Dois olhares sobre masculinidades no ambiente escolar: Brasil e Espanha

Carmen Galet, Fernando Seffner

Resumo


O ambiente escolar e particularmente o espaço da sala de aula são locais de intensa produção de modos de ser homem. O atributo da virilidade circula entre meninos e meninas, com diferentes significados. É possível observar múltiplos questionamentos sobre o conteúdo da masculinidade, cada vez mais posta no plural – masculinidades –, a dar conta dos diferentes modos de viver dos meninos. Fruto dessas percepções, nosso entendimento é o de que formar professores e professoras, em termos de gênero, é uma tarefa complexa que requer estar atento ao que ocorre ao nosso redor no dia a dia. A escola é, em parte, um reflexo da sociedade em que vivemos, mas, por outro lado, representa espaço e oportunidade para o aprendizado de mudanças que melhoram o entorno social. São necessários tanto a compreensão acerca da influência das famílias nas questões de gênero quanto o domínio do tema do ponto de vista das ciências humanas. Pensar uma organização produtiva desses debates em sala de aula é bastante desafiador e, ao mesmo tempo, muito necessário. O texto lança dois olhares sobre o tema das masculinidades em sala de aula a partir de duas pesquisas: uma no Brasil e outra na Espanha.

Palavras-chave


Escola. Educação. Gênero. Masculinidade. Identidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/RIAEE.v11.n2.p767



Direitos autorais 2016 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.