Análise de um projeto pedagógico: fractal e teoria do caos para integração de conteúdos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15i1.12263

Palavras-chave:

Integração de disciplinas, Contextualização de conteúdos, Práticas interdisciplinares.

Resumo

A presente pesquisa buscou discutir os efeitos de um projeto pedagógico da área de Ciências da Natureza e Matemática, realizado em uma Escola de Educação Básica, em que foi utilizado o Estudo dos Fractais como eixo integrador das disciplinas. Como questionamento norteador da pesquisa tinha-se: Como se deu o desenvolvimento das práticas interdisciplinares no projeto e de que forma a mesma contribuiu para a contextualização do ensino, tornando-o significativo?  Para a realização dos objetivos foram analisadas fontes documentais sobre o projeto escolar, além de ser realizada uma entrevista com docentes do Ensino Médio. Como resultados da pesquisa, a partir das entrevistas realizadas pelos professores, emergiram três categorias para discussão. Após análise dos resultados, considera-se que, embora seja desafiador trabalhar a integração das disciplinas, faz-se necessário assumir essa postura na prática docente, visto que possibilitará ao educando o desenvolvimento de competências capazes de responder às crises que a contemporaneidade estabelece.

Biografia do Autor

Samara Regia de Andrade, Universidade de Pernambuco (UPE), Petrolina – PE

Mestranda do programa de pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares.

Marianne Louise Marinho Mende

Doutora em Ciência e Tecnologia dos Alimentos. Professora Permanente do Programa de Pós-graduação Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental para o Semiárido. Professora Adjunta do Colegiado de Nutrição.

Cristhiane Bazílio de Omena Messias

Doutora em Ciências. Professora Permanente do Programa de Pós-graduação Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental para o Semiárido. Professora Adjunta do Colegiado de Nutrição.

Referências

BARBOSA, R. M. Descobrindo a Geometria Fractal para a sala de aula. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Diretrizes Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

DEMO, P. A Nova L.D.B: ranços e avanços. 3. ed, Campinas, SP: Papirus, 1997.

FAZENDA, I. C. A (org.). Práticas interdisciplinares na escola. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. São Paulo: Papirus, 1994.

GATTI, F. G. Administração e Caos: uma estreita relação. Revista de Ciências Gerenciais, São Paulo, v. 11, n. 13, 2007. Disponível em: <http://goo.gl/NNqiC>. Acesso em 29 jun. 2012.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Ed. IMAGO, 1976.

MORIN, E. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Publicado

02/01/2020

Como Citar

ANDRADE, S. R. de; MENDE, M. L. M.; MESSIAS, C. B. de O. Análise de um projeto pedagógico: fractal e teoria do caos para integração de conteúdos. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 206–220, 2020. DOI: 10.21723/riaee.v15i1.12263. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12263. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos