A formação em serviço do gestor escolar como ação formativa intencional e política

Marcelo do Nascimento, Alessandro Luiz de Oliveira, Rachel Duarte Abdala

Resumo


Este artigo propõe a construção de um processo bibliográfico investigativo para elaboração de um processo sequencial de análises conceituais a partir de pesquisas, artigos científicos e livros temáticos, com o objetivo de demarcar um conceito específico de formação em serviço do gestor escolar. Em função da abundância de fontes sobre o tema, delimitamos os conceitos de formação continuada, educação (integral) continuada e formação em serviço, bem como as relações metodológicas entre prática e epistemologia nas formações continuadas. As análises culminaram no entendimento da gestão escolar como prática administrativa com características próprias, especialmente pelo aspecto político inerente à sua inscrição na dimensão educativa, característica que demanda igualmente uma formação em serviço com especificidades instrumentais e políticas.

 


Palavras-chave


Formação em serviço; Gestão escolar; Política.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ALARCÃO, I. Formação continuada como instrumento de profissionalismo docente. In; VEIGA, I. P. A. (org). Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 1998.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília: 1996.

CASTRO, M. M. C. AMORIM, R. M. A. A formação inicial e a continuada: diferenças conceituais que legitimam um espaço de formação permanente de vida. Cadernos CEDES. Campinas: v. 35, n. 95, p. 37 – 55, abr. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/CC0101-32622015146800. Acesso em: 13 de jul. 2017.

CHAMON, E. M. Q. O. Formação e (re)construção indenitária: estudo das memórias de professores do ensino básico inscritos em um programa de formação continuada. 2003. Tese (PhD). Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2003.

ESTRELA, M. T. A formação contínua entre teoria e prática. In: FERREIRA, N. S. C. (Org). Formação Continuada e Gestão de Educação. São Paulo: Cortez, p. 43-64, 2001.

FILHO, P.V. Afinal, o que é planejamento estratégico? Revista de Administração de Empresas. São Paulo: vol. 18, nº 02, apr./jun. 1978. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75901978000200002. Acesso em 25 de ago. 2017.

FRANCO, A. P. Formação de gestores escolares: dos encontros e desencontros nos cursos de pedagogia. In: SILVESTRE, M. A. PINTO, U. A. (orgs). Curso de Pedagogia: avanços e limites após as Diretrizes Curriculares Nacionais. São Paulo: Cortez, 2017.

FREIRE. P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

GATTI. B. A. Formação continuada de professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, n. 119, p. 191-204, jul. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n119/n119a10.pdf. Acesso em 25 de ago. 2017.

MARCELO, C. A identidade docente: constantes e desafios. Formação Docente. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores. Belo Horizonte: GT08 - Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), v. 01, nº 01, p. 109-131, ago./dez. 2009. Disponível em: http://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp. Acesso em 25 de ago. 2017.

MARTINS, R. C. R. Progestão: como gerenciar o espaço físico e o patrimônio da escola? Brasília: Consed, 2001. Disponível em: http://www.sed.sc.gov.br/documentos/plano-de-gestao-escolar-409/processo-2016/progestao-modulos-atividades/4362-modulo-vii-como-gerenciar-o-espaco-fisico-e-o-patrimonio-da-escola/file. Acesso em 25 de ago. 2017.

MILITÃO, A. N. LEITE, Y. U. F. A historicidade do conceito de formação continuada: uma análise da visão de Paulo Freire sobre a formação permanente. Anais do VII Congresso Brasileiro de História da Educação: Circuitos e Fronteiras da História da Educação no Brasil. Cuiabá: Universidade Federal do Mato Grosso, v. 01. p. 01-15, 2013.

MORETO. J.A. A educação continuada do diretor da escola: avaliação da política implementada pela Secretaria Municipal de Educação de Campinas, no período de 1994 a 2000. Dissertação de Mestrado. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2002.

NÓVOA, A. A formação tem de passar por aqui: as histórias de vida no projecto Prosalus. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.

NÓVOA, A. Professor se forma na escola. In: Nova Escola. São Paulo: Abril Cultural, Edição n. 142, maio, 2002.

PAULA, S. G. Formação continuada de professores: perspectivas atuais. Paidéia - Revista do Curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Belo Horizonte: Universidade FUMEC, ano 6, n. 6, p. 65-86 jan./ jun. 2009.

RIOS, T. A. Ética e competência. São Paulo: Cortez, Ed. 20, 2011.

RODRIGUES, E. S. S. REIS, M. G. F. A. ARANDA, M. A. M. A formação continuada para gestores da educação básica e a demanda do cotidiano escolar: uma análise no âmbito das políticas públicas. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara: v.20, n.03, p. 444-462, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22633/rpge.v20.n3.9722. Acesso em 25 de ago. 2017.

ROLDÃO, M. C. Função docente: natureza e construção profissional. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: Anped, v. 12, n. 34 jan./ abr. 2007.

SALLES, F. C. A formação continuada em serviço. Revista Iberoamericana de Educación. 2015. Disponível em: https://rieoei.org/historico/deloslectores/806Casadei.PDF. Acesso em 13 de jul. 2017.

SANTOS, V. L. F. dos. Formação contínua em serviço: construção de um conceito a partir do um estudo de um programa desenvolvido no município de Andradina –Presidente Prudente. Dissertação (mestrado). São Paulo: Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2005.

SHULMAN, L. S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec. São Paulo: v.4, n.2, p.196-229, dez. 2014.

SCHÖN. D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, Antônio (org.). Os Professores e a sua Formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, Ed 3, 1997.

TARDIF, M. Apresentação. Educação e Sociedade. Campinas: CEDES, v. 22, n. 74, p. 11-26, abr., 2001. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 02 de ago. 2017.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, Ed 8, 2002.

TARDIF, M. A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a frente, três para trás. Educação e Sociedade. Campinas: CEDES, v. 34, n. 123, p. 551-571, abr.-jun. 2013. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 02 de ago. 2017.

VAILLANT, D. MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas da de uma aprendizagem. Curitiba: Editora UTFPR, Ed. 1, 2012.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade. Campinas: CEDES, vol. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 02 de ago. 2017.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v23i2.11887



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.