O papel da afetividade na relação professor e aluno e sua implicações na aprendizagem

Maria Fabrícia de Medeiros

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo geral verificar se as relações entre professor e aluno no cotidiano da sala de aula influenciam no processo de ensino e aprendizagem. Procuramos elencar, reflexões teóricas e metodológicas sobre as ações e meios utilizados pelas escolas no trabalho com a temática afetividade, ensino e aprendizagem e a postura do professor no que diz respeito à valorização da afetividade em sua prática e vivência em sala de aula. O referencial teórico foi pautado nos estudos e reflexões de autores que trazem reflexões sobre a questão afetiva, sendo esta primordial na construção das relações humanas, bem como discussões das relações que acontecem dentro do ambiente escolar e influenciam a construção da identidade, autonomia e aprendizagem dos alunos. Entretanto, trabalhar efetivamente com uma temática tão profunda, possibilitou perceber que a afetividade está diretamente ligada ao ensino e a aprendizagem.  Apesar das dificuldades encontradas no que diz respeito a convivência entre os indivíduos e suas diferenças, é possível desenvolver uma educação escolar pautada em ações afetivas eficazes, promovendo a autonomia e o desenvolvimento global dos alunos. Atualmente, faz-se necessário aprofundar e trabalhar a questão afetiva, uma vez que os valores primordiais têm sido deixados de lado nas relações humanas. A partir dessa premissa, para consecução efetiva deste trabalho, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em que foram utilizadas fontes como: livros, periódicos, resumos, artigos, monografias, dissertações e teses.


Palavras-chave


Ensino e aprendizagem. Afetividade. Relação professor e aluno.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais, ética/ Secretaria de Educação. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CAVALCANTE, M. Como criar uma escola acolhedora. Nova Escola, São Paulo: Abril, n. 180, p. 51-57, março 2005.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. de. Afetividade e Processo de Ensino- Aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. São Paulo, 2005.

ZABALZA, M. A. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer projetos, relatórios, monografias, dissertações e teses. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

PRESTES, M. L. de M. A pesquisa e a construção do conhecimento científico do planejamento aos textos, da escola à academia. 3 ed. São Paulo: Rêspel, 2008.

SANTOS, G. V. dos. Influência da afetividade no processo ensino- aprendizagem. 2002. Monografia (II Curso de Especialização em Educação Infantil). Setor de Ensino à Distância/ Centro de Educação/ Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa-PB.

TOGNETTA, L. R. P.; VINHA, T. P. Valores em crise: o que nos causa indignação? In: LA TAILLE, Yves de; MENIN, Maria Suzana de Stefano. Crises de Valores ou Valores em Crise? Porto Alegre: Artmed, p. 15-45, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp2.2017.10179



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.