Atuação dos organismos multilaterais para a governança global

Difusão e transferência de políticas educacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v27i00.18072

Palavras-chave:

Governança global, Organismos Multilaterais, Transferência de políticas, Transnacionalização da educação

Resumo

Objetiva-se analisar formas de atuação dos Organismos Multilaterais (OM) no contexto governança educacional global. A base metodológica se sustenta pela abordagem qualitativa a partir da pesquisa bibliográfica e documental. Os dados apresentados permitem identificar um modus operandi de OM, como UNESCO, UNICEF e Banco Mundial, aperfeiçoado de forma a corroborar com a interdependência produzida na Governança Global, estabelecida pelos acordos da política internacional, envolvendo redes internacionais e domésticas. Nesse cenário, os OM vêm atuando como difusores e mediadores no processo de transferência de políticas, o que permite integrar redes híbridas de governança. Incidentemente, a transferência ocorre mediante a recontextualização e adaptação de políticas, de forma não linear, para a legitimação e o encaminhamento de agendas globais, sob a ostentação da ideia ilusória de que houve trocas, partilhas e negociações, mas que, em sua maior parte, corroborou para a transnacionalização da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Maria Bortot, Universidade Federal do Paraná

Pós-Doutoranda em Educação pela UFPR. Doutorado em Educação (UFPR).

Elisangela Alves da Silva Scaff, Universidade Federal do Paraná

Professora associada do Departamento de Planejamento e Administração Escolar da Universidade Federal do Paraná (DEPLAE/UFPR). Doutorado em Educação e Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo.

Kellcia Rezende Souza, Universidade Federal da Grande Dourados

Professora Adjunta da Faculdade de Educação Pós-Doutoranda em Educação Pela UFPR e Doutorado em Educação Escolar (Unesp-Araraquara).

Referências

ANSELL, C.; TORFING, J. Introduction: theories of governance. In: ANSELL, C.; TORFING, J. Handbook on Theories of Governance. Cheltenham/Northampton: Edward Elgar, 2016. p. 1-17.

BALL, S. Following policy: networks, network ethnography and education policy mobilities. Journal of Education Policy, v. 31, n. 5, p. 549–566, 2 set. 2016.

BARNETT, M.; FINNEMORE, M. Rules for the World: International Organizations in Global Politics. Cornell University Press, 2004.

BARROSO, J. Organização e regulação dos ensinos básico e secundário, em Portugal: sentidos de uma evolução. Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 82, p. 63-92, 2003.

BEVIR, M.; RHODES, R. A. W. The state as cultural practice. New York, NY: Oxford University Press, 2011.

BORTOT, C. M. Transferência de Políticas Educacionais para a Infância na América Latina e Caribe: práticas intersetoriais de Governança Global nos casos cubano e brasileiro. 2022. 449 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2022.

BORTOT, C. M.; SCAFF, E. A. DA S. Organismos internacionales y gobernanza regional: una policy transfer para la educación de la infancia en países de América Latina y el Caribe. Revista Iberoamericana de Educación, v. 83, n. 1, p. 31-51, 20 maio 2020.

DARDOT, P; LAVAL, C. A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DOLOWITZ, D. P.; MARSH, D. Who learns what from whom: a review of the policy transfer literature. Political Studies, Oxford, v. 44, p. 343-357, 1996.

FINKELSTEIN, L. What is global governance? Global Governance: A Review of Multilateralism and International Organizations, v. 1, n. 3, p. 367-372, set./dez. 1995.

GÓMEZ, A. M. S. La contextualización del Modelo de Atención Educativa no Institucional Cubano “Educa a tu Hijo” en Países Latinoamericanos. UNICEF/OEI, 2011.

GONNET, C. O. The role of international organizations in a policy diffusion process. Preliminary discussion about the Conditional Cash Transfers programs in Latin America. In: Chilean Congress of Political Science, 10., 2012, Santiago. Anais […]. Santiago, Chile: ACCP, 2012.

HARVEY, D. Abrief history of neoliberalism. Oxford; New York: Oxford University Press, 2005.

HARVEY, D. O neoliberalismo: História e implicações. São Paulo: Loyola, 2008.

MASCARO, A. L. Estado e forma política. São Paulo: Boitempo, 2013.

MÉSZÁROS, I. Educação para além do capital. São Paulo, SP: Boitempo, 2005.

OLIVEIRA, O. A dimensão internacional do Orçamento Participativo: uma da interação entre elites e instituições no processo de difusão. In: SEMINÁRIO DISCENTE DA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA DA USP, 2., 2013. Anais [...]. São Paulo: USP, 2013.

OLIVEIRA, O. P.; PAL, L. A. Novas fronteiras e direções na pesquisa sobre transferência, difusão e circulação de políticas públicas: agentes, espaços, resistência e traduções. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 52, n. 2, p. 199-220, mar./abr. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Declaração mundial sobre educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia: UNESCO, 1990.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Declaração de Dakar. Texto adotado pela Cúpula Mundial de Educação Dakar, Senegal, 26 a 28 de abril de 2000.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Conferência Mundial sobre Educação e Cuidado na Primeira Infância: Marco de Ação e de Cooperação de Moscou – aproveitar a riqueza das Nações. Brasília, DF: 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Declaração de Incheon Educação 2030: rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Brasília, DF: UNESCO, 2015.

PROCOPIUCK, M.; FREY, K. Redes de políticas públicas e de governança e sua análise a partir da websphere analysis. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 17, n. 34, p. 63-83, out. 2009.

PRONKO, M. O Banco Mundial no campo internacional da educação. In: PEREIRA, J. M. M.; PRONKO, M. (org.). A demolição de direitos: Um exame das políticas do Banco Mundial para a educação e a saúde (1980-2013). Rio de Janeiro: EPSJV, 2015. p. 89-112.

RHODES, A. W. Waves of governance. In: LEVI-FAUR, D. (Ed.). The Oxford handbook of governance. Oxford: Oxford University Press. p. 33-48, 2012.

SCHNEIDER, V. Redes de políticas públicas e a condução de sociedades complexas. Civitas – Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 5. n. 1, p. 29- 58, jan./jun. 2005.

SHIROMA, E. O.; EVANGELISTA, O. Formação humana ou produção de resultados? trabalho docente na encruzilhada. Revista Contemporânea de Educação, v. 10, n. 20, p. 315-341, jul./dez. 2015.

SHIROMA, E. Redes, experts e a internacionalização de políticas educacionais. Revista de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa, v. 5, e2014425, 2020.

STEINER-KHAMSI, G. Understanding travelling reforms from a systems perspective. In: FAUL, M.; SAVAGE, L. Systems Thinking in International Education and Development. Cheltenham, UK, 2023. p. 86-104.

STONE, D. Non-Governmental Policy Transfer: The Strategies of Independent Policy Institutes. Governance, v. 13, n. 1, p. 45-62, 2000.

THIESEN, J. S. Currículos da Educação Básica Brasileira: convergências com o discurso educacional global em contextos de internacionalização. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 420-436, abr./jun., 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i2.11306.

TINAJERO, A. R. Ampliación de los servicios de desarrollo infantil temprano en Cuba: Programa Educa a Tu Hijo de Cuba: Estrategias y lecciones de su proceso de ampliación de cobertura, Wolfensohn Center for Development, Documento de Trabajo 16. Washington, DC: Brookings Institution, 2010.

VERGER, A. A política educacional global: conceitos e marcos teóricos chave. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 14, n. 1, p. 9-33, jan./abr. 2019.

Publicado

22/05/2023

Como Citar

BORTOT, C. M.; SCAFF, E. A. da S.; SOUZA, K. R. Atuação dos organismos multilaterais para a governança global: Difusão e transferência de políticas educacionais. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 27, n. 00, p. e023026, 2023. DOI: 10.22633/rpge.v27i00.18072. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/18072. Acesso em: 30 set. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)