A epistemologia da práxis como fenômeno formador do/a docente: um caminho possível?

Jerry Adriano Raimundo, Mauricio Cesar Fagundes

Resumo


Este artigo tem por objetivo problematizar as possibilidades e os limites da formação continuada desenvolvida por meio do exercício da epistemologia da práxis do/a professor/a, como resultante de seu trabalho docente. A epistelomologia da práxis desenvolvida neste artigo fundamenta-se no materialismo histórico dialético, como base para a construção de conhecimentos de uma formação crítica e emancipadora. Os sujeitos desta investigação foram professores/as de anos iniciais de uma escola da rede pública do município de Curitiba, considerando as possibilidades e os limites desse processo. A pesquisa foi um estudo de caso com abordagem qualitativa de natureza descritiva e no método dialético-materialista. Os principais referenciais teóricos utilizados foram: Bakhtin, Maria Isabel da Cunha, Paulo Freire, António Nóvoa, Augusto Nibaldo Silva Triviños, Adolfo Sanchez Vázquez e Álvaro Vieira Pinto. Os resultados apontam que é possível a formação por meio da práxis. Como limite, tem-se a formação de tendência pragmática e ativista.

Palavras-chave


Formação docente; Epistemologia da práxis; Existência.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Emantina Galvão G.Pereira. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. Tradução de Sandra Trabucco Valenzuela. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2012.

CUNHA, Maria Isabel. O professor universitário na transição de paradigmas. São Paulo: JM Editora, 1998.

CURITIBA. Projeto Político-Pedagógico. Curitiba: SME, 2017.

CURITIBA. Currículo do Ensino Fundamental 1º ao 9º ano. Curitiba, SME, 2016.

CURITIBA. Indicadores de Qualidade das Escolas Municipais de Curitiba. Curitiba: SME, 2016a.

CURITIBA. Diretrizes Curriculares para a Educação Municipal de Curitiba. Curitiba: SME, 2006

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 25 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. 5 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2001.

MARX, Karl.; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

NÓVOA, Antônio. Professores imagens do futuro presente. Educa: Lisboa, 2009.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. Tradução de Luiz Fernando Cardoso. 3. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

VIEIRA PINTO, Álvaro. Sete lições sobre a educação de adultos. São Paulo: Cortez, 1982.

VIEIRA PINTO, Álvaro. Ciência e existência: problemas filosóficos da pesquisa científica. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1985.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.10891



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587, ISSN: 2446-8606.

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.