Vantagens da utilização do método de aprendizagem baseada em problemas (mapb) em cursos de graduação na área da saúde

Autores

  • Francisco Sandro Menezes-Rodrigues Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN), São Paulo, SP, Brasil. Departamento de Farmacologia, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP. https://orcid.org/0000-0001-7913-0585
  • Paolo Ruggero Errante Departamento de Farmacologia, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP. https://orcid.org/0000-0002-6997-7587
  • Rildo Yamaguti Lima Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP https://orcid.org/0000-0002-2871-6372
  • Alípio de Oliveira do Carmo Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP https://orcid.org/0000-0001-9098-7117
  • Enny Fernandes Silva Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP
  • Flávia Gehrke Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - Hospital do Servidor Público (IAMSPE), São Paulo, SP
  • Diego Soares Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Colorado do Oeste, RO. https://orcid.org/0000-0001-5982-3798
  • Eduardo Hiroshi Tikazawa Departamento de Saúde Coletiva – Faculdade de Ciências Médicas – Universidade Estadual de Campinas (FCM-UNICAMP). https://orcid.org/0000-0001-5839-7299
  • Renato Ribeiro Nogueira Ferraz Programa de Mestrado Profissional em Administração – Gestão em Sistemas de Saúde (PMPA-GSS). Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA). Universidade Nove de Julho (UNINOVE) – São Paulo, SP https://orcid.org/0000-0002-8931-895X
  • Afonso Caricati-Neto Departamento de Farmacologia, Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP), São Paulo, SP https://orcid.org/0000-0001-8615-4315
  • Murched Omar Taha Departamento de Cirurgia, Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP), São Paulo, SP https://orcid.org/0000-0001-7323-1393

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i2.11660

Palavras-chave:

Aprendizagem ativa, Saúde, Ensino Superior, Método de aprendizagem baseada em problemas.

Resumo

Este trabalho objetivou discutir os ganhos obtidos por discentes do ensino superior na compreensão e assimilação de conceitos fundamentais em cursos da área da saúde a partir da utilização do método de aprendizagem baseado em problemas (MABP). Foi realizado um levantamento bibliográfico em livros obtidos na biblioteca da Universidade Anhanguera de São Paulo, teses, revistas e artigos científicos que se encontravam disponíveis nas bases científicas Scielo e Google Acadêmico, utilizando como descritor a frase “método de aprendizagem baseado em problemas”. A partir desta revisão bibliográfica foi possível concluir que discentes, quando submetidos ao MABP, desenvolvem autonomia e independência durante a construção do seu próprio conhecimento, características que favorecem os estudantes na busca do conhecimento, consolidação de conceitos éticos, fundamentais e específicos em diferentes cursos da área da saúde, além de promover a interação social e fortalecer o processo de humanização durante a formação dos estudantes e profissionais da saúde. 

Biografia do Autor

Francisco Sandro Menezes-Rodrigues, Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN), São Paulo, SP, Brasil. Departamento de Farmacologia, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP.

Graduado em Farmácia-Bioquímica pela Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN). Especialista em Farmacologia Clínica pela Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) e Especialista em Docência do Ensino Superior pela Universidade Anhanguera de São Paulo (UNIAN). Mestre, Doutor e Pós-Doutor em Farmacologia pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Professor Regular das Disciplinas de Fisiofarmacologia do Sistema Cardiovascular e Fisiofarmacologia Renal para Residentes dos Programas de Residência Multiprofissional de Cardiologia, Oncologia, Transplantes e Captação de Órgão Sólidos, Cuidados Intensivos e Especialidades Clínicas no Hospital São Paulo - Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo).

Paolo Ruggero Errante, Departamento de Farmacologia, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP.

Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP Campus Jaboticabal. Mestrado em Imunologia pela Universidade de São Paulo e doutorado em Imunologia pela Universidade de São Paulo. Pesquisador colaborador do Laboratório de Imunologia Humana do ICB-IV-USP. Atua na área de imunodeficiências primárias (imunodeficiência comum variável, displasia ectodérmica anidrótica com imunodeficiência, síndrome da Hiper-IgM, deficiência da adesão leucocitária) de 2006 a 2010, e imunodeficiências secundárias, e interface entre imunodeficiências primárias e autoimunidade.

Rildo Yamaguti Lima, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP

Mestre em Biociência Aplicada pela Universidade Bandeirante de São Paulo (2001), Especialização em Farmacologia e Toxicologia Aplicadas pela Universidade Bandeirante de São Paulo (1998) e possui graduação em Farmácia Bioquímica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (1990) . Atualmente é Professor Adjunto I da Universidade Paulista UNIP, São Paulo e Coordenador Auxiliar do Curso de Farmácia da UNIP, campus Chácara Santo Antônio.

Alípio de Oliveira do Carmo, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP

Graduado em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Paulista e mestre em Ciências Biológicas (Biologia Molecular) pela Universidade Federal de São Paulo. Professor do Curso de Farmácia e de Pós-Graduação em Farmácia Clínica, Farmácia Clínica Hospitalar e análises clínicas.

Enny Fernandes Silva, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP

Possui graduação em Ciências Biológicas modalidade Médica pela Universidade de Santo Amaro (1981), mestrado em Bioquímica na área de Biologia Celular e Molecular pela Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Bioquímica na área de Biologia Celular e Molecular pela Universidade de São Paulo (2003). Atualmente é professora da Universidade Paulista, professora do Instituto de Pesquisa e Educação em Saúde de São Paulo (IPESP) de Bioquímica basica e clínica, físico química, enzimologia, patologia, biotecnologia e Ciencias do Ambiente. Responsável pela disciplina de Bioquímica do CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ?ANÁLISES CLÍNICAS? da Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto - FAMERP.

Flávia Gehrke, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - Hospital do Servidor Público (IAMSPE), São Paulo, SP

Pós-Doutoranda do Programa de Pós Graduação do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (IAMSPE). Possui Pós-Doutorado pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein. Doutorado e Mestrado em Ciências pelo programa Biologia da Relação Patógeno-Hospedeiro da Universidade de São PaulO (USP). Orientadora Permanente de Pós-Graduação pelo Programa de Ciências Médicas do IAMSPE. Pesquisadora Associada no Erasmus Mundus Joint Master Degrees in Biomedical Laboratory Sciences. Professora Visitante na Fundação Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) e Pesquisadora Colaboradora no ICB-USP. Avaliadora ad-hoc no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP/ MEC.

Diego Soares Carvalho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Colorado do Oeste, RO.

Possui graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharel) pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, (2009) e Licenciatura em Pedagogia pela Faculdade Associada Brasil (2015). Especialização em Gestão Pública pela Universidade Aberta do Brasil (UAB)/ Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mestrado em Fisio-Farmacologia pela UNIFESP/EPM (2011-2013); Doutorado em Fisio-Farmacologia pela UNIFESP/EPM (2013-2017). Integrante do grupo de pesquisa de Tecnologia para o Manejo de Agroecossistema Tropical - TMAT - IFRO. 

Eduardo Hiroshi Tikazawa, Departamento de Saúde Coletiva – Faculdade de Ciências Médicas – Universidade Estadual de Campinas (FCM-UNICAMP).

Atualmente é Médico-Residente em Medicina Preventiva e Social da FCM/UNICAMP; Mestrando em Politicas e Gestão em Saúde, com Área de Enfoque em Epidemiologia pelo Departamento de Saúde Coletiva da FCM/UNICAMP; Conselheiro da Associação Brasileira das Ligas Acadêmicas de Cirurgia (ABLAC); Coordenador Médico-Residente Titular da Associação Brasileira de Educação Médica Regional São Paulo (2017-2018); Diretor da AMERESP (Associação de Médicos Residentes do Estado de São Paulo) e AMERUnicamp (Associação de Médicos Residentes da Universidade Estadual de Campinas).

Afonso Caricati-Neto, Departamento de Farmacologia, Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP), São Paulo, SP

Graduou-se em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharelado - modalidade médica) pelo Instituto Básico de Biologia Médica e Agrícola - UNESP-Botucatu (1983-1984). Obteve o título de mestre (1989) e doutor em ciências (1996) pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - Escola Paulista de Medicina (EPM). Realizou estágio de Pós-doutorado em Farmacologia Molecular na UNIFESP/EPM (1997-1999) e em Farmacologia Cardiovascular e Autonômica na Universidad Autónoma de Madrid (UAM)/Facultad de Medicina - Espanha (2001 e 2010-2011). É professor associado (permanente) do Departamento de Farmacologia - UNIFESP/EPM, chefe da Disciplina de Farmacologia - UNIFESP/EPM e professor-orientador do Programa de Pós-graduação em Farmacologia - UNIFESP/EPM e Investigador-associado do Instituto de Farmacologia Teófilo Hernando I+D del Medicamento - UAM - Espanha.

Murched Omar Taha, Departamento de Cirurgia, Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP), São Paulo, SP

Professor Associado Livre-Docente da Disciplina de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá (1976), graduação em Residência Médica em Cirurgia Digestiva pelo Hospital Prof Edmundo Vasconcelos (1980), Mestrado em Técnica Operatória e Cirurgia Experimenta (UNIFESP/EPM -1995), Doutorado em Ciências (UNIFESP/EPM-1996) e Livre ? Docente em Técnica Operatória e Cirurgia Experimental do Departamento de Cirurgia da Universidade Federal de São Paulo (2005). 

Referências

ALBANESE, M. Problem‐based learning: why curricula are likely to show little effect on knowledge and clinical skills. Medical education, v. 34, n. 9, p. 729-738, set. 2000. Disponível em: <http://dgi.unifesp.br/sites/comunicacao/pdf/entreteses/guia_biblio.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

BEERS, G. W. The effect of teaching method on objective test scores: Problem-based learning versus lecture. Journal of Nursing Education, v. 44, n. 7, p. 305, jul. 2005. Disponível em: <http://search.proquest.com/openview/37ae65869b254c9b127939795e5a303c/1?pq-origsite=gscholar&cbl=47628>. Acesso em: 05 jul 2017.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface comun saúde educ, v. 2, n. 2, p. 139-154, 1998. Disponível em: <https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&q=diferentes+termos+ou+diferentes+caminhos%3F&btnG=&lr=>. Acesso em: 22 maio 2017.

BOROCHOVICIUS, E.; TORTELLA, J. C. B. Aprendizagem Baseada em Problemas: um método de ensino-aprendizagem e suas práticas educativas. Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 22, n. 83, p. 263-294, abr./jun. 2014. Disponível em: <http://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio/article/view/287>. Acesso em: 05 mar 2017.

CEZAR, P. H. N. et al. Transição paradigmática na educação médica: um olhar construtivista dirigido à aprendizagem baseada em problemas. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 34, n. 2, p. 298-303, out. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbem/v34n2/a15v34n2>. Acesso em: 05 mar 2017.

CHESANI, F. H. et al. Limites e possibilidade do Problem Based Learning (PBL) na formação do fisioterapeuta. 2014. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/129467>. Acesso em: 30 jul 2017.

CYRINO, E. G.; TORALLES-PEREIRA, M. L. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad Saúde Pública, v. 20, n. 3, p. 780-8, 2004. Disponível em: <https://scholar.google.com.br/scholar?q=PBL+e+sa%C3%BAde&btnG=&hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5>. Acesso em 22 maio 2017.

DA SILVA, O. O. N. O método da aprendizagem baseada em problemas nos cursos de Educação Física: um relato de experiência. Revista Espaço Acadêmico, v. 15, n. 171, p. 38-43, ago. 2015. Disponível em: <http://ojs.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/27381/14966>. Acesso em: 05 mar 2017.

DA SILVA, R. M.; GURGEL, A. H.; MOURA, E. R. F. Ética no processo ensino-aprendizagem em enfermagem obstétrica. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 38, n. 1, p. 28-36, 2004. Disponível em: file:///C:/Users/Sandro/Downloads/Etica_no_processo_ensino-aprendizagem_em_enfermage.pdf. Acesso em: 30 jul 2017.

DE CARVALHO BORGES, M. et al. Aprendizado baseado em problemas. Medicina (Ribeirão Preto Online), v. 47, n. 3, p. 301-307, 2014. Disponível em: <http://revista.fmrp.usp.br/2014/vol47n3/8_Aprendizado-baseado-em-problemas.pdf>. Acesso em: 05 março 2017.

DE MORAIS, D. C. M. Avaliação da experiência de estudantes de farmácia no componente curricular de farmacologia com a utilização da metodologia de aprendizagem baseada em tarefas. FOCO: caderno de estudos e pesquisas, n. 5, p. 89-109, jul./dez. 2014. Disponível em: <http://www.revistafoco.inf.br/index.php/FocoFimi/article/view/34>. Acesso em: 05 mar 2017.

DORNELAS, R. et al. Metodologias Ativas: Uma experiência na Fonoaudiologia. Distúrbios da Comunicação. ISSN 2176-2724, v. 26, n. 4, 2014. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/view/19261/15970>. Acesso em 04 ago 2017.

DUFFRIN, M. W. Integrating Problem‐based Learning in an Introductory College Food Science Course. Journal of Food Science Education, v. 2, n. 1, p. 2-6, jan. 2003. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1541-4329.2003.tb00017.x/>. Acesso em: 05 mar 2017.

FARIAS, P. A. M.; MARTIN, A. L. A. R.; CRISTO, C. S. Aprendizagem ativa na educação em saúde: percurso histórico e aplicações. Rev. bras. educ. méd, v. 39, n. 1, p. 143-150, jan./mar. 2015. Disponível em: <http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=746043&indexSearch=ID> Acesso em: 05 mar 2017.

FELDER, R. M.; BRENT, R. How to improve teaching quality. Quality Management Journal, v. 6, p. 9-21, 1999. Disponível em: <http://207.67.83.164/edu/how-to-improve-teaching-quality.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

FERRAZ, R. R. N. Refinamento de Referencial Teórico: como encontrar artigos científicos de qualidade para a confecção de trabalhos acadêmicos. In: Redação Científica, Princípios de Estatística e Bases de Epidemiologia para simples mortais. Erechim: Deviant, p. 313, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2000. Coleção Leitura, 1992.

HARZING, A. W. Publish or Perish. Disponível em: <https://harzing.com/resources/publish-or-perish>. Acesso em: 25 ago. 2017.

HORTA, R. C. A Metodologia de aprendizagem baseada nos problemas: uma proposta de ensino da prática em educação social. In: Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia, Braga: Universidade do Minho. 2009. Disponível em: <http://www.educacion.udc.es/grupos/gipdae/documentos/congreso/Xcongreso/pdfs/t7/t7c230.pdf>. Acesso em: 30 de julho 2017.

IWAOKA, W. T. et al. Measuring gains in critical thinking in food science and human nutrition courses: The Cornell Critical Thinking Test, problem-based learning activities, and student journal entries. Journal of Food Science Education, v. 9, n. 3, p. 68-75, mar. 2010. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Wayne_Iwaoka/publication/249485621_Research_in_Food_Science_Education_Measuring_Gains_in_Critical_Thinking_in_Food_Science_and_Human_Nutrition_Courses_The_Cornell_Critical_Thinking_Test_Problem-Based_Learning_Activities_and_Student_Jou/links/557dbff908aeea18b777c181/Research-in-Food-Science-Education-Measuring-Gains-in-Critical-Thinking-in-Food-Science-and-Human-Nutrition-Courses-The-Cornell-Critical-Thinking-Test-Problem-Based-Learning-Activities-and-Student-J.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

KARAKAS, M. Graduating reflective science teachers through problem-based learning instruction. Bulgarian Journal of Science and Education Policy, v. 2, n. 1, p. 59-71, 2008. Disponível em: <http://oaji.net/articles/2014/585-1394446845.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

KODJAOGLANIAN, V. L. et al. Inovando métodos de ensino-aprendizagem na formação do psicólogo. Psicologia: ciência e profissão, v. 23, n. 1, p. 2-11, mar. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932003000100002&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em: 05 mar 2017.

KURI, NÍDIA P.; MANZATO, GUSTAVO G.; SILVA, ANTÔNIO NÉLSON R. Aprendizado baseado em problemas em uma plataforma de ensino a distância: uma aplicação do CoL na EESC-USP. Revista Minerva, v. 4, n. 1, p. 27-39, 2007. Disponível em: <http://www.fipai.org.br/Minerva%2004(01)%2004.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

LICEAGA, A. M.; BALLARD, T. S.; SKURA, B. J. Incorporating a Modified Problem‐Based Learning Exercise in a Traditional Lecture and Lab‐Based Dairy Products Course. Journal of Food Science Education, v. 10, n. 2, p. 19-22, mar. 2011. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1541-4329.2011.00117.x/full>. Acesso em: 05 mar 2017.

MARIN, M. J. S. et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Revista brasileira de educação médica, v. 34, n. 1, p. 13-20, jun. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbem/v34n1/a03v34n1>. Acesso em: 05 mar 2017.

MEZZARI, A. O uso do problem based learning (pbl) como reforço ao ensino presencial utilizando o ambiente de aprendizagem moodle. Revista brasileira de educação médica. Vol. 35, n. 1 (2011), p. 114-121, 2011. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/81186/000770204.pdf?sequence=1>. Acessado em 04 ago 2017.

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc saúde coletiva, v. 13, n. 2, p. 2133-44, 2008. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/csc/v13s2/v13s2a18>. Acesso em: 05 mar 2017.

PATEL, J. Using game format in small group classes for pharmacotherapeutics case studies. American journal of pharmaceutical education, v. 72, n. 1, p. 21, 2008. Disponível em: <http://www.ajpe.org/doi/pdf/10.5688/aj720121>. Acessado em 04 ago 2017.

REGO, S. Currículo paralelo em Medicina, experiência clínica e PBL: uma luz no fim do túnel?. Interface comun. saúde educ, v. 2, n. 3, p. 35-48, 1998. Disponível em: <https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&q=PBL+e+sa%C3%BAde&btnG=&lr=&oq=PBL+e+>. Acessado em 22 maio 2017.

ROCHA, F. Correntes pedagógicas contemporâneas. 2. ed. Aveiro: Estante, 1988.

RODRIGUES, M. L. V; DE CASTRO FIGUEIREDO, J. F. Aprendizado centrado em problemas. Medicina (Ribeirao Preto. Online), v. 29, n. 4, p. 396-402, 1996. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/774/786>. Acesso em 04 ago 2017.

SALIBA, N. A. et al. A utilização da metodologia PBL em Odontologia: descortinando novas possibilidades ao processo ensino-aprendizagem. Revista Odonto Ciência, v. 23, n. 4, 2008. Disponível em: <http://web.a.ebscohost.com/abstract?direct=true&profile=ehost&scope=site&authtype=crawler&jrnl=01029460&AN=36541417&h=gm9m235o%2f6y03YTyyVKYbCcWtHQlit2Jp8ylWuWXtt96Kl411vgYEIE5S5dmAcEtROrT9cy6d7izlf8JBKhfZw%3d%3d&crl=c&resultNs=AdminWebAuth&resultLocal=ErrCrlNotAuth&crlhashurl=login.aspx%3fdirect%3dtrue%26profile%3dehost%26scope%3dsite%26authtype%3dcrawler%26jrnl%3d01029460%26AN%3d36541417>. Acesso em: 05 mar 2017.

SALINITRI, F. D. et al. An objective structured clinical examination to assess problem-based learning. American journal of pharmaceutical education, v. 76, n. 3, p. 44, 2012. Disponível em: <http://www.ajpe.org/doi/pdf/10.5688/ajpe76344>. Acessado em 04 ago 2017.

SANTANA, C. A.; CUNHA, N. L.; SOARES, A. K. A. Avaliação discente sobre a metodologia de ensino baseado em problemas na disciplina de Farmacologia. Rev Bras Farm, v. 93, n. 3, p. 337-40, 2012. Disponível em: <http://www.rbfarma.org.br/files/rbf-2012-93-3-12.pdf>. Acesso em: 05 mar 2017.

SCATIGNO, A. C. Ensino de bioquímica no curso de nutrição em uma instituição de ensino superior da rede particular: diagnósticos e intervenções. 2011. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-12042011-112743/en.php>. Acesso em 04 ago 2017.

SCHLEMMER, E. Projetos de Aprendizagem Baseados em Problemas: uma metodologia interacionista/construtivista para formação de comunidades em Ambientes Virtuais de Aprendizagem. Revista Digital da CVA – RICESU, Curitiba, v.1, n.1 – p. 4-11, 2001. Disponível em: <http://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/33941656/aprendizagem_com_tecnologia_citacao_de_castells.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1488779923&Signature=yarlW2m39LPJS8pViVjf%2BNjE2ck%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DAprendizagem_com_tecnologia_citacao_de_c.pdf>. Acesso em: 05 março 2017.

STEPIEN, W.; GALLAGHER, S. Problem-based learning: As authentic as it gets. Educational leadership, v. 50, p. 25-25, abr. 1993. Disponível em: <http://www.wou.edu/~girodm/670/PBL_Art3.pdf>. Acesso em: 05 março 2017.

TANAKA, R. Y. et al. Objeto educacional digital: avaliação da ferramenta para prática de ensino em enfermagem. Acta paulista de enfermagem. São Paulo. v. 23, n. 5, p. 603-607, set./out. 2010. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/38478>. Acesso em: 05 março 2017.

VERÍSSIMO, N.; MARQUES, R. Pensamento pedagógico contemporâneo. Disponível em: <https://scholar.google.com.br/scholar?q=Correntes+pedag%C3%B3gicas+contempor%C3%A2neas.+2.+ed.+Aveiro%3A+Estante%2C+1988&btnG=&hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5>. Acesso em: 22 maio 2017.

VIGNOCHI, C. et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. Rev. HCPA & Fac. Med. Univ. Fed. Rio Gd. do Sul, v. 29, n. 1, p. 45-50, 2009. Disponível em: <https://scholar.google.com.br/scholar?q=PBL+e+sa%C3%BAde&btnG=&hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5>. Acesso em: 05 março 2017.

WOODS, D. R. Helping your students gain the most from PBL. Problem-based learning: Educational innovation across disciplines. Singapore: Temasek Centre for Problem-based Learning, 2000. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.459.9859&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 05 março 2017.

Publicado

01/01/2019

Como Citar

Menezes-Rodrigues, F. S., Errante, P. R., Lima, R. Y., do Carmo, A. de O., Silva, E. F., Gehrke, F., Carvalho, D. S., Tikazawa, E. H., Ferraz, R. R. N., Caricati-Neto, A., & Taha, M. O. (2019). Vantagens da utilização do método de aprendizagem baseada em problemas (mapb) em cursos de graduação na área da saúde. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 14(2), 340–353. https://doi.org/10.21723/riaee.v14i2.11660

Edição

Seção

Artigos