Por uma outra escola: provocações à didática e ao conceito de inovação pedagógica

Mônica Vasconcellos, Sandra Maciel

Resumo


Identificar elementos que apontem perspectivas pedagógicas inovadoras, sob a ótica de licenciandos e de professores da educação básica é o objetivo deste estudo que resulta das reflexões realizadas pela equipe docente do Núcleo de Didática e Formação de Professores da UFF e das avaliações qualitativas realizadas com alunos de Didática. Isso nos provocou a propor uma (re)aproximação com a escola, o que gerou registros individuais e entrevistas com docentes da escola básica, considerados inovadores pelos licenciandos. Na contramão da vinculação do conceito de inovação pedagógica à inserção de aparatos tecnológicos, os licenciandos expressaram preocupações com a construção de uma sociedade mais justa, calcada em aspectos como autonomia docente, dialogicidade, compromisso e criatividade. O reconhecimento político e social de que a escola é o principal locus de formação humana e a urgência de refletirmos coletivamente sobre outras formas de se pensar e se fazer escola são perspectivas de nossas discussões.

Palavras-chave


Didática; Inovação pedagógica; Licenciatura.

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Censo do Ensino Superior 2017. http://portal.mec.gov.br/docman/setembro-2018-pdf/97041-apresentac-a-o-censo-superior-u-ltimo/file. Acesso em 22 mar. 2019.

CANDAU, V. Didática crítica intercultural: aproximações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

CRUZ, G. B. da; CAMPELO, T. Parceria universidade-escola básica e a aprendizagem da docência: contribuições da relação entre os professores supervisores do PIBID e os licenciandos bolsistas. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 09, n. 15, ago./dez., 2016. Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br . Acesso em: 14 de maio 2019.

CRUZ, G.; OLIVEIRA, A. T. de C. C. de; NASCIMENTO, M. das G. C. de A. Ensino de Didática: entre ressignificações e possibilidades. Curitiba: CRV, 2017.

CUNHA, M. I. Inovações na educação superior: impactos na prática pedagógica e nos saberes da docência. Em Aberto, Brasília, v. 29, n. 97, 2016, p. 97-101.

DOMINICK, R.; VASCONCELLOS, M.; ALVES et al. Ensino de Didática: entre ressignificações e possibilidades na FEUFF. In: CRUZ, G.; OLIVEIRA, A. T. de C. C. de; NASCIMENTO, M. das G. C. de A. Ensino de Didática: entre ressignificações e possibilidades. Curitiba: CRV, 2017.

FAGUNDES, T. B. A pesquisa docente: sobre o conceito de professor pesquisador na formação inicial de agentes de letramento. 2011. 157f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://proped.pro.br/teses/teses_pdf/2009_1-571-ME.pdf Acesso em: 16 de maio, 2019.

FINO, C. N. Inovação Pedagógica: Significado e Campo de (Investigação). In Alice Mendonça & António V. Bento (Orgs.). Educação em Tempo de Mudança (pp. 277-287). Funchal: Grafimadeira, 2008. Disponível em: http://www3.uma.pt/carlosfino/publicacoes/Investigacao_e_inovacao.pdf

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, B. Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 50, p. 51-67, out./dez. 2013. Editora UFPR.

GAUTHIER, C. et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1998. 480p.

HERNÁNDEZ, F., VENTURA, M. A organização do currículo por projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.

LÜDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 8. ed. São Paulo: EPU, 2004.

MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

MACIEL, S.; JAEHN, L.; VASCONCELLOS, M. Precisamos falar de gênero: por uma educação democrática. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 13, p. 1503-1517, 2018. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11657/7602 . Acesso em: 14 de maio, 2019.

MIZUKAMI, M. da G. N. Analisando a função social da escola: a inserção do pedagogo na vida escolar durante o primeiro ano de curso. In: SILVA, A. M. M. et. al. (Orgs.). Políticas educacionais, tecnologias e formação do educador: repercussões sobre a didática e as práticas de ensino. Recife: ENDIPE, 2006. p. 65-81.

NITERÓI. Universidade Federal Fluminense. Resolução no 616, de 2018. Estabelece a Base Comum para os Cursos de Licenciatura da UFF. Disponível em http://www.uff.br/sites/default/files/sites/default/files/imagens-das-noticias/20._015-2018_-_resoluaeo_616-17_base_comum_licenciaturas.pdf, Acesso em: 17 de maio de 2019.

NOVOA, A. Os professores: um “novo” objecto da investigação educacional?. In: NOVOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1999. p. 13-30.

NÓVOA, A. Os professores: um novo objeto de investigação educacional? In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 2015. p. 13-30.

PERRENOUD, P. O trabalho sobre o habitus na formação de professores: análise das práticas e tomada de consciência. In: PERRENOUD, P. et.al. (Orgs.). Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p. 161-184.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, n. 1, p. 1-22, February 1987.

SHULMAN, L., GROSSMAN, P. L., WILSON, S. M. Teachers of substance: subject matter knowledge for teaching. In: REYNOLDS, M. C. (Org.). Knowledge base for the beginning teacher. New York: Pergamon Press, 1989. p. 23- 36.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. 325p.

TERRIEN, J. O saber social da prática docente. Educação & Sociedade, Campinas, n. 46, p. 408-418, dez. 1993.

VASCONCELLOS, M.; SANTIAGO, M. C. D. Grupo de Pesquisa Formar: Inovação ou reinvenção de saberes? Revista Educação e Fronteiras, Dourados/MS, v. 8, n. 22, p. 35-46, jan./abr. 2018.

VASCONCELLOS, M.; VILELA, M. Limites e possibilidades da formação inicial para o desenvolvimento de práticas autônomas. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 63, p. 157-172, jan./mar. 2017.

VASCONCELLOS, M.; OLIVEIRA, L. F. de; MENEZES, G. L. P. de. Formação superior e opção pelo magistério: quais são as razões apresentadas por alunos das licenciaturas para sua escolha profissional? In: SANTIAGO, M. C. e AKKARI A. (Orgs) Formação de professores: perspectivas interculturais. Rio de Janeiro: Autografia, 2016. p. 35-56.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23iesp.1.13006



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.