Políticas públicas para educação profissional: década de 1990 e a desvinculação do ensino médio e técnico

Laurinda Ines Souza de Moraes, Silvia Sell Duarte Pillotto, Jane Mery Richter Voigt

Resumo


O presente artigo objetiva analisar as políticas públicas para a educação profissional, em especial da década de 1990, com relação à desvinculação do ensino médio e técnico. O campo de pesquisa foi o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) – Campus Jaraguá do Sul. De abordagem qualitativa, a pesquisa contou com análise de entrevistas e análise documental, que deram suporte à interpretação de documentos institucionais, leis, decretos e portarias relacionados à educação profissional na década de 1990, principalmente o Decreto n.º 2.208/1997. Como referencial de análise dos dados contamos com a Análise de Conteúdo, referendada por Bardin (2011). Os resultados obtidos por meio das entrevistas a respeito da reforma da educação profissional, da implementação do Decreto 2.208/97 e da extinção dos cursos técnicos integrados ao ensino médio apontaram que essa política pública contribuiu de maneira significativa para a diminuição da oferta de vagas públicas e gratuitas do ensino médio na instituição. As determinações da reforma da educação profissional acarretaram a queda da qualidade do ensino em virtude da extinção da integração entre educação geral e educação profissional. As políticas públicas deveriam também responder aos desafios de atender a duas demandas: o acesso ao trabalho e a continuidade dos estudos.


Palavras-chave


Políticas públicas. Educação profissional. Ensino médio. Educação profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 2.ª reimp. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o §2.º do artigo 36 e os artigos 39 a 42 da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, 1997a. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2014.

BRASIL. Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Educação profissional técnica de nível médio integrada ao ensino médio. Documento base. Brasília, 2007.

BRASIL. Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Lei n.º 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1961. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2014.

BRASIL. Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Lei n.º 5.692, de 11 de agosto de 1971. Lei de Diretrizes e Bases. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1.º e 2.º graus. Brasília, 1971. Disponível em: . Acesso em: 1.º fev. 2014.

______. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2014.

BRASIL. Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Portaria n.º 646, de 14 de maio de 1997. Regulamenta a implantação do disposto nos artigos 39 a 42 da Lei Federal n.º 9.394/96 e no Decreto n.º 2.208/97 e dá outras providências. Brasília, 1997b. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2014.

CASTRO, C. de M.; MELLO E SOUZA, A. O secundário esquecido em um desvão do ensino? Textos para Discussão, Brasília, v. 1, n. 2, abr. 1997.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

FRIGOTTO, G. Fundamentos científicos e técnicos da relação trabalho e educação no Brasil de hoje. In: LIMA, J. C. F.; NEVES, L. M. W. (Orgs.). Fundamentos da educação escolar do Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

FRIGOTTO, G; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. Concepção e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: FRIGOTTO, G. et al. (Orgs.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

HÖFLING, E. de M. Estado e políticas (públicas) sociais. Cadernos Cedes, Campinas, ano XXI, n.º 55, 2001.

KUENZER, A. Z. Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

LIMA FILHO, D. L. A reforma da educação profissional no Brasil nos anos noventa. Tese (Doutorado em Educação)–Faculdade de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

LIMA FILHO, D. L. Condicionantes do financiamento internacional do ensino técnico: a história dos CEFETs e a origem do modelo alternativo de ensino superior não universitário. In: Congresso Brasileiro de História da Educação: A Educação Escolar em Perspectiva Histórica, 3., 2004. Anais.... Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2014.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em: . Acesso em: 7 jan. 2014.

MAINARDES, J. Reinterpretando os ciclos de aprendizagem. São Paulo: Cortez, 2007.

MAINARDES, J et al. Análise de políticas: fundamentos e principais debates teórico-metodológicos. In: BALL, S. J.; MAINARDES, J. (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

NASCIMENTO, W. B.; QUIRINO, R. A educação profissional e tecnológica após o processo de “ifetização”: da identidade institucional à autonomia administrativa. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2013.

ROMANELLI, O. de O. História da educação no Brasil. 25. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

SAVIANI, D. Da nova LDB ao Novo Plano Nacional de Educação: por uma outra política educacional. Campinas: Autores Associados, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9784



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.