - SEESP/GAB/Nº 11/2010. Sobre Orientações para a Institucionalização na Escola, da Oferta do Atendimento Educacional Especializado - AEE em Salas de Recursos Multifuncionais. Brasília, 2010.

CARVALHO, R. E. Educação Inclusiva: do que estamos falando?. Revista Educação Especial. Santa Maria, nº 26, edição 2005.

FERREIRA, W. B. Inclusão x Exclusão no Brasil: reflexões sobre a formação docente dez anos após Salamanca. In: RODRIGUES, David (org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006. P. 211-238

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

JESUS, D. M. Formação de Professores para inclusão escolar: instituindo um lugar de conhecimento. In: MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A.; HAYASHI, M. C. P. I. (Org.). Temas em Educação Especial: conhecimentos para fundamentar a prática. Brasília: CAPES – PROESP, 2008.

MALHEIROS, B. T. Metodologia da Pesquisa em Educação. 2ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

PALLOFF, R.; PRATT, K. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes on-line. Tradução de Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SKLIAR, C. A inclusão que é “nossa” e a diferença que é do “outro”. In: RODRIGUES, D. (org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

Downloads

Publicado

05/03/2018

Como Citar

SILVA, P. V. T. da; BUDEL, G. C.; ROSS, P. R. A formação continuada em atendimento educacional especializado: uma experiência no ambiente virtual de aprendizagem eureka. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 3, p. 855–871, 2018. DOI: 10.21723/riaee.v13.n2.2018.9288. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9288. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos