“The Wizard of Oz”: práticas sociais de leitura e de oralidade em inglês na voz de estudantes do ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i3.15134

Palavras-chave:

Educação Básica, Letramentos, Interação

Resumo

Este artigo apresenta uma compreensão de práticas sociais de leitura e oralidade em inglês desenvolvidas a partir da obra literária “The Wizard of Oz” na voz de estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental de uma Escola Pública Municipal localizada em Blumenau/SC. Tal abordagem qualitativa assenta-se na Teoria Histórico-Cultural e nos Estudos dos Letramentos. Como instrumento de geração de dados foram utilizados um recorte de desenhos, produzidos coletivamente por um total de 16 estudantes matriculados em uma turma do 5º ano do Ensino Fundamental, com idades entre 9 e 10 anos A análise dos dados aponta para a constatação de que as práticas sociais de leitura e de oralidade desses sujeitos proporcionaram não apenas a apropriação de conhecimentos científicos desenvolvidos a partir desta sequência didática envolvendo música, filme e a obra “The Wizard of Oz”, mas também a ampliação do repertório cultural e linguístico dos estudantes no âmbito da interação com a língua inglesa. Considera-se, assim, importante que as aulas de línguas na Educação Básica tenham foco nos conceitos linguísticos para a interação em diversas práticas em distintas esferas sociais em que estes sujeitos circulam, assim como estejam orientados para a reflexão sobre o repertório cultural e a dimensão intercultural dos diferentes usos da linguagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caique Fernando da Silva Fistarol, Secretaria Municipal de Educação (SEMED), Blumenau – SC

Coordenador Curricular de Língua Inglesa e da Educação Bilíngue. Mestrado em Educação (FURB).

Isabela Vieira Barbosa, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Edson Schroeder, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau – SC

Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação Cientifica e Tecnológica (UFSC).

Sandra Pottmeier, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis – SC

Doutorado em Linguística (UFSC).

Referências

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011[1979].

BARTHES, R. Mitologias. 6. ed. Trad. Rita Buongermino e Pedro de Souza. São Paulo: Difel, 1985.

BAUM, L. F. O Mágico de Oz. Rio de Janeiro: Zahar, 2013[1990]. E-book. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/9788537811511. Acesso em: 13 dez. 2020.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1999.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

CALVINO, I. Por que ler os clássicos. Trad. Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CORSO, D. L.; CORSO, M. Fadas no divã. Porto Alegre: Artmed, 2006.

COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. 2. ed. 4. reimp. São Paulo: Contexto, 2014.

COSTA, E. G. M. Práticas de letramento crítico na formação de professores de línguas estrangeiras. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte, v. 12, n. 4, p. 911-932, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982012000400012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 13 dez. 2020.

DIAS, A. V. M. Hipercontos multissemióticos: para a promoção dos multiletramentos. In: ROJO, R. H. R.; MOURA, E. (Org.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 95-122.

DIAS, A. V. M; MORAIS, C. G.; PIMENTA, V. R.; SILVA, W. B. Minicontos multimodais: reescrevendo imagens cotidianas. In: ROJO, R. H. R.; MOURA, E. (Org.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 75-94.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. O oral como texto: como construir um objeto de ensino. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

FACCI, M. G. D. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor? Um estudo crítico comparativo da Teoria do Professor Reflexivo, do Construtivismo e da Psicologia Vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2004.

FIGUEIREDO, F. J. Q.; ARAÚJO, M. A. F. Possibilidades de aprendizagem por meio do uso de jogos em sala de aula de inglês. In: FIGUEIREDO, F. J. Q.; SIMÕES, D. (Org.). Contribuições da linguística aplicada para a educação básica. Campinas: Pontes, 2018. p. 245-272.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2019[1996].

FREITAS, A. W.; BARROS, A. L. E. C. Letramento literário: múltiplas linguagens na formação de leitores. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DE GÊNEROS TEXTUAIS, 9., 2017, Campinas. Anais eletrônicos [...]. Campinas: Galoá, 2017. p. 1-18. Disponível em: https://proceedings.science/siget/papers/letramento-literario--multiplas-linguagens-na-formacao-dos-leitores?lang=pt-br. Acesso em: 13 dez. 2020.

GAGA, L. Lady Gaga performing Somewhere Over the Rainbow. Applause live at Good Morning America [HD], 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=dQ9vsZimqGE. Acesso em: 13 dez. 2020.

GERALDI, J. W. Portos de passagem. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013[1991].

GERALDI, J. W. Ancoragens: estudos bakhtinianos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2015.

GOMES, V. V. Letramento e literatura infantil: a contribuição do conto de fadas para prática social da leitura. Almanaque multidisciplinar de pesquisa, ano 3, v. 1, n. 1, p. 106-117, 2016. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/amp/article/view/3902. Acesso em: 13 dez. 2020.

GONÇALVES, R. P. A. Sequência didática tupiniquim para leitura do conto literário no ensino fundamental: um estudo bakhtiniano. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS DE GÊNEROS TEXTUAIS, 9., 2017, Campinas. Anais eletrônicos [...]. Campinas: Galoá, 2017. p. 1-15. Disponível em: https://proceedings.science/siget/papers/-sequencia-didatica-tupiniquim-para-leitura-do-conto-literario-no-ensino-fundamental--um-estudo-bakhtiniano. Acesso em: 13 dez. 2020.

KALANTZIS, M.; COPE, B. Learning by design project group. Melbourne: Victorian Schools Innovation Commission & Common Ground, 2005.

MAYORCA, J. P. Letramento e ensino de literatura. Revista Trías, ano III, n. 6, p. 01-14, jan. /jul. 2013. Disponível em: http://www.revistatrias.pro.br/artigos/ed-6/letramento-e-ensino-de-literatura.pdf. Acesso em: 13 dez. 2020.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997.

PERIM, S. L. Compreensão de uma fábula por meninos e meninas de 6 anos: um estudo exploratório. Rev. Psicol. UNESP, v. 13, n. 2, p. 32-40, dez. 2014. Disponível em: https://seer.assis.unesp.br/index.php/psicologia/article/view/538/493. Acesso em: 13 dez. 2020.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

SOUZA, M. T. C. C. Versões de um conto de fadas em crianças de 9 a 11 anos: aspectos afetivos e cognitivos. 1990. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990.

SOUZA, M. T. C. C. Desenvolvimento cognitivo e reconstituição de contos de fadas. Boletim de Psicologia v. 50, n. 113, p. 1-19, 2001.

SPULDARO, D. C. Palavra e imagem: diálogo entre as linguagens literária e fílmica. 2009. 117 f. (Mestrado em Letras) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2009. Disponível em: http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/906/1/2009DaianeCasagrandeSpuldaro.pdf. Acesso em: 13 dez. 2020.

STREET, B. V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

SZUNDY, P. T. C. A construção do conhecimento no jogo e sobre o jogo. Ensino e aprendizagem de LE e formação reflexiva. 2005. 295 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/13865/1/Paula%20Tatianne%20Carrera%20Azundy.pdf. Acesso em: 13 dez. 2020.

SZUNDY, P. T. C. Jogos de linguagem como gêneros no processo de ensino- aprendizagem de LE para crianças. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 48, n. 2, p. 275-294, dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-18132009000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 13 dez. 2020.

TALÍZINA, N. F. Psicologia de la enseñanza. Moscou: Progreso, 1988.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia pedagógica. Trad. Paulo Bezerra. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010a.

VIGOTSKI, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKI, L. S; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. Trad. Maria da Pena Villalobos. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010b. p. 103-117.

Downloads

Publicado

01/07/2021

Como Citar

FISTAROL, C. F. da S.; BARBOSA, I. V.; SCHROEDER, E.; POTTMEIER, S. “The Wizard of Oz”: práticas sociais de leitura e de oralidade em inglês na voz de estudantes do ensino fundamental. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 3, p. 1838–1859, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i3.15134. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15134. Acesso em: 25 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)