Psicologia na educação inclusiva: sentidos produzidos no trabalho em educação especial

Denise Mesquita de Melo Almeida, Hanmi Cedeño Lima

Resumo


As condições de trabalho na educação especial podem promover alto nível de estresse nos profissionais dessa área. Os fatores estressores podem, contraditoriamente, tanto desestimular os atores educativos quanto promover o engajamento destes em suas atividades. Considerando a atitude social como fator influente na realidade da inclusão, esta pesquisa tem por objetivo investigar os sentidos produzidos pelos psicólogos acerca do trabalho na educação especial em Dourados, Mato Grosso do Sul. O estudo, de caráter qualitativo, foi realizado por meio da técnica história de vida. As análises das informações foram construídas por meio da perspectiva histórico-cultural. Os resultados apontam secundarização da escolha por esse campo profissional e fragilidade experimentada na formação inicial de psicólogos. De outro lado, revelam que a formação continuada, articulada à troca de experiências, favoreceu a compreensão da proposta da educação especial sob a perspectiva inclusiva, permitindo a ressignificação de culturas individuais e resultando em novas condições de implicação pessoal e engajamento na área.

Palavras-chave


Psicologia; Inclusão; Formação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Denise Mesquita de Melo; GÉLLER, Léa. Psicologia e educação: transdisciplinaridade na construção do atendimento educacional especializado de Caarapó-MS. Revista on-line de Política e Gestão Educacional, [S.l.], p. 856-871, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11917. Acesso em: 18 dez. 2018.

ALMEIDA, Denise Mesquita de Melo; NANTES, Janete de Melo. Psicologia e Letras Libras: um encontro na busca por uma educação inclusiva no ensino superior. Educação e Fronteiras, Dourados, v. 8, n. 22, p. 185-195, nov. 2018. ISSN 2237-258X. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/9053. Acesso em: 18 dez. 2018.

BRASIL. Declaração de Salamanca e Linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. Brasília: Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC/SEESP, 1996.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 18 dez. 2018.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório do 2.º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação – 2018. Brasília: Inep, 2018.

CANDEIAS, Adelinda Araújo; CALISTO, Inês; BORRALHO, Liberata. Estudo comparativo sobre burnout em professores de ensino regular e educação especial. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, v. 0, n. 3, p. 59-62, 2017.

FLORES-MENDOZA, Carmem E. Estudo exploratório sobre a atuação dos psicólogos escolares que trabalham com populações especiais em Mato Grosso do Sul. Estudos de Psicologia, v. 14, n. 1, 1997.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

GONZÁLEZ REY, Fernando. As categorias de sentido, sentido pessoal e sentido subjetivo: sua evolução e diferenciação na teoria histórico-cultural. Psicologia e Educação, São Paulo, n. 24, p. 155-179, jun. 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-69752007000100011&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 3 jun. 2019.

GREGORUTTI, Carolina Cangemi; OMOTE, Sadao. Relação entre inclusão escolar de crianças com paralisia cerebral e estresse dos cuidadores familiares. Revista Psicologia-Teoria e Prática, v. 17, n. 1, 2015.

MADUREIRA, Isabel Pizarro. Professores de educação especial – socialização e identidades profissionais. Investigar em Educação, v. 2, n. 2, 2014.

MANTOAN, Maria Tereza Eglér. Diferenciar para incluir: a educação especial na perspectiva da educação inclusiva, 2011. Disponível em: https://diversa.org.br/artigos/diferenciar-para-incluir-a-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva/. Acesso em: 18 dez. 2018.

MATTOS, Laura Kemp de; NUERNBERG, Adriano Henrique. A intervenção do psicólogo em contextos de educação especial na grande Florianópolis. Rev. Bras. Educ. Espec., v. 16, n. 2, p. 197-214, 2010.

MAZZOTTA, M. J. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 2003.

MEC.Plano Nacional de Educação/PNE 2014-2024. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em: 14 dez. 2018.

MENDES, E. G. Breve histórico da educação especial no Brasil. Revista Educación y Pedagogía, Medellín, Universidad de Antioquia, Facultad de Educación, v. 22, n. 57, p. 93-109, mayo/ago. 2010.

NAUJORKS, Maria Inês et al. Stress ou burnout, a realidade frente a inclusão. Revista Educação Especial, Santa Maria, p. 67-74, abr. 2000. ISSN 1984-686X. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/5288/3219. Acesso em: 14 dez. 2018.

______. Stress e inclusão: indicadores de stress em professores frente à inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. Revista Educação Especial, p. 117-125, 2002.

OLIVEIRA, Maria Cláudia Santos Lopes; DIAS, Sueli de Souza. Inclusão como contexto de transição de desenvolvimento: um olhar da psicologia escolar. In: FRANCISCHINI, Rosângela; VIANA, Meire Nunes. Psicologia escolar: que fazer é esse?. Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2016.

OMOTE, Sadao et al. Mudança de atitudes sociais em relação à inclusão. Paideia, v. 15, n. 32, 2005.

SANTOS, Natalie Nobrega; FREITAS, Lénia; BRANCO, Susana; GONÇALVES, Liliana; FRANCO, Glória; BEJA, Maria João. O burnout nos psicólogos da educação especial. 2012. Disponível em: www.researchgate.net/publication/258983570_O_burnout_nos_psicologos_da_educacao_especial. Acesso em: 19 dez. 2018.

SCHRUBER, Julio; CORDEIRO, Aliciene Fusca Machado. Educação inclusiva: desafios do estágio curricular supervisionado em psicologia escolar/educacional. Psicologia Ensino & Formação, v. 1, n. 1, p. 21-30, 2010.

SOUSA BRAZ-AQUINO, Fabíola de; LUCENA FERREIRA, Ingrid Rayssa; ALMEIDA CAVALCANTE, Lorena de. Concepções e práticas de psicólogos escolares e docentes acerca da inclusão escolar. Psicologia Ciência e Profissão, v. 36, n. 2, 2016.

SPINAZOLA, Cariza de Cássia et al. Correlação entre variáveis familiares: perspectiva de mães de crianças com deficiência física, síndrome de Down e autismo. Revista Educação Especial, Santa Maria, p. 697-712, ago. 2018. ISSN 1984-686X. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/29042. Acesso em: 14 dez. 2018.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 5, p. 5-24, 2000.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001. Texto original publicado em 1934.




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v21i2.13088

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.