Altas habilidades/superdotação e deficiência visual: duplicidade de necessidades educacionais especiais

Autores

  • Rosemeire de Araújo Rangni Universidade Federal de São Carlos
  • Ailton Barcelos da Costa Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v11.n4.7387

Palavras-chave:

Educação Especial. Superdotação. Cegueira.

Resumo

A Educação Especial no Brasil é evidenciada, historicamente, à atenção aos indivíduos com deficiência. Os estudantes com alto potencial estão nas escolas, porém, com pouca visibilidade e reconhecimento. Infere-se que os estudantes em condição de altas habilidades/superdotação e deficiência são menos contemplados pelos serviços especiais. Este artigo objetiva revisar publicações sobre a duplicidade de necessidades educacionais especiais (DNEE), talento e deficiência visual, no período de 2002 a 2012, como também, considerar conceitos sobre talento e deficiência visual e refletir sobre a DNEE. Os métodos Bibliográfico e Documental foram usados para a realização da pesquisa. Procedeu-se buscas em livros especializados, documentos educacionais brasileiros e artigos publicados em revistas acadêmicas. Os resultados obtidos foram: em oito artigos encontrados somente três foram considerados relevantes para o propósito pesquisado. A maioria dos artigos nos sítios buscados não estava disponível de forma completa, apresentando apenas os resumos. Revelou-se, também, que há escassez de pesquisas sobre a temática no Brasil, especificamente sobre altas habilidades/superdotação e deficiência visual, pois, não foi encontrado nenhum trabalho no Portal de Periódicos da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Espera-se com este artigo contribuir para que os estudantes com DNEE sejam reconhecidos, de fato, por seus potenciais elevados.

Biografia do Autor

Rosemeire de Araújo Rangni, Universidade Federal de São Carlos

Formação em Direito (1982), Faculdade de Direito de Guarulhos; Pedagogia (2002), Universidade Guarulhos; Mestrado em Educação (2005) Universidade Cidade de São Paulo - UNICID; Especialização em Talentosos e Bem Dotados (2006), Universidade Federal de Lavras - UFLA. Doutora em Educação Especial - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Pesquisadora na área de altas habilidades/superdotação, Políticas Públicas Educacionais e Educação Inclusiva. Atuação na Comissão Executiva do Fórum Oeste de Educação Inclusiva - FOEI, de 2007 a 2012. Secretária Executiva da Revista Educação em Movimento - 2010 a 2012. Experiência no ensino de Língua Inglesa, de 1990 a 2008. Docente do curso de Pós-Graduação em Educação Inclusiva no Instituto Superior de Educação Vera Cruz - ISE - (2011-2012). Palestrante e Formadora junto aos educadores nas Secretarias de Educação. Associada ao Conselho Brasileiro para Superdotação - ConBraSD. Professora Adjunta 1 - Universidade Federal de São Carlos - UFSCar - Curso de Licenciatura em Educação Especial e credenciada ao Programa de Pós - Graduação em Educação Especial - PPGEEs. Vinculada ao Grupo de Pesquisa em Excelência, Sustentabilidade e Inovação Social: Engenharia das Organizações Criativas e Soluções Tecnológicas Educacionais - UNIRIO e do Grupo de Pesquisa Educação Especial - UFSCar. Lider do Grupo de Pesquisa para o Desenvolvimento do Potencial Humano - GRUPOH. Coordenadora do Programa de Extensão: Educação Especial: Formação e Inclusão.

 

Ailton Barcelos da Costa, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando em Educação Especial na Universidade Federal de São Carlos, também possui Mestrado em Educação Especial e Licenciatura Plena em Matemática pela mesma universidade. Trabalha com Educação Matemática, atuando em Ensino de deficientes visuais (DV), orientação e mobilidade de pessoas com DV e ensino de matemática para pessoas com deficência intelectual. 

Downloads

Publicado

20/12/2016

Como Citar

RANGNI, R. de A.; COSTA, A. B. da. Altas habilidades/superdotação e deficiência visual: duplicidade de necessidades educacionais especiais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. 4, p. 1979–1993, 2016. DOI: 10.21723/riaee.v11.n4.7387. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7387. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)