Constituição de carreiras inexistentes, uma leitura a partir de Max Weber

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24i3.13579

Palavras-chave:

Direção escolar, Democracia, Escolha de diretores, Escola pública.

Resumo

O artigo discute, à luz dos conceitos de ação social, burocracia, poder e dominação, de Max Weber, a constituição da “carreira de direção escolar” em escolas públicas de Curitiba/PR. O termo foi cunhado a partir da pesquisa sobre a escolha, por meio de consulta à comunidade escolar, das funções de direção e vice-direção das escolas. Constatou-se, a partir do resultado dos pleitos ocorridos desde 1983, que um grupo de profissionais, concursados para a docência no município, constituiu suas carreiras em função distinta àquela dos concursos que prestaram: a função diretiva das escolas. Uma vez eleitos, muitos no primeiro pleito ocorrido no Município, no início dos anos 1980, só saíram da função de direção para aposentar-se.

Biografia do Autor

Renata Riva Finatti, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988.

BRASIL. Lei n. 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF: MEC, p. 27833, 23 dez. 1996. PL 1258/1988.

CASTRO, M. Um estudo das relações de poder na escola pública de ensino fundamental à luz de Weber e Bourdieu: do poder formal, impessoal e simbólico ao poder explícito. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 24, n. 1, p. 9-22, jan. 1998. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-25551998000100002

FINATTI, R. R. Eleições como forma de provimento da direção escolar na Rede Municipal de Ensino de Curitiba. Orientador: Ângelo Ricardo de Souza. 2016. 186 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

WEBER, M. A “objetividade” do conhecimento nas ciências sociais. In: WEBER, M. Weber – coleção grandes cientistas sociais. São Paulo: Ática, 2003.

WEBER, M. Ciência e Política: duas vocações. Trad. Leonidas Hegenberg e Octany Silveira da Mota. 18. ed. São Paulo: Cultrix, 2011.

WEBER, M. Economia y Sociedad: esbozo de sociologia comprensiva. Trad. José Medina Echavarría, Juan Roura Parella, Eugenio Ímaz, Eduardo Garcia Máynez e José Ferrater Mora. Madrid: Fondo de Cultura Económica de España, 2002.

Publicado

01/09/2020

Como Citar

FINATTI, R. R. Constituição de carreiras inexistentes, uma leitura a partir de Max Weber. Revista on line de Política e Gestão Educacional, [S. l.], v. 24, n. 3, p. 1445–1460, 2020. DOI: 10.22633/rpge.v24i3.13579. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/13579. Acesso em: 8 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos