Política de educação em gênero e diversidade sexual

Histórico e presente da experiência brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17iesp.3.16691

Palavras-chave:

Educação, Gênero, Sexualidade

Resumo

Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de doutorado dedicada a analisar o ciclo de desenvolvimento da política educacional em gênero e diversidade sexual no Brasil. A partir das proposições de Stephen Ball, que acionam noções foucaultianas de poder e discurso para a análise de políticas educacionais, buscou-se, para além da métrica, compreender as dinâmicas político-discursivas que marcaram tanto a produção dessa política quanto a sistemática reação que se lançou sobre ela. Neste artigo, são apresentados seus antecedentes, suas principais ações, os agentes envolvidos na sua construção e o discurso pedagógico que produziram. São identificados também seus principais opositores, suas táticas de ação e estratégias discursivas, apontando como se articularam com os movimentos reacionários que marcaram o país nos últimos anos. Por fim, apontam-se indícios de que o debate sobre gênero e diversidade sexual nas escolas sobrevive mesmo em tempos de conservadorismo, censura e terrorismo ideológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Bortolini, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Professor Substituto do Núcleo de Políticas Públicas em Direitos Humanos. Doutorado em Educação (USP).

Cláudia Pereira Vianna, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo – SP – Brasil

Professora Sênior da Faculdade de Educação. Doutorado em Educação (USP).

Referências

BALL, S. J. Foucault, power, and education. New York: Routledge, 2012.

BARBABELA, P. Os dilemas da representação política LGBTI+: Notas sobre as eleições legislativas municipais de 2020 no Brasil. Revista Brasileira de Estudos da Homocultura, v. 4, n. 14, p. 427-451, 2021. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/rebeh/article/view/12275. Acesso em: 03 nov. 2021.

BIROLI, F. Gênero e desigualdades: Limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo Editorial, 2018.

BORTOLINI, A. Militarização das escolas e avanço reacionário: Uma perspectiva de gênero. Diversidade e Educação, v. 9, n. 2, p. 92-119, 2021. Disponível em: https://periodicos.furg.br/divedu/article/view/13508. Acesso em: 27 nov. 2022.

BRINGEL, B. Sentidos e tendências do levante brasileiro de 2013 In: BRINGEL, B.; BENZAQUEN, G.; ALC NTARA, L.; GOMES, S. As Jornadas de Junho em Perspectiva Global. Rio de Janeiro: IESC; UERJ, 2013.

CARRARA, S. et al. (org.). Gênero e diversidade na escola: Avaliação de processos, resultados, impactos e projeções. Rio de Janeiro: CEPESC, 2017.

CARRARA, S. et al. Gênero e diversidade na escola: Trajetórias e repercussões de uma política pública inovadora. Rio de Janeiro: CEPESC, 2011.

CARREIRA, D. Igualdade e diferenças nas políticas educacionais: A agenda das diversidades nos governos Lula e Dilma. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-20042016-101028/en.php. Acesso em: 19 jan. 2022.

CASE, M. A. Formações trans na guerra do Vaticano contra a “ideologia de gênero” Signs: Journal of Women in Culture and Society, v. 44, n. 3, p. 639-664, 2019. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/abs/10.1086/701498. Acesso em: 03 jan. 2022.

CORRÊA, S. A “política do gênero”: Um comentário genealógico. cadernos pagu, v. 53, e185301, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/vwdzHh6pHS6ZBVskqfLrqrg/?lang=pt&format=html. Acesso em: 13 mar. 2022.

DOS PASSOS, M. C. A.; BORTOLINI, A. Embates eleitorais no Brasil contemporâneo: O lugar do gênero e da sexualidade. NACLA Report on the Americas, v. 54, n. 1, p. 16-21, 2022.

FACCHINI, R.; CARMO, Í. N.; LIMA, S. P. Movimentos Feminista, Negro e LGBTI no Brasil: Sujeitos, teias e enquadramentos. Educação & Sociedade, Campinas, v. 41, e230408, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/dpGVh8qs3KhmR8pbSkY7Rvx/abstract/?lang=pt. Acesso em: 11 abr. 2022.

FASSIN, E. Anti-gender Campaigns, Populism, and Neoliberalism in Europe and Latin America. LASA FORUM, p. 67-71, 2021Disponível em: https://forum.lasaweb.org/files/vol51-issue2/Dossier1-12.pdf. Acesso em: 20 abr. 2022.

FERNANDES, F. B. M. A Agenda anti-homofobia na educação brasileira (2003-2010). 2011. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/95612. Acesso em: 21 fev. 2022.

IRINEU, B. A. A política pública LGBT no Brasil (2003-2014): Homofobia cordial e homonacionalismo nas tramas da participação social. 2016. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/352245824_A_POLITICA_PUBLICA_LGBT_NO_BRASIL_2003-2014_HOMOFOBIA_CORDIAL_E_HOMONACIONALISMO_NAS_TRAMAS_DA_PARTICIPACAO_SOCIAL. Acesso em: 10 jan. 2022.

KALIL, I. O. (org.). Quem são e no que acreditam os eleitores de Jair Bolsonaro. São Paulo: FESPSP, 2018.

LACLAU, E. A Razão Populista. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

LUGONES, M. Gender and universality in colonial methodology. Critical philosophy of Race, v. 8, n. 1-2, p. 25-47, jan. 2020. Disponível em: https://scholarlypublishingcollective.org/psup/cpr/article-abstract/8/1-2/25/190565/Gender-and-Universality-in-Colonial-Methodology. Acesso em: 15 abr. 2021.

MARANHÃO FILHO, E. M. A.; DE FRANCO, C. “Menino veste azul e menina, rosa” na Educação Domiciliar de Damares Alves: As ideologias de gênero e de gênesis da “ministra terrivelmente cristã” dos Direitos Humanos. Revista Brasileira de História das Religiões, v. 12, n. 35, p. 297-337, 2019. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RbhrAnpuh/article/view/48106. Acesso em: 10 set. 2021.

MATOS, M.; PARADIS, C. G. Desafios à despatriarcalização do Estado brasileiro. Cadernos Pagu, n. 43, p. 57-118, jul./dez. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/ZThn9C6WZM8tpMhN3BWM4Qp/abstract/?lang=pt. Acesso em: 08 fev. 2022.

MELLO, L. et al. Para além de um kit anti-homofobia: políticas públicas de educação para a população LGBT no Brasil. Bagoas-Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 6, n. 7, p. 99-122, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2238. Acesso em: 20 fev. 2022.

MIGUEL, L. F. Da “doutrinação marxista” à" ideologia de gênero"-Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e práxis, v. 7, n. 15, p. 590-621, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3509/350947688019.pdf. Acesso em: 20 dez. 2021.

NOBRE, M. Choque de democracia: Razões da revolta. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

PECHENY, M.; DE LA DEHESA, R. Sexualidades y políticas en América Latina: Un esbozo para la discusión. In: CORRÊA, S.; PARKER, R. Sexualidade e política na América Latina: Histórias, interseções e paradoxos. Rio de Janeiro: ABIA, 2011.

PINTO, C. R. J. A trajetória discursiva das manifestações de rua no Brasil (2013-2015). Lua Nova: Revista de Cultura e Política, v. 100, p. 119-153, jan./abr. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ln/a/yy7GFGFWK8tkCfLHM8TrFNM/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 maio 2022.

VIANNA, C.; BORTOLINI, A. Discurso antigênero e agendas feministas e LGBT nos planos estaduais de educação: Tensões e disputas. Educação e Pesquisa, v. 46, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/Tc37WjhH7ywmFCpJJ4NbBCH/abstract/?lang=pt. Acesso em: 07 dez. 2021.

Publicado

30/11/2022

Como Citar

BORTOLINI, A.; VIANNA, C. P. Política de educação em gênero e diversidade sexual: Histórico e presente da experiência brasileira. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. n. esp. 3, p. 2215–2234, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17iesp.3.16691. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16691. Acesso em: 28 jan. 2023.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.