O estágio supervisionado: fios, desafios, movimentos e possibilidades de formação

Luis Távora Furtado Ribeiro, Osmar Hélio Alves Araújo

Resumo


Discute-se aqui o estágio supervisionado como um processo que deve possibilitar aos estagiários fazer uso constante do diálogo, da indagação e da reflexão sobre as experiências, as habilidades, as atitudes e os conhecimentos construídos e em construção, buscando sempre dar significado às aprendizagens apreendidas a partir deste processo. Com base em pesquisas e ensaios relevantes sobre o tema, busca-se aqui sublinhar a experiência do estágio como um processo contínuo e dinâmico de aprendizagens acerca da profissão docente, assim como suas relações com os variados territórios e tempos e, ainda, os modos de ser, de fazer e de estar na profissão. Conclui-se sublinhando a importância de se vivenciar uma experiência do estágio ancorando-se em uma perspectiva crítica-reflexiva, assim como a relevância da participação, do interesse e do estagiário manter uma postura ativa nas atividades realizadas no estágio. 


Palavras-chave


Estágio supervisionado. Formação docente. Contexto escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


ADRIÃO, T.; GARCIA, T.; BORGHI, R.; ARELARO, L. Uma modalidade peculiar de privatização da educação pública: a aquisição de sistemas de ensino- por municípios paulistas. Educação e Sociedade, v. 30, n. 108, p. 799-818, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2017.

ARAÚJO, Osmar Hélio Alves.; RIBEIRO, Luís Távora Furtado. A didática e a pedagogia como suporte teórico para uma coordenação pedagógica qualificada. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v.20, n.2, p. 501-513, 2016. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.22633/rpge.v20.n3.9533>. ISSN: 1519-9029. Acesso em: 29 abr. 2017.

ARAÚJO, Osmar Hélio Alves.; RIBEIRO, Luís Távora Furtado.; PINHEIRO, Maria Nerice dos Santos. Tecnologias móveis nos processos de ensino e de aprendizagem: mobilidade docente?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. v. 11, n. 1, janeiro/março de 2016. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.21723/riaee.2016.v11.n1.p95>. ISSN: 1982-5587. Acesso em: 29 abr. 2017.

AZEVEDO, Maria A. R. de.; Andrade,Maria de F. R. de. O trabalho de orientação dos estágios frente aos diferentes cenários educacionais. Currículo sem Fronteiras, v.11, n.2, pp.147-161, Jul/Dez 2011. Disponível em: < http://www.curriculosemfronteiras.org/vol11iss2articles/azevedo-andrade.pdf >. Acesso em: 12 maio 2017.

BRANDÂO, Zaia. Abordagens alternativas para o ensino de didática. In: CANDAU, Vera Maria (org.) A didática em questão. 28. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, p. 55-65.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Conselho Nacional de Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: < http://www.mec.gov.br/legis/pdf/LDB.pdf >. Acesso em: 12 maio 2017.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Práticas pedagógicas de ensinar-aprender: por entre resistências e resignações. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 3, p. 601-614, jul./set. 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 13. ed. São Paulo, Paz e Terra, 1996.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico na escola. Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 129, p. 1085-1114, out.-dez., 2014. Disponível: Acesso em:< http://www.scielo.br/pdf/es/v35n129/0101-7330-es-35-129-01085.pdf >. 22 nov. 2016.

LUCKESI, Cipriano Carlos. O papel da didática na formação do educador. In: CANDAU, Vera Maria (org.) A didática em questão. 28. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, p. 25-34.

LIMA, Maria Socorro Lucena.A hora da prática: reflexões sobre o estágio supervisionado e ação docente. 4. ed., rev. e ampl. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2004. (Coleção magister).

LIMA, Maria Socorro Lucena. Reflexões sobre o estágio supervisionado na formação de professores. Revista Diálogo Educ., Curitiba-PR, v. 8, n. 23, jan./abr/2008, p. 195 -205. Disponível em:< http://nead.uesc.br/arquivos/Biologia/mod5bloco4/texto-reflexoes_sobre_estagio-e-pratica-de-ensino.pdf >. Acesso em: 28 abr. 2017.

MASCARENHAS, Aline Daiane Nunes.; FRANCO, Maria Amélia Santoro. DE PEDAGOGOS A PROFESSORES: balanço de uma década das diretrizes curriculares dos cursos de pedagogia no Brasil. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga, v. 2, n.1, p. 41-55, 2017. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ep/v41n3/1517-9702-ep-41-3-0601.pdf >. Acesso em: 28 abr. 2017.

MILANESI, Irton. Estágio supervisionado: concepções e práticas em ambientes escolares. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 46, p. 209-227, out./dez. 2012. Editora UFPR. Disponível em:. Acesso em: 12 maio 2017.

MONTEIRO, Ana Maria. A prática de ensino e a produção de saberes na escola. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Didática, currículo e saberes escolares. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 129-148.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2009.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Docência em formação).

SCHÖN, Donald A. La formación de profesionales reflexivos. Hacia um nuevo diseño de la enseñanza y aprendizaje emlãsprofisiones. Barcelona: Paidós, 1992.

TARDIF, Maurice. Os professores enquanto sujeitos do conhecimento: subjetividade, prática, e saberes no magistério. In: CANDAU, Vera Maria (org.). Didática, currículo e saberes escolares. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 112-128.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.10280



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.