Formação de profissionais de educação infantil: experiências de estágio supervisionado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.11099

Palavras-chave:

Formação docente, Estágio supervisionado, Educação infantil.

Resumo

O trabalho objetiva refletir sobre nossa experiência como professoras do estágio supervisionado obrigatório do curso de Pedagogia da Universidade Federal Fluminense, compreendido como um campo de conhecimentos que supera a tradicional atividade prática instrumental. Aluno(a)s deparam-se com realidades cotidianas nas escolas de Educação Infantil onde vivem a ruptura teoria/prática necessária como área formativa de estudos e construções educacionais. Destacamos Japiassu e a pedagogia da incerteza porque rompe com dogmas e verdades absolutas no processo educativo, dialogamos com Vygotsky e a ênfase na compreensão dos sentidos e significados de vivências e com Nóvoa sobre a atividade docente e a reflexão sobre as práticas. Os autores e suas teses nos ajudam a entender a formação docente como um campo epistemológico.

Biografia do Autor

Virginia Georg Schindhelm, Universidade Federal Fluminense (INFES) Professora adjunta.

Psicóloga, mestre e doutora em Educação.

Professora adjunta da faculdade de Educação. Departamento de Ciências Humanas (PCH) da Universidade Federal Fluminense (INFES). Área: Psicologia da Educação e Educação Infantil.

Maria Luisa Furlin Bampi, UFF/SENAI/Coordenação Acadêmica do Ensino Superior. AVM Professora de Pós-Graduação presencial.

UFF/SENAI/Coordenação Acadêmica do Ensino Superior.
AVM Professora de Pós-Graduação presencial.

Referências

GUIZZO, Bianca.; FELIPE, Jane. Legislação e políticas públicas para a Educação Infantil: articulações com a formação docente, Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 28, n. 3, set./dez. 2012.

JAPIASSU, Hilton. A pedagogia da incerteza e outros estudos. Rio de Janeiro: Imago, 1983.

KRAMER, Sonia.; CORSINO, Patricia.; NUNES, Maria Fernanda. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no ensino fundamental. São Paulo: Educação e Pesquisa. v. 37, n. 1, 220 p. 69-85, jan./abr. 2011.

KRUG, Hugo Norberto et al. Estágio Curricular supervisionado em Educação Física: significado e importância sob a ótica dos acadêmicos do curso de licenciatura. Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física (GEPEF/UFSM); apresentado no XXVII Simpósio Nacional de Educação Física, Pelotas - RS, 2008.

NÓVOA, Antonio. Como formar professores para o futuro. III Encontro PIBID, 2011, Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=KrR1aJ5A9Go. Acesso em: 11 jan. 2018.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Vygotsky. Aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997. (Pensamento e ação no magistério).

PIMENTA, Selma Garrido.; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2008.

TOASSA, Gisele.; SOUZA, Marilene Proença Rebello de. As vivências: questões de tradução, sentidos e fontes epistemológicas no legado de Vygotsky. Psicologia USP. São Paulo, v. 21, n. 4, 2010. Disponível em: www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103- 65642010000400007&script. Acesso em: 29 jan. 2018.

VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de. Formação dos Profissionais de Educação Infantil: reflexões sobre uma experiência. Revista Em Aberto, Brasília, v. 18, n. 73, p. 98-111, jul 2001. Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto. Acesso em: 26 abr. 2013.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Publicado

01/01/2019

Como Citar

Schindhelm, V. G., & Bampi, M. L. F. (2019). Formação de profissionais de educação infantil: experiências de estágio supervisionado. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 14(1), 280–292. https://doi.org/10.21723/riaee.v14i1.11099

Edição

Seção

Relatos de Experiência