Formação continuada em educação ambiental para professores de educação infantil na visão da complexidade e da transdisciplinaridade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.15052

Palavras-chave:

Educação ambiental, Complexidade, Transdisciplinaridade, Formação continuada de professores, Educação infantil

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que se propôs a elaborar, desenvolver e analisar uma experiência formativa em Educação Ambiental na visão da complexidade e da transdisciplinaridade para professores de Educação Infantil, desenvolvida nos anos de 2017 e 2018 pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental e Complexidade. A metodologia, de abordagem qualitativa, contou com a participação de 11 professoras de Educação Infantil, por meio da oferta de um curso de formação continuada em Educação Ambiental organizado em 24 horas, entre encontros presenciais e atividades a distância. A pesquisa utilizou para análise os dados obtidos por meio da observação, entrevista e questionários, elaborados a partir do estudo teórico. Os resultados mostram o potencial da teoria da complexidade e da transdisciplinaridade como importante contributo no processo de formação continuada de professores para a superação da visão conservadora predominante na prática docente em Educação Ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Saheb, Pontifícia Universidade Católica

Professora Titular. Doutorado em Educação (UFPR).

Daniela Gureski Rodrigues, Pontifícia Universidade Católica

Doutoranda em Educação.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília, DF: MEC, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp002_12.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: A formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2012.

ESPINOSA, M. A. C. Abrir los saberes a la complejidad de la vida: Nuevas prácticas universitarias en la universidad. México: Centro de Estudios Universitarios Arkos, 2014.

ESPINOSA, M. A. C. La construcción de saberes docentes a partir de la metodología Transdisciplinar de Investigación-Acción-Formación: Fundamentos y propuestas. Revista Plurais –Virtual, Anápolis, v. 7, n. 2. p. 200-221, jul./dez. 2017. Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/revistapluraisvirtual/article/view/8097. Acesso em: 10 ago. 2022.

ESPINOSA, M. A. C. Transdisciplinariedad: de las ideas a la práctica. Experiencias con el proyecto transdisciplinario del CEUArkos. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 152-173, 2018. Disponível em: https://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/ambienteeducacao/article/view/546. Acesso em: 10 ago. 2022.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/DRq7QzKG6Mth8hrFjRm43vF/?lang=pt&format=html. Acesso em: 09 fev. 2020.

GALVANI, P.; PINEAU, G. Experiencias de vida e formação docente: Religando os saberes. In: MORAES, M.; ALMEIDA, M. Os sete saberes necessários à educação do presente. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

NICOLESCU, B. Carta da Transdisciplinaridade. In: NICOLESCU, B. O manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Triom, 1999.

LEFF, E. Saber ambiental, sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

MORAES, M. C. Transdisciplinaridade, criatividade e educação: Fundamentos ontológicos e epistemológicos. São Paulo: Papirus, 2015.

MORAES, M. C. Complexidade e currículo: por uma nova relação. POLIS, v. 9, n. 25, p. 289-311, 2010. Disponível em: https://journals.openedition.org/polis/573. Acesso em: 12 ago. 2021.

MORAES, M. C. A formação do educador a partir da complexidade e da transdisciplinaridade. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 7, n. 22, p. 13-38, set./dez. 2007.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2011.

NÓVOA, A. Profissão professor. Lisboa: Porto Editora. 1999.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

OLIVEIRA, T. L. F. F.; BEHRENS, M. A.; PRIGOL, E. L. Formação docente on-line à luz do paradigma da complexidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 4, p. 1888-1902, out./dez. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13065. Acesso em: 15 maio 2021.

PINEAU, G.; PATRICK, P. Trandisciplinarité et formation. Paris: L´Harmattn, 2005.

PINEAU, G. A formação no decurso de vida: Entre a hétero e a ecoformação. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (org.). O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.

PINEAU, G. Temporalidades na formação. Tradução: Lúcia Pereira de Souza. São Paulo: Triom, 2000.

Publicado

01/01/2023

Como Citar

SAHEB, D.; RODRIGUES, D. G. Formação continuada em educação ambiental para professores de educação infantil na visão da complexidade e da transdisciplinaridade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023008, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.15052. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15052. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos