A formação de professores em serviço: políticas de alinhamento aos organismos internacionais e à lógica neoliberal

Clarice Zientarski, Perla da Almeida Freire, Maria Aires de Lima

Resumo


Este estudo é parte integrante do projeto PIBIC/UFC/FUNCAP, intitulado: “A formação continuada dos professores no contexto de democratização da gestão escolar na rede municipal de Fortaleza, Ceará, Brasil”, que tem por objetivo identificar as ações e propostas que envolvem os processos de formação continuada de professores a partir dos diferentes espaços formativos. Trata-se de pesquisa com abordagem qualitativa, tendo como instrumentos a pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas com professores e outros componentes da comunidade escolar. Na análise dos dados, o aporte teórico de sustentação é o histórico dialético, para tentar chegar à compreensão da realidade investigada. Como resultados parciais, tendo como objetos onze escolas da rede municipal e seus segmentos, constata-se que as políticas de formação de professores e as ações em andamento sinalizam para o alinhamento das formações, que atendem às prerrogativas legais, organismos internacionais e ideário neoliberal.


Palavras-chave


Formação continuada de professores; Organismos internacionais; Neoliberalismo.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España))

Referências


AFONSO, A. J. Estado, mercado, comunidade e avaliação. Esboço para uma rearticulação crítica. Educação & Sociedade, Campinas: CEDES, v. 20, n. 69, p. 139-164, dez. 1999.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Imprensa Oficial, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 30 mar. 2016.

BRASIL. Referenciais para formação de professores polivalentes: proposta para organização curricular e institucional. Secretaria do Ensino Fundamental: 1998. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 13 jul. 2015.

BRASIL. Decreto nº 6755 de 2009. Institui a Política Nacional de formação de profissionais da Educação Básica. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-201h0/2009/decreto/d6755.htm.

BRASIL. Lei nº 13005 de 25 junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação- PNE e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 13 jul. 2015.

BRASIL. Observatório do PNE - Formação de professores. Disponível em: http://www.observatoriodopne.org.br/metas-pne/15-formacao-professores/indicadores.

BUENO, M. S. S. O Banco Mundial e modelos de gestão educativa para a América Latina. Cadernos de Pesquisa. vol. 34, n. 122 São Paulo Maio./Aug., 2004.

CASASSUS, J. Tarefas da educação. Tradução: Oscar Calavia Sáez. Campinas: Autores Associados, 1995.

FORTALEZA, CE. Plano de Cargos, Carreiras e Salários, lei nº 9249, de 10 de julho de 2007. Disponível em: http://www.sme.fortaleza.ce.gov.br/educacao/index.php/conteudos/category/81-legislacao-educacional. Acesso em: 30 mar. 2016.

FORTALEZA, CE. Sistema Municipal de Educação, lei n° 9317, de 14 de dezembro de 2007. Disponível em: http://www.sme.fortaleza.ce.gov.br/educacao/index.php/conteudos/category/81-legislacao-educacional. Acesso em: 30 mar. 2016.

FORTALEZA, CE. Plano Municipal de Educação, lei nº 9441, de 30 de dezembro de 2008. Disponível em: http://www.sme.fortaleza.ce.gov.br/educacao/index.php/conteudos/category/81-legislacao-educacional. Acesso em: 30 mar. 2016.

FORTALEZA, CE. Lei Complementar nº 0190, de 22 de dezembro de 2014. Disponível em: http://www.fortaleza.ce.gov.br/sites/default/files/arquivos/diariosoficiais/14/12/22122014_-_15430_0.pdf. Acesso em: 30 mar. 2016.

FORTALEZA, CE. Formação Docente. Disponível em: http://www.sme.fortaleza.ce.gov.br/educacao/index.php/conteudos/category/602-funcao-docente. Acesso em: 30 mar. 2016.

KOZIK, K. Dialética do Concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 3. ed., 1985.

KUENZER, A. Z. As políticas de formação: A constituição da identidade do professor sobrante. Educação & Sociedade, ano XX, n. 68, dez. 1999.

LEHER, R. Um Novo Senhor da educação? A política educacional do Banco Mundial para a periferia do capitalismo. Revista Outubro, 2014. Disponivel em: http://www.revistaoutubro.com.br/edicoes/03/out3_03.pdf. Acesso em: 30 mar. 2016.

LUKÁCS, G. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. Temas de Ciências Humanas. São Paulo, Livraria Editora das Ciências Humanas Ltda, 1978.

MOREIRA, S. V. Análise documental como método e como técnica. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org.). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

PIMENTA, S. G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: GHEDIN, E. (orgs.) Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2005.

ROMANELI, O. O. História da Educação no Brasil (1930/1973). Petrópolis: Editora Vozes, 1978.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

SEVERINO, A. J. A formação e a prática do professor em face da crise atual dos paradigmas educacionais. Ciência & Opinião, v. 1, n. 2/4, p. 15-31, 2004.

SHIROMA. Eneida. Política de Profissionalização: Aprimoramento ou desintelectualização do Professor. Intermeio: revista do Mestrado em Educação, Campo Grande, MS, v. 9, n. 17, p. 64-83, 2003.

UNESCO, 2008. Disponível em: http://www.UNESCO.org/new/pt/brasilia/about-this-office/networks/un-system-and-international-organisms/. Acesso em: 19 jan. 2015.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14i4.8545



Direitos autorais 2018 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.