A infância na narrativa infantil brasileira: de Mário a Raquel

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.11152

Palavras-chave:

Narrativa infantil, Personagem, História da literatura infantil brasileira, Ensino de História

Resumo

Analisar a personagem infantil em cinco obras – Saudade, de Tales de Andrade, Reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato, A ilha perdida, Maria José Duprè, A fada que tinha idéias, de Fernanda Lopes de Almeida, e A bolsa amarela, Lygia Bojunga Nunes, é o objetivo deste artigo. O estudo abrange o período de 1919 a 1976 e, além de relacionar a personagem ao contexto histórico de produção de cada uma das narrativas, demonstra como a infância é apresentada em cada história, a fim de refletir acerca do percurso da criança como personagem na literatura infantil brasileira. Por fim, problematiza que a literatura infantil além de ser texto artístico é fonte para o ensino da História no Ensino Fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Brocchetto Ramos, Universidade de Caxias do Sul

Doutora em Letras pela PUCRS.

Docente no Programa de Pós-Graduação em Letras e em Educação na Universidade de Caxias do Sul

Eliana Rela, Universidade de Caxias do Sul, Centro de Ciências Humanas e Comunicação

outora em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Graduada em Licenciatura Plena em História pela Universidade de Caxias do Sul. É coordenadora do Programa de Pós- Graduação Stricto Sensu-Mestrado Profissional em História e, docente e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Educação, ambos na Universidade de Caxias do Sul. Coordena projetos de pesquisa nas áreas de História da Educação; acervos; linguagens no ensino de História. Coordena o sub projeto Interdisciplinar Pibid-UCS. Ministra disciplinas de Historiografia e Ensino de História, Cultura Digital, Estágio Curricular, História da Fotografia. Está em constante interação com grupos de pesquisa da Universidade de Padova, Itália e, Scuola Universitaria Professionale della Svizzera Italiana (SUPSI). ? University of Applied Sciences and Arts of Southern Switzerland.

Referências

ALMEIDA, Fernanda Lopes. A fada que tinha idéias. 20 ed. São Paulo: Ática, 1993.

ANDRADE, Tales de. Saudade. 52 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, s/d.

DEL PRIORE, Mary. História da gente brasileira. Vol. 3 República – Memórias (1889 – 1950). Rio de Janeiro: LeYa, 20017.

DUPRÉ, Maria José de. A ilha perdida. 28 ed. São Paulo: Ática, 1992.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 8 ed. São Paulo: Edusp e FDE, 2000.

LOBATO, Monteiro. Reinações de Narizinho. 47 ed. São Paulo: Brasiliense, 1993.

NUNES, Lygia Bojunga. A bolsa amarela. 22 ed. Rio de Janeiro: Agir, 1993.

SANTOS, Elisângela da Silva. Monteiro Lobato e suas seis personagens em busca da nação. 2008. 144 f. Dissertação – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008.

Publicado

01/10/2018

Como Citar

RAMOS, F. B.; RELA, E. A infância na narrativa infantil brasileira: de Mário a Raquel. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 5, p. 1742–1758, 2018. DOI: 10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.11152. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11152. Acesso em: 23 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos