A inclusão do aluno com transtorno do espectro autista na sala de aula

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11991

Palavras-chave:

Transtorno do espectro autista, Educação inclusiva, Políticas públicas.

Resumo

A inclusão educacional escolar de crianças e jovens com Transtornos do Espectro Autista (TEA), vem se mostrando um desafio a todos os envolvidos no processo educativo, nos dias atuais e tem sido meta para as políticas públicas educacionais.  A partir desse ensaio teórico, o objetivo deste artigo,  é descrever o movimento necessário para a inclusão do aluno com transtorno do espectro autista (TEA) na sala de aula, por meio da caracterização do sujeito, a partir de uma breve análise da legislação, com vistas a contribuir para o debate sobre a educação inclusiva dentro do modelo educacional atual e a defesa da garantia da participação de todos nas experiências educacionais, partilhando os mesmos espaços, vivendo as mesmas experiências e relações sociais sem preconceito de qualquer ordem, motivado pela diferença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Aparecida de Souza Monteiro, Instituto Federal de São Paulo (IFSP)

Mestra em Processos de Ensino, Gestão e Inovação pela Universidade de Araraquara - UNIARA (2018). Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupunga (1989). Possui Especialização em Metodologia do Ensino pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupunga (1992). Trabalha como pedagoga do Instituto Federal de São Paulo campus São Carlos(IFSP/Câmpus Araraquara-SP). Participa dos núcleos: -Núcleo de Gêneros e Sexualidade do IFSP (NUGS); -Núcleo de Apoio ás Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (NAPNE). Desenvolve sua pesquisa acadêmica na área de Educação, Sexualidade e em História e Cultura Africana, Afro-brasileira e Indígena e/ou Relações Étnico-raciais. 

Paulo Rennes Marçal Ribeiro, Universidade Estadual Paulista

Possui graduação em Psicologia (1985) pelo Instituto de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCCAMP; graduação em Pedagogia (1983) e mestrado em Educação (1989) pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; especialização em Psiquiatria e Psicologia Clínica da Infância (1988) e doutorado em Saúde Mental (1995) pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; e pós-doutorado em Saúde Mental (1996-1997) pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. É Livre-Docente em Sexologia e Educação Sexual pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2007). Foi vice-diretor da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, em Araraquara, de 1º de fevereiro de 2005 a 31 de janeiro de 2009, onde atualmente é Professor Associado (MS-5) no Departamento de Psicologia da Educação. É especialista do Conselho Estadual de Educação - SP e atua nas áreas de Educação e Psicologia, com ênfase na pesquisa em Sexualidade Humana, principalmente com os seguintes temas: educação sexual, história da sexualidade e da educação sexual, adolescência, sexualidade e sociedade. É professor e orientador de mestrado e doutorado nos seguintes Programas de Pós-Graduação da UNESP, em Araraquara: Educação Sexual, do qual é o coordenador do Programa; e Educação Escolar, onde coordena a Linha de Pesquisa Sexualidade, cultura e educação sexual. Foi um dos fundadores e vice-coordenador do GT-23 Gênero, sexualidade e educação, da ANPED

Referências

BAKHTIN, M. Para uma filosofia do ato responsável. Tradução de Valdemir Miotello & Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João, 2010.

BARROCO, S. M. S. Pedagogia histórico-crítica, psicologia histórico-cultural e educação especial: em defesa da pessoa com e sem deficiência. In: MARSIGLIA, A. C. G.(org.) Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. p.169-196

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, 23 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Diário Oficial da União, 28 de dezembro de 2012.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 16 dez. 2018.

CORREIA, L. de M. Alunos com necessidades educativas especiais nas classes regulares. Portugal: Porto Editora, 1999. (Colecção Educação Especial, 1).

ELIAS, N. C. Transtorno do espectro do autismo e intervenções comportamentais. In: GOLÇALVES, A. G.; CIA, F.; CAMPOS, J. Ap. de P. P. (Org.). Letramento para o estudante com deficiência. 1 ed. São Carlos: EdUFSCar, 2018, v. 1, p. 9-14.

FERREIRA, M. M. Educação inclusiva: Inclusão de crianças com Síndrome de Down no ciclo I do ensino fundamental. Anais... II Encontro Científico e II Simpósio de Educação, Lins, 2009. Disponível em: http://www.unisalesiano.edu.br/encontro2009/trabalho/aceitos/cc31441044850.pdf. Acesso em: 13 dez 2018.

JANNUZZI, G. de M. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. Campinas: Autores Associados, 2004.

MARQUES, C. A. Para uma Filosofia da deficiência: aspectos da pessoa portadora de deficiência. Juiz de Fora: UFRJ, 1994.

MEIRIEU, P. O cotidiano da escola e da sala de aula o fazer e o compreender. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MELETTI, S. M. F.; RIBEIRO, K. Indicadores educacionais sobre a educação especial no Brasil. Caderno Cedes, Campinas, v. 34, n. 93, p. 175-189, maio/ago., 2014.

MENDES, E. G. Perspectivas para a construção da escola inclusiva no Brasil. In: PALHARES, M.; MARINS, S. (orgs.) Escola Inclusiva. São Carlos: EdUFSCar, p. 61-85, 2002.

OMOTE, S. Normatização, integração, inclusão. Revista Ponto de Vista. Florianópolis, v. 1, n. 1, jul./dez., 1999.

ONOFRE, J. A. Aprendendo com a educação inclusiva: experiências no núcleo “Aprendendo Down”. Extensão & Cidadania, Vitória da Conquista, v. 4, n. 7, p. 7-13, jan./jun., 2017.

SILVA, B. K. L. N. Inclusão Escolar de uma Criança com Síndorme de Down. In: IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. PUCRS, 26 a 29 de outubro de 2009. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/2465_1462.pdf. Acesso em: 30 abr. 2016.

SCHWARTZMAN, J. S. Síndrome de Down São Paulo: Memnon, 1999.

UNESCO. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: CORDE, 1994.

VOIVODIC, Maria Antonieta. Inclusão escolar de crianças com síndrome de down. Petrópolis: Vozes, 2004.

WERNECK, C. Ninguém mais vai ser bonzinho na sociedade inclusiva. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

Downloads

Publicado

01/12/2018

Como Citar

MONTEIRO, S. A. de S.; RIBEIRO, P. R. M. A inclusão do aluno com transtorno do espectro autista na sala de aula. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 22, n. 2, p. 905–919, 2018. DOI: 10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11991. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11991. Acesso em: 5 ago. 2021.

Edição

Seção

Artigos