A educação das pessoas com o transtorno do espectro autista: avanços e desafios

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24iesp2.14330

Palavras-chave:

Inclusão, Transtorno do espectro autista, Direitos humanos, Educação.

Resumo

Este trabalho aborda os avanços que depreenderam dos diplomas legais que asseguram os direitos das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Para esse fim, o objetivo deste trabalho é analisar as mudanças ocorridas nos últimos dez anos, que culminou com a aprovação da Lei 12.764/12 (Lei Berenice Piana). A metodologia é de natureza qualitativa, do tipo documental, pois se trata de uma revisão sistemática da literatura do campo da Educação e dos Direitos Humanos. Os aspectos centrais deste estudo voltaram-se para as garantias dos direitos das pessoas com TEA no âmbito da educação e saúde. Durante a realização desse estudo foi observado na literatura, que há abordagens distintas usadas para ajudar na inclusão dos indivíduos com (TEA), todavia com sansão da Lei 12.764/12, esses indivíduos obtiveram uma grande vitória, porém ainda há muito que se fazer.

Biografia do Autor

André Luiz Alvarenga de Souza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Alexandra Ayach Anache, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação. Pós-Doutorado em Educação (UNB).

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Bolsonaro sanciona lei que institui carteira nacional do autista. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2020-01/bolsonaro-sanciona-lei-que-institui-carteira-nacional-do-autista. Acesso em: 10 jun. 2020.

ANDRADE, J. M. Teoria e prática da educação especial. Manaus; UEA Edições, 2017.

ARAÚJO, J. A. M. R.; VERAS, A. B.; VARELLA, A. A. B. Breves considerações sobre a atenção à pessoa com transtorno do espectro autista na rede pública de saúde. Rev. Psicol. Saúde, Campo Grande, v. 11, n. 1, jan./abr. 2019.

ARAÚJO, L. A.; COSTA FILHO, W. M. O estatuto da pessoa com deficiência – EPCD (Lei 13.146, de 06.07.2015): algumas novidades. Revista dos Tribunais, v. 962, p. 65-80, 2015.

BASIL. Lei n. 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3o do art. 98 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília, DF, 28 dez. 2012. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2012/lei-12764-27-dezembro-2012-774838-publicacaooriginal-138466-pl.html. Acesso em: 12 jun. 2020.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 5, n. 11, p. 121-136, maio/ago. 2011.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Decreto n. 8.368, de 02 de dezembro de 2014. Regulamenta a Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012, que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Brasília, DF, 3 dez. 2014. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2014/decreto-8368-2-dezembro-2014-779648-publicacaooriginal-145511-pe.html.Acesso em: 12 dez. 2020.

BRASIL. Decreto n. 8.368, de 2 de dezembro de 2014. Regulamenta a Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012, que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Brasília, 3 dez. 2014. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2014/decreto-8368-2-dezembro-2014-779648-publicacaooriginal-145511-pe.html. Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília, 20 dez. 2000. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2000/lei-10098-19-dezembro-2000-377651-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 12 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Dispõe sobre a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Brasília, DF, 7 jul. 2015.Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 25 maio 2020.

BRASIL. Lei n. 13.861, de 18 de julho de 2019. Os censos demográficos realizados a partir de 2019 incluirão as especificidades inerentes ao transtorno do espectro autista, em consonância com o § 2º do art. 1º da Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Brasília, DF, 19 jul. 2019.Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/lei/L13861.htm. Acesso em: 8 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.977, de 8 de janeiro de 2020, Lei, denominada “Lei Romeo Mion”, altera a Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012 (Lei Berenice Piana), e a Lei nº 9.265, de 12 de fevereiro de 1996 (Lei da Gratuidade dos Atos de Cidadania), para criar a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea), de expedição gratuita. Brasília, DF, 9 jan. 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L13977.htm. Acesso em: 8 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. Brasília, DF, 25 out. 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7853.htm. Acesso em: 15 jun. 2020.

BRAVO, R. S. Técnicas de investigação social: Teoria e ejercicios. 7. ed. Madrid: Paraninfo, 1991.

CAMARGO, S. P. H.; BOSA, C. A. Competência social, inclusão escolar e autismo: um estudo de caso comparativo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 28, n. 3, p. 315-324, jul./set. 2012. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/revistaptp/article/view/18165. Acesso em: 30 maio 2020.

CANEDA, C. R. G.; CHAVES, T. M. L. A percepção do professor e do tutor frente à inclusão da criança com autismo no ensino regular. Aletheia, Canoas, n. 46, p. 142-158, abr. 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942015000100012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020.

COEPEDE. Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Folheto sobre Direitos Humanos, Direitos da Pessoa com Deficiência, Incidência da Deficiência, Terminologia. 2011.

CUESTA GOMES, J. L.; GRAU RUBIO, C.; FERNÁNDEZ HAWRYLAK, M. Calidad de vida: evaluación y trastornos del espectro del autismo. Revista Iberoamericana de educación, n. 63, p. 161-179, 2013. Disponível em: https://rieoei.org/historico/documentos/rie63a11.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA. 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. (orgs). Planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: ARTMED, 2006.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. 1. ed. Porto Alegre: ARTMED, 2006.

DIGIROLAMO, F. P. Sexualidade da pessoa com deficiência pós ratificação da Convenção da ONU. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE SAÚDE: DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, 1., 2010, Brasília. Anais [...]. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

DINIZ, D. Modelo social da deficiência: a crítica feminista. Brasília: Letras Livres, 2003.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUEDES, N. P. S.; TADA, I. N. C. A Produção Científica Brasileira sobre Autismo em Psicologia e Educação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 31, n. 3, p. 303-309, set. 2015. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722015000300303&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-37722015032188303309

IBDD. Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Inclusão social da pessoa com deficiência: medidas que fazem a diferença. Rio de Janeiro: IBDD, 2008.

JEANE A. M. R. A.; VARELLA A. B. Breves Considerações Sobre a Atenção à Pessoa com Transtorno do Espectro Autista na Rede Pública de Saúde. Revista Psicologia e Saúde, v. 11, n. 1, p. 89-98, jan. 2019. Disponível em: http://www.psicc.unb.br/images/livros/psicologia-clinica-e-cultura-contemporanea.pdf. Acesso em: 30 jun. 2020.

JUNIOR, M. C. M. L. História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil. Brasil: Secretária de Direitos Humanos, 2010.

MARQUES, D. F.; BOSA, C. A. Protocolo de Avaliação de Crianças com Autismo: Evidências de Validade de Critério. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 31, n. 1, p. 43-51, Mar. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722015000100043&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-37722015011085043051

MINAYO, M.C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco, 2010.

MORI, N. N. R. Psicologia e educação inclusiva: ensino, aprendizagem e desenvolvimento de alunos com transtornos. Acta Scientiarum Education, Maringá, v. 38, n. 1, p. 51-59, jan./mar. 2016.

ORTEGA, F. et al. A construção do diagnóstico do autismo em uma rede social virtual brasileira. Interface, Botucatu, v. 17, n. 44, p. 119-132, mar. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832013000100010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832013000100010

PESSOTTI, I. Deficiência mental: da superstição à ciência. São paulo: EDUSP, 1984.

RAMIRES, V. R. R. et al. Mudanças na psicoterapia psicodinâmica de crianças na visão de pais e mães. Avances en Psicología Latinoamericana, Universidad del Rosario, v. 37, n. 1, p. 29-46. 2019. Disponível em: https://revistas.urosario.edu.co/xml/799/79957990004/index.html. Acesso em: 30 jun. 2020.

RIOS, C.; CAMARGO JUNIOR, K. R. Especialismo, especificidade e identidade - como controvérsias no torno do autismo no SUS. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 3, p. 1111-1120, março de 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232019000301111&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.07862017

ROSSI, L. P. et al. Caminhos Virtuais e Autismo: acesso aos serviços de saúde na perspectiva da Análise de Redes Sociais. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 10, p. 3319-3326, out. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018001003319&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320182310.13982018

SANTOS, R. K.; VIEIRA, A. M. E. C. S. Transtorno do Espectro do Autismo (TEA): do reconhecimento à inclusão no âmbito educacional. Revista Includere, Mossoró, v. 3, n. 1, p. 219-232, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/includere/article/view/7413. Acesso em: 25 jan. 2020.

SCHMIDT, C. Temple Grandin e o autismo: uma análise do filme. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 18, n. 2, abr./jun. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382012000200002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 de jun. 2020

SCHNEIDER, J. A.; LIMBERGER, J.; ANDRETTA, I. Habilidades sociais e drogas: revisão sistemática da produção científica nacional e internacional. Avances en Psicología Latinoamericana, v. 34, n. 2, p. 339-350, 2016. Disponível em: https://revistas.urosario.edu.co/xml/799/79945606009/index.html. Acesso em: 30 de jun. 2020.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA DA LUZ, M. H; GOMES, C. A.; LIRA, A. Narrativas sobre a inclusão de uma criança autista: desafios à prática docente. Educación, Lima, v. 26, n. 50, p. 123-142, mar. 2017. Disponível em: http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1019-94032017000100007&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 30 jun. 2020. DOI: http://dx.doi.org/http://doi.org/1018800/educacion.201701.007

SILVA, A. J. da. Autismo, direito e cidadania. Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Comissão de Cidadania e Direitos Humanos; Rede Gaúcha Pró- Autismo. Alexandre José da Silva. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, 2017.

SILVA, C. M.; NASCIMENTO, H. T. B. Perturbações do Espectro do Autismo: uma revisão bibliográfica acerca dos benefícios da prática de Educação Física junto aos alunos que têm Necessidades Educativas Especiais. In: ANDRADE, J. M. Teoria e prática da Educação Especial. Manaus: UEA Edições, 2017.

SILVA, L. R. C; DAMACENO, A. D.; MARTINS, M. C. R.; SOBRAL, K. M.; FARIAS, I. M. S. Pesquisa Documental: Alternativa Investivativa na Formação Docente. In: IX CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 4.; III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia, 3., 2009, Curitiba. Anais [..]. Curitiba: PUC-PR, 2009. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2009/3124_1712.pdf. Acesso em: 29 jun. 2020.

SIMÕES, J. Sobre deslizamentos semânticos e as contribuições das teorias de gênero para uma nova abordagem do conceito de deficiência intelectual. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 28, v. 3, out. 2019. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/sausoc/2019.v28n3/185-197/#. Acesso em: 29 jun. 2020.

TELLES, J. L. Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos na Agenda da saúde das Pessoas com Deficiência. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE SAÚDE: DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, 1., 2010, Brasília. Anais [...]. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

TIBYRIÇA, R. F. Os direitos das pessoas com (TEA) após a Lei 12.7694/12 (Lei Berenice Piana): o que mudou? São Paulo: Defensoria Pública do Estado de São Paulo, 2015.

VIEIRA, C. S. Educação Física para portadores de necessidades especiais (PNEE). In: ENCONTRO DE ENSINO, 3., 2009, Recife. Anais [...]. Recife, PE: SENAC, 2009.

Publicado

14/11/2020

Como Citar

SOUZA, A. L. A. de; ANACHE, A. A. A educação das pessoas com o transtorno do espectro autista: avanços e desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], v. 24, n. esp2, p. 1035–1053, 2020. DOI: 10.22633/rpge.v24iesp2.14330. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/14330. Acesso em: 8 mar. 2021.