Da solidão ao encontro

Argumentos em torno da formação de professores em perspectiva colaborativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.17007

Palavras-chave:

Formação de professores, Currículo, Didática, Perspectiva Colaborativa

Resumo

O artigo apresenta argumentos em defesa de uma formação de professores em perspectiva colaborativa, a partir do entrelaçamento de estudos desenvolvidos nas áreas de formação de professores, currículo e didática. Em termos metodológicos, trata-se de um ensaio teórico, com o objetivo de oferecer contribuições para uma formação docente sustentada pela colaboração. Seus resultados apontam para a relevância da perspectiva colaborativa na formação de professores, visto que, quando constitutiva da cultura profissional docente, pode contribuir para uma educação humanizadora, o desenvolvimento profissional docente e o fortalecimento da autonomia na profissão. Além disso, a colaboração no contexto da docência corrobora com uma educação fundada na diferença como vantagem pedagógica, pelo reconhecimento da escola como comunidade onde todos aprendem, ensinam e partilham experiências. A partir do debate, compreendemos ser urgente e possível, em colaboração, que os professores experimentem e compartilhem outras docências em direção a um exercício profissional coletivo, democrático, reflexivo e inclusivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Monica dos Santos Toledo, Universidade Federal Fluminense

Professora do Colégio Universitário Geraldo Reis (Coluni-UFF). Doutoranda em Educação (PPGE-UFF).

Mônica Vasconcellos, Universidade Federal Fluminense

Professora da Faculdade de Educação (FEUFF), vinculada ao departamento Sociedade, Educação e Conhecimento (SSE). Doutora em Educação (UFMS).

Referências

ANDRÉ, M. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 174-181, set./dez. 2010. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8075. Acesso em: 17 mar. 2022.

BOAVIDA, A. M.; PONTE, J. P. Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas. In: GTI (org.). Reflectir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa, Portugal: APM, 2002. p. 43-55.

CANDAU, V. M. Didática, interculturalidade e formação de professores: desafios atuais. Revista Cocar, Edição Especial, n. 8, p. 28-44, jan./abr. 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3045. Acesso em: 17 mar. 2022.

CONTRERAS, J. A autonomia perdida: a proletarização dos professores. In: CONTRERAS, J. A autonomia de professores. Tradução: Sandra T. Valenzuela. São Paulo, Cortez, 2002.

CRECCI, V. M.; FIORENTINI, D. Desenvolvimento profissional de professores em comunidades com postura investigativa. Acta Scientiae, Canoas, v. 15, p. 9-23, 2013. Disponível em: http://funes.uniandes.edu.co/28115/1/Crecci2013Desenvolvimento.pdf. Acesso em: 01 fev. 2022.

DAMIANI, M. F. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar, Curitiba, n. 31, p. 213-230, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/FjYPg5gFXSffFxr4BXvLvyx/abstract/?lang=pt. Acesso em: 02 jun. 2022.

DINIZ-PEREIRA, J. E. A construção social do individualismo na profissão docente: como transcender as fronteiras tradicionais da identidade dos professores? Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, v. 20, n. 2, p. 127-142, maio/ago. 2015. Disponível em: https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/2993. Acesso em: 17 mar. 2022.

FIALHO, I.; SARROEIRA, L. Cultura profissional dos professores numa escola em mudança. Educação: Temas e problemas, Évora, v. 9, 2012. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/62455423.pdf. Acesso em: 17 mar. 2022.

FIORENTINI, D. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, M. de C.; ARAÚJO, J. L. (org.). Pesquisa qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. p. 47-76.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 60. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 66. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2020.

GATTI, B. A. et al. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília, DF: UNESCO, 2019.

NACARATO, A. M. A parceria universidade-escola: utopia ou possibilidade de formação continuada no âmbito das políticas públicas? Revista Brasileira de Educação, v. 21 n. 66, p. 699-716, jul./set. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/Mm8xztGfGW37CXqyVcWWDbK/abstract/?lang=pt. Acesso em: 17 mar. 2022.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/WYkPDBFzMzrvnbsbYjmvCbd/abstract/?lang=pt Acesso em: 25 jan. 22.

NÓVOA, A. Os Professores e a sua Formação num Tempo de Metamorfose da Escola. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 3, p. 1-15, 2019a. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edreal/a/DfM3JL685vPJryp4BSqyPZt/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 25 jan. 2022.

NÓVOA, A. Tres tesis para una tercera visión. Repensando la formación docente. Revista de currículum e formación del profesorado, v. 23, n. 3, p. 211-222, jul./set. 2019b. Disponível em: https://revistaseug.ugr.es/index.php/profesorado/article/view/10280. Acesso em: 02 jun. 2022.

NÓVOA, A.; ALVIM, Y. Os professores depois da pandemia. Educação & Sociedade, v. 42, p. 1-16, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/mvX3xShv5C7dsMtLKTS75PB/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 25 jan. 2022.

OLIVEIRA, M. R. Didática, currículo e formação de professores: relações históricas e emancipadoras. In: CANDAU, V.; CRUZ, G. B.; FERNANDES, C. (org.). Didática e fazeres-saberes pedagógicos: diálogos, insurgências e políticas. Petrópolis/RJ: Vozes, 2020. p. 213-229.

PIMENTA, S. G. et al. A construção da didática no GT Didática - análise de seus referenciais. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 52, p.143-241, jan./mar. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/RFYZ7MKBRypV7WhmcFP34NP/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 25 jan. 2022.

PIMENTA, S. G. Formação de Professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

RICHIT, A.; PONTE, J. P.; TOMKELSKI, M. L. Desenvolvimento da prática colaborativa com professoras dos anos iniciais em um estudo de aula. Educar em Revista, Curitiba, v. 36, p. 1-24, 2020. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/69346. Acesso em: 25 jan. 2022.

ROLDÃO, M. do C. Currículo, didática e formação de professores – a triangulação esquecida? In: OLIVEIRA, M. R. (org.). Professor: formação, saberes e problemas. Porto/PT: Porto Editora, 2014. p. 93-104.

ZEICHNER, K. Uma análise crítica sobre a reflexão como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 535-554, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/bdDGnvvgjCzj336WkgYgSzq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 02 jun. 2022.

ZEICHNER, K. Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p.479-504, set./dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2357. Acesso em: 01 fev. 2022.

Publicado

27/11/2023

Como Citar

TOLEDO, M. dos S.; VASCONCELLOS, M. Da solidão ao encontro: Argumentos em torno da formação de professores em perspectiva colaborativa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023109, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.17007. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17007. Acesso em: 14 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.