O papel da afetividade na relação professor e aluno e sua implicações na aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp2.2017.10179

Palavras-chave:

Ensino e aprendizagem. Afetividade. Relação professor e aluno.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo geral verificar se as relações entre professor e aluno no cotidiano da sala de aula influenciam no processo de ensino e aprendizagem. Procuramos elencar, reflexões teóricas e metodológicas sobre as ações e meios utilizados pelas escolas no trabalho com a temática afetividade, ensino e aprendizagem e a postura do professor no que diz respeito à valorização da afetividade em sua prática e vivência em sala de aula. O referencial teórico foi pautado nos estudos e reflexões de autores que trazem reflexões sobre a questão afetiva, sendo esta primordial na construção das relações humanas, bem como discussões das relações que acontecem dentro do ambiente escolar e influenciam a construção da identidade, autonomia e aprendizagem dos alunos. Entretanto, trabalhar efetivamente com uma temática tão profunda, possibilitou perceber que a afetividade está diretamente ligada ao ensino e a aprendizagem.  Apesar das dificuldades encontradas no que diz respeito a convivência entre os indivíduos e suas diferenças, é possível desenvolver uma educação escolar pautada em ações afetivas eficazes, promovendo a autonomia e o desenvolvimento global dos alunos. Atualmente, faz-se necessário aprofundar e trabalhar a questão afetiva, uma vez que os valores primordiais têm sido deixados de lado nas relações humanas. A partir dessa premissa, para consecução efetiva deste trabalho, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em que foram utilizadas fontes como: livros, periódicos, resumos, artigos, monografias, dissertações e teses.

Biografia do Autor

Maria Fabrícia de Medeiros, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda em Educação pela UFPB (Universidade Federal da Paraíba), Mestra em Educação pela UFPB, ambos na Linha de Pesquisa de Políticas Educacionais, especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UNICAP (Universidade Católica de Pernambuco)/CEPAI (Centro Psicopedagógico de Atividades Integradas) e em Gestão e Organização da Escola pela Universidade Norte do Paraná-UNOPAR, licenciada em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior Santa Cruz- CESAC. Integrante do Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre a Criança-Nupec-UFPB. Professora Efetiva da Prefeitura Municipal de João Pessoa-PB, lotada na Escola Municipal de Ensino Fundamental Índio Piragibe. Integrante do Grupo de Pesquisas e Estudos sobre a Criança (GRUPEC).

Referências

BRASIL, Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais, ética/ Secretaria de Educação. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CAVALCANTE, M. Como criar uma escola acolhedora. Nova Escola, São Paulo: Abril, n. 180, p. 51-57, março 2005.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. de. Afetividade e Processo de Ensino- Aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. São Paulo, 2005.

ZABALZA, M. A. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer projetos, relatórios, monografias, dissertações e teses. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

PRESTES, M. L. de M. A pesquisa e a construção do conhecimento científico do planejamento aos textos, da escola à academia. 3 ed. São Paulo: Rêspel, 2008.

SANTOS, G. V. dos. Influência da afetividade no processo ensino- aprendizagem. 2002. Monografia (II Curso de Especialização em Educação Infantil). Setor de Ensino à Distância/ Centro de Educação/ Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa-PB.

TOGNETTA, L. R. P.; VINHA, T. P. Valores em crise: o que nos causa indignação? In: LA TAILLE, Yves de; MENIN, Maria Suzana de Stefano. Crises de Valores ou Valores em Crise? Porto Alegre: Artmed, p. 15-45, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Downloads

Publicado

01/11/2017

Como Citar

DE MEDEIROS, M. F. O papel da afetividade na relação professor e aluno e sua implicações na aprendizagem. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], p. 1165–1178, 2017. DOI: 10.22633/rpge.v21.n.esp2.2017.10179. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/10179. Acesso em: 8 mar. 2021.