As Ciências Sociais e o desafio da Antropologia na prática docente na Educação Básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iesp.3.15294

Palavras-chave:

Antropologia, Ciências sociais, Educação básica, Ensino, Prática docente

Resumo

As Ciências Sociais demarcam sua importância na construção da identidade plural e democrática da sociedade moderna, cujos princípios civilizadores foram historicamente representados no processo de elaboração do discurso sociológico, antropológico e politológico do progresso civilizacional. No Brasil, nos últimos anos, começam a se pautar debates mais aprofundados em torno do ensino das Ciências Sociais na Educação Básica. A partir da obrigatoriedade do ensino da Sociologia, compreendida enquanto espaço formativo das Ciências Sociais no Ensino Médio, a sociedade brasileira passou a refletir sobre o lugar da Antropologia na escola. Nessa perspectiva se originam nossas pesquisas, no intuito de compreender o processo de ensino/aprendizagem da Antropologia no âmbito da Educação Básica. A proposta deste artigo é refletir sobre as contribuições do saber antropológico e das Ciências Sociais no contexto escolar, pensando seus desafios e contribuições na prática docente e na construção da reflexividade crítica sobre a sociedade e a cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Anselmo da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Professora Adjunta IV vinculada ao Departamento de Ciências Sociais e Políticas e Vice Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ensino. Doutorado em Antropologia (UFPE).

Raoni Borges Barbosa, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Professor Visitante vinculado ao Departamento de Ciências Sociais e Políticas e ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas. Doutorado em Antropologia (UFPE).

Lidiane Alves da Cunha, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Professora Adjunta IV vinculada ao Departamento de Ciências Sociais e Políticas e Coordenadora do Programa de Iniciação à Docência em Ciências Sociais - PIBID. Doutorado em Ciências Sociais (UFRN).

Referências

BAUMAN, Z. Para que serve a Sociologia? Diálogos com Michael Hviid Jacobsen e Keith Tester. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 2015.

BECK, U. La sociedade del riesgo. Hacia uma nueva modernidade. Barcelona, Buenos Aires: Paidós, 2002.

BOTTOMORE, T. B. Introdução à sociologia. Rio de Janeiro, RJ: Zahar Editores, 1971.

BRANDÃO, C. R. Algumas palavras sobre a cultura e a educação In: ROCHA, G.; TOSTA, S. P. Antropologia & educação. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2009. (Coleção Temas & Educação; 10)

BRANDÃO, C. R. Sobre teias e tramas de aprender e ensinar: anotações a respeito de uma antropologia da educação. Revista Inter Ação, Goiânia (GO), v. 26, n. 1, p. 9-30, 2007. DOI: doi.org/10.5216/ia.v26i1.1552

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Brasília, DF: MEC, SEF, 2006. v. 3.

BRASIL. Lei n. 11.684, de 2 de junho de 2008. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Brasília, DF, 03 jun. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11684.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Lei n. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 17 fev. 2017a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Curricular Comum. Brasília, DF: MEC, 2017b.

CAMPOS, N. S.; GRANDO, B. S.; PASSOS, L. A. Educação e diversidade: as experiências exitosas que reconhecem os saberes e fazeres da cultura na escola. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 10, n. 4, p. 1261-1277, out./dez. 2015. DOI: doi.org/10.21723/riaee.v10i4.6332

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo, SP: Editora Unesp, 1991.

GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 2002.

GUSMÃO, N. M. M. Antropologia e educação: origens de um diálogo. Cadernos CEDES, Campinas (SP), v. 18, n. 43, dez. 1997.

KIRSCH, D. B.; SOFFNER, R. K. Formação do professor-pesquisador: a importância da fundamentação epistemológica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp. 3, p. p. 2087-2099, dez. 2018. DOI: doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.10892

MEDEIROS, E. A.; AGUIAR, A. L. O. Formação inicial de professores da educação básica em licenciaturas de universidades públicas do Rio Grande do Norte: estudo de currículos e suas matrizes curriculares. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.13, n. 3, p. 1028-1049, jul./set. 2018. DOI: doi.org/10.21723/riaee.v13.n3.2018.10975

PIRES, Á. P. Sobre algumas questões epistemológicas de uma metodologia geral para as ciências sociais. In: POUPART, J. et al. A Pesquisa qualitativa. Enfoques epistemológicos e metodológicos. Rio de Janeiro, RJ: Editora Vozes, 2010.

ROCHA, G.; TOSTA, S. P. Introdução. In: ROCHA, G.; TOSTA, S. P. Antropologia & educação. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2009. (Coleção Temas & Educação; 10)

Publicado

01/06/2021

Como Citar

SILVA, E. A. da .; BARBOSA, R. B. .; CUNHA, L. A. da . As Ciências Sociais e o desafio da Antropologia na prática docente na Educação Básica. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp.3, p. 1493–1508, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iesp.3.15294. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15294. Acesso em: 17 set. 2021.