Tecnologia e deficiência intelectual: práticas pedagógicas para inclusão digital

Relma Urel Carbone Carneiro, Maria Carolina Branco Costa

Resumo


O atendimento educacional a estudantes com deficiência intelectual é um tema recorrente nas discussões da área, no sentido de superação de uma visão excludente, que considera a deficiência e ignora as capacidades, buscando o oferecimento de condições reais de acesso ao conhecimento a partir das especificidades. O uso da tecnologia tem sido apontado como um recurso pedagógico que pode contribuir neste processo, colocando o estudante como protagonista, possibilitando o desenvolvimento de várias áreas do conhecimento. Assim, desenvolvemos um estudo a partir de um projeto de extensão vinculado ao Núcleo de Ensino da Unesp, com o objetivo de propor e avaliar ações pedagógicas através do uso da informática a alunos com deficiência intelectual. O estudo foi realizado em um Centro de Educação Especial com um grupo de dezoito estudantes, de faixa etária compreendida entre 9 e 60 anos. Baseou-se no referencial teórico da pedagogia histórico-crítica e da psicologia histórico cultural, utilizou-se da abordagem qualitativa e teve como procedimento metodológico a pesquisa-ação. Os resultados obtidos a partir das avaliações, relatos das professoras regulares e acompanhamento processual do desempenho dos participantes demonstram que os estudantes envolvidos foram inseridos em ambientes informacionais digitais e o computador atuou como ferramenta pedagógica efetiva no processo de ensino-aprendizagem.


Palavras-chave


Educação especial. Deficiência intelectual. Tecnologia. Inclusão digital.

Texto completo:

PDF

Referências


BITTENCOURT, P. A. S.; ALBINO, J. P. O uso das tecnologias digitais na educação do século XXI. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. Araraquara, v. 12, n. 1, p. 205-214, jan-mar/2017.

CARNEIRO, R. U. C.; SILVA, S. S. Inclusão escolar de alunos público alvo da educação especial: como se dá o trabalho pedagógico do professor no ensino fundamental I? Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. Araraquara, v. 11, n. esp. 2, p. 935-955, 2016.

CUNHA, M. D.; BIZELLI, J.L. Caminhos para TIC em sala de aula sob a perspectiva dos professores. Revista on line Política e Gestão Educacional. Araraquara, v.20, n.2, p.282-300, maio-ago/2016.

ENGEL, T. G.; SILVEIRA, D. T. (Org.). Métodos de Pesquisa. 1ª Ed. Rio Grande do Sul: Editora da UFRGS, 2009.

FERNANDES, A. P. C. S. A escolarização de alunos da EJA em turma especial em tempo de política de educação inclusiva. Revista on line Política e Gestão Educacional. Araraquara, n. 15, p. 228-234, 2013.

FETTBACK, C. S.; BALDIN, N. O contexto da educação especial na perspectiva da educação inclusiva: as vozes dos professores e dos familiares na rede municipal de ensino de Joinville (SC). Revista on line Política e Gestão Educacional. Araraquara, n.17, p.167-186, 2014.

JUNIOR, W. A.; KISHIMOTO, T. M. Jogos digitais, mediação e a psicologia histórico-cultural. In: IX Amostra de Pesquisas em Educação. Anais da IX Amostra de Pesquisas em Educação. Araraquara: UNESP, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

OLIVEIRA, V. A.; MOREIRA, H. As tecnologias da informação e comunicação como mediação pedagógica no curso de pedagogia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. Araraquara, v. 10, n. 2, p. 371-389, 2015.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18 ed. São Paulo: Cortez, 2011.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp1.out.2017.10449



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.