Reflexões históricas e sociológicas para uma gestão democrática da escola no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24i3.13550

Palavras-chave:

Estado, Democracia, Gestão escolar, Autonomia

Resumo

Este artigo analisa a gestão escolar como um processo que revela ser um fenômeno social integrado na superestrutura do Estado, em sua dimensão da sociedade civil (a organização espacial e o caráter cultural da escola etc.). As ações que acontecem nessa dimensão fazem com que a gestão e a organização escolares sejam concebidas em suas contradições, complexidades e heterogeneidade. Este artigo dá-se numa perspectiva sociológica e histórica e tem como referencial teórico-metodológico as formulações conceituais, sobretudo, de Florestan Fernandes, de Antonio Gramsci e de Vitor Henrique Paro. Este referencial teórico-metodológico nos auxilia na compreensão mais refinada sobre a gestão colegiada e autônoma como processo dialético, que pode estar voltada, ou não, aos interesses das classes subalternas. Dessa forma, esta investigação aborda o tema da gestão escolar como um fenômeno educativo que tem as suas peculiaridades em razão de seu momento histórico de continuidade e descontinuidade.

Biografia do Autor

Wilson da Silva Santos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Catité – BA

Professor Adjunto no Departamento de Ciências Humanas. Doutorado em Filosofia e História da Educação (UNICAMP).

Referências

ABREU, M. Organização da educação nacional na constituição e na LDB. 2. ed. Unijuí, 1999.

CHAUÍ, M. Cultura e democracia. São Paulo: Cortez, 1986.

FAORO, R. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 8. ed. São Paulo: Globo, 1976.

FERNANDES, F. A Revolução burguesa no brasil: ensaio de interpretação sociológica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Introdução ao estudo da filosofia. A filosofia de Benedetto Croce. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Luiz Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. v. 1.

GRAMSCI, A. Obras escolhidas. São Paulo: Martins Fontes, 1978.

GRAMSCI. A. Cadernos do cárcere. Maquiavel. Notas sobre o Estado e a política. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Luiz Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. v. 3.

NOGUEIRA, M. A. Um Estado para a sociedade civil: temas éticos e políticos da gestão democrática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

PARO, V. H. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

PARO, V. H. Gestão democrática da escola pública. 3. ed. São Paulo: Ática, 2000.

PRAIS, M. L. M. Administração colegiada na escola pública. 3. ed. Campinas: Papirus, 1994.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1980.

SPOSITO, M. P. Educação, gestão democrática e participação popular. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 15, n. 1, jan./jun. 1990.

WEFFORT, F. Qual democracia? São Paulo: Companhia das Letras, 1978.

Downloads

Publicado

01/09/2020

Como Citar

Santos, W. da S. (2020). Reflexões históricas e sociológicas para uma gestão democrática da escola no Brasil. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 24(3), 1333–1349. https://doi.org/10.22633/rpge.v24i3.13550