Política e educação como correlatos regulatórios de poder

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.17399

Palavras-chave:

Poder, Política, Educação, Regulação, Eficiência

Resumo

O artigo denota a relação entre a finalidade regulatória da política e a educação, que formam o poder coerente como unidade dialética do poder político interessado na legitimação jurídica de seu status e poder jurídico, apelando ao poder representado pelo Estado, por um lado, e sua negação mútua como corporificação dos paradigmas de eficiência (política) e legitimação (direito), por outro. Um método analítico-descritivo é utilizado para atingir esse objetivo. Com base nos resultados, o paradigma de eficiência é determinado pelo fator de resultado, e o paradigma de legitimação é determinado pelo fator de processo. A interação desses paradigmas gera uma contradição antinômica, característica atributiva da regulação educacional e jurídica dos processos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vladimir A. Noskov, Belgorod State University, Belgorod, Russia

Doctor of Philosophy.

Vladislav Yu. Turanin, Belgorod State University, Belgorod, Russia

Doctor of Law.

Nasrudi U. Yarychev, Chechen state University, Groznyj, Russia

Doctor of Pedagogics, Doctor of philosophy.

Irina A. Baghdasaryan, Military University of the Ministry of Defense, Moscow, Russia

PhD in Law.

Vera P. Kutina, Autonomous Nonprofit Organization of Higher Education «Saint Petersburg Juridical Academy», Saint Petersburg, Russia

PhD in Law.

Referências

BAUMEISTER, R. F.; WRIGHT, B. R.; CARREON, D. Self-control “in the wild”: Experience sampling study of trait and state self-regulation. Self and Identity, [S. l.], v. 18, n. 5, p. 494-528, 2019.

BROOCKMAN, D. E.; FERENSTEIN, G.; MALHOTRA, N. Predispositions and the political behavior of American economic elites: Evidence from technology entrepreneurs. American Journal of Political Science, [S. l.], v. 63, n. 1, p. 212-233, 2019.

DJANKOV, S.; GEORGIEVA, D.; RAMALHO, R. Business regulations and poverty. Economics Letters, [S. l.], v. 165, p. 82-87, 2018.

DOSHI, R.; KELLEY, J. G.; SIMMONS, B. A. The power of ranking: The ease of doing business indicator and global regulatory behavior. International Organization, [S. l.], v. 73, n. 3, p. 611-643, 2019.

FREMETH, A. R.; HOLBURN, G. L.; PIAZZA, A. Activist protest spillovers into the regulatory domain: Theory and evidence from the US nuclear power generation industry. Organization Science, 2021.

GUIRGUIS, R. Should We Let Them Play? Three Key Benefits of Play to Improve Early Childhood Programs. International Journal of Education and Practice, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 43-49, 2018.

JANG, S. M.; KIM, J. K. Third person effects of fake news: Fake news regulation and media literacy interventions. Computers in human behavior, [S. l.], v. 80, p. 295-302, 2018.

LEE, A. D.; USMAN, Z. Taking stock of the political economy of power sector reforms in developing countries: a literature review. [S. l.]: World Bank Policy Research Working Paper, 2018.

MU, G. M. Building resilience of floating children and left-behind children in China: Power, politics, participation, and education. [S. l.]: Routledge. 2018.

ZHOU, S.; MATISOFF, D. C.; KINGSLEY, G. A.; BROWN, M. A. Understanding renewable energy policy adoption and evolution in Europe: The impact of coercion, normative emulation, competition, and learning. Energy Research & Social Science, [S. l.], v. 51, p. 1-11, 2019.

Publicado

30/11/2022

Como Citar

NOSKOV, V. A.; TURANIN, V. Y.; YARYCHEV, N. U.; BAGHDASARYAN, I. A.; KUTINA, V. P. Política e educação como correlatos regulatórios de poder. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022189, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.17399. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/17399. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.