A epistemologia dialética na atividade pedagógica: realidade e possibilidade na formação do professor da infância

Autores

  • Marta Silene Ferreira Barros Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Dayanne Vicentini Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.11123

Palavras-chave:

Educação, Epistemologia dialética, Atividade Pedagógica, Formação do professor.

Resumo

O presente estudo tem como objetivo central, compreender a importância do conhecimento científico na práxis pedagógica do professor da infância. A pesquisa se justifica devido ao fato de grande parte dos educadores infantis receberem uma formação precária, refletindo em práticas pautadas no senso comum, em detrimento do conhecimento científico. Isso vem ocasionando uma fragilidade em sua práxis pedagógica, que acaba por interferir na qualidade da aprendizagem e do desenvolvimento da criança. A metodologia elegida para a realização do estudo está pautada na pesquisa bibliográfica, a qual subsidiou-se nos pressupostos da epistemologia dialética. Os resultados revelaram que as práticas espontâneas estão presentes na atividade pedagógica do professor de Educação Infantil e não proporcionam o conhecimento científico por parte do educador. Diante do exposto, avalia-se como possibilidade, a superação dessas práticas por meio da apropriação do conhecimento científico e a defesa do ensino intencional baseado em estudos e pesquisas para a realização de uma práxis de qualidade junto à criança pequena.

Biografia do Autor

Marta Silene Ferreira Barros, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba ? UEPB (1991); Bacharel em Psicologia pela Faculdade Ingá - UNINGÁ (2008); Especialista em ?O Pensamento Educacional no Brasil? pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (1995). Especialização em Terapia de Casal e Família (2012). Mestrado em Eucação ( Filosofia da Educação) pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP (1998). Doutorado em Educação na área de Didática, Teorias de Ensino e Prática Escolares pela Universidade de São Paulo - USP (2004).

Dayanne Vicentini, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Londrina (2015). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (2018). Possui a formação de professores, a Educação Infantil e o ensino e a aprendizagem como linha de pesquisa , cujo fundamento situa-se na perspectiva do Materialismo Histórico- Dialético. Participa como pesquisadora no grupo FOCO ( Formação e Concepções do Materialismo Histórico-Dialético na Educação) e no grupo de estudos e práticas OBEDUC ( Observatório da Educação). Atua como professora na Educação Infantil e nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino de Cambé desde 2016.

Referências

ARCE, A. O jogo e o desenvolvimento infantil na teoria da atividade e no pensamento educacional de Friedrich Froebel. Cadernos Cedes, Campinas, v 24, n. 62, p. 9-25. 2004.

CHAVES, M. Formação contínua e práticas educativas: possibilidades humanizadoras. In: CAÇÃO, M. I.; MELLO, S.A.; SILVA, V. P. da. Educação e desenvolvimento humano. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2014.

KLEIN, L. R. Fundamentos para uma proposta pedagógica. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/sem_pedagogica/fev_2010/fundamentos_proposta_pedagogica.pdf. Acesso em: 15 jan. 2018.

MARTINS, L. M.; MARSIGLIA, A. C. G. As perspectivas construtivistas e histórico-crítica sobre o desenvolvimento da escrita. Campinas: Autores Associados, 2015.

MELLO, S. A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva Histórico-Cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 83-104, jan./jun., 2007a.

MELLO, S. A. As práticas educativas e as conquistas de desenvolvimento das crianças pequenas. In: RODRIGUES, E.; ROSIN, S. M. Infância e práticas educativas. Maringá: Eduem, 2007b. p.11-22.

MELLO, S. A.; FARIAS, M. A. A escola como lugar da cultura mais elaborada. Educação (UFSM), v. 1, n. 1, p. 53-68, 2010.

OLIVEIRA, B. A prática social global como ponto de partida e de chegada da prática educativa. In: OLIVEIRA, B.; DUARTE, N. Socialização do saber escolar. 3 ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1987.

OLIVEIRA, Z. M. R.; et al. Construção da identidade docente: relatos de educadores da Educação Infantil. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 129, p. 547-571, set./dez., 2006.

RAUPP, M. D.; ARCE, A. A formação de professores da Educação Infantil: algumas questões para se pensar a profissional que atuará com crianças de 0 a 3 anos.In: ARCE, A.; MARTINS, L. M. Ensinando aos pequenos de 0 a 3 anos. 2 ed. Campinas: Alínea, 2012.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11 ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SILVA, J. C. O que o cotidiano das instituições de educação infantil nos revela? O espontaneísmo X o ensino. In: ARCE, A.; MARTINS, L.(Orgs). Ensinando aos pequenos de zero a três anos. 2 ed. Campinas: Alínea, 2012.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. Tradução de Luiz Fernando Cardoso. São Paulo: Paz e Terra, 1968.

TORRIGLIA,P.L. A formação docente no contexto histórico-político das reformas educacionais no Brasil e na Argentina. 2004. Tese (Doutorado em Educação), Centro de Ciências da Educação. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,2004.

Downloads

Publicado

01/12/2018

Como Citar

Ferreira Barros, M. S., & Vicentini, D. (2018). A epistemologia dialética na atividade pedagógica: realidade e possibilidade na formação do professor da infância. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 13, 1952–1963. https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.11123

Edição

Seção

Artigos