Sintomas do Brasil contemporâneo: tensões discursivas e a educação para a diferença

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp3.14440

Palavras-chave:

Educação, História, Práticas discursivas, Processos de subjetivação, Verdades

Resumo

Pretende-se refletir acerca do momento vivenciado no Brasil, entendendo-o como sintoma da Contemporaneidade, pensando práticas e discursos sociais que tensionam-se e rearticulam-se a todo instante. A desconstrução de fatos históricos e a refutação de eventos científicos são alguns dos exemplos que perseguimos nesta reflexão, indagando-nos acerca dos modelos educativos e os modos de ver a História, que estabelecem relações diretas com os aspectos de exclusão social e com as formações subjetivas. Nesse sentido, a verdade parece perder sua posição privilegiada e ocupar, com certa fragilidade, um lugar baseado na crença na figura do sujeito moderno. Nos coube propor novos olhares aos campos do saber, convocando-nos a pensar a educação para diversidade como perspectiva indispensável ao enfrentamento da ascensão da barbárie social.

Biografia do Autor

Juliana S. Monteiro Vieira, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju –SE

Doutoranda em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS). Bolsista de Doutorado FAPITEC/SE. Tradução e publicação de artigo financiado pelo Programa de Apoio ao Pesquisador à Pós-graduação (PROAP) - Edital nº 06/2020/PPGED/PROAP/UFS.

Lucas de Oliveira Carvalho, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju – SE

Doutorando em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS).

Dinamara Garcia Feldens, Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju – SE

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS). Pós doutora (UCM-Madrid). Doutora em Educação (2004).

Referências

ADORNO, T. W. Educação e Emancipação. Tradução: Wolfegang Leo Maar. 4ª edição. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2006.

AGAMBEN, G. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução: Vinícius Nicastro. Chapecó/SC: Editora Argos, 2009.

ARENAS, S.; TRUJILLO, A. Significados discursivos sobre ciência e educação na ação política: os relatórios de desenvolvimento. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 319-331, jan./mar. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/viewFile/13076/9114. Acesso em: 04 ago. 2020.

BAPTISTA, M.; PALHANO, T.; DINIZ, E.; SILVA, G. da. Inovações tecnológicas, educação e necessidades do capital. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 289-304, jan./mar. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12710. Acesso em: 04 ago. 2020.

BLOCH, M. Apologia da história ou o ofício do historiador. Tradução: André Telles. Rio de Janeiro: Editora Zahar. 2002.

CORDEIRO, A; FELDENS, D. Vozes do Triunfo: narrativas de si de professoras da educação básica. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, v. 11, n. 01, Edição Especial, p. 379-392, dezembro, 2018. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/9666. Acesso em: 15 jul. 2020.

DELEUZE, G. Diferença e repetição. Tradução: Luiz B. L. Orlandi. Roberto Machado. 2. ed. São Paulo: Graal, 437 p., 2006.

DUQUE, E.; VAZQUEZ, JF. O novo paradigma da educação na promoção de uma sociedade mais inclusiva. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 1, p. 27-49, jan./mar. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12632. Acesso em: 04 ago. 2020.

FISHER, R. Foucault e a análise do discurso em educação. Cad. Pesqui. [online]. 2001, n.114, pp.197-223. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742001000300009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 07 maio 2020.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1979.

FOUCAULT, M. Ordem do discurso. Tradução: Laura Sampaio. 3º Edição. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FOUCAULT, M. Arqueologia das ciências e sobre a História dos sistemas de pensamento. Coleção Ditos e escritos. São Paulo: Editora Forense Universitária, 432 p., 2005.

LANUTI, J.; BAPTISTA, M.; RAMOS, E. A diferença de Deleuze na pesquisa em educação: experiências dos pesquisadores do LEPED. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 3, p. 1167-1180, jul./set. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12627. Acesso em: 04 ago. 2020.

NIETZSCHE, F. Vontade de Potência. Tradução: Mário D. Ferreira Santos. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1966.

NIETZSCHE, F. A Genealogia da Moral. Tradução: Paulo Cesar de Souza. São Paulo: Editora Companhia de Bolso, 176 p., 2009.

REIS, D. A. Ditadura militar, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

REIS, D. A. Ditadura e democracia no Brasil: Do Golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

VIANA, H. História do Brasil: Volume II. 4a edição. São Paulo, Edições Melhoramentos, 1996.

VIEIRA, J.; FERRONATO, C. Linguagem e a crise dos saberes: micronarrativas na pós-modernidade. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, v. 10, n. 23, p. 175-186, set./dez. 2017. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/6519. Acesso em: 18 jan. 2018.

Downloads

Publicado

30/10/2020

Como Citar

Vieira, J. S. M., Carvalho, L. de O., & Feldens, D. G. (2020). Sintomas do Brasil contemporâneo: tensões discursivas e a educação para a diferença . Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(esp3), 2314–2331. https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp3.14440