A adoção da nova gestão pública nas agendas governamentais em diferentes países: influências nas reformas educacionais e no ensino médio mineiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v22iesp3.12012

Palavras-chave:

Nova gestão pública, Reforma do Estado, Reformas educacionais, Ensino médio.

Resumo

O presente artigo apresenta aspectos concernentes a adoção dos princípios políticos e diretrizes operacionais veiculados pela Nova Gestão Pública nas agendas governamentais de diferentes países. A partir de análises bibliográfica e documental, colocamos em relevo as diferentes dimensões da instalação da lógica mercantil da Nova Gestão Pública no âmbito educacional, sua hegemonia nas reformas educacionais em alguns países da Europa e da América Latina e suas repercussões no Ensino Médio em Minas Gerais. As reflexões que tangenciam o texto têm como objetivo precípuo problematizar a redefinição do sentido público da escola pública e permite-nos concluir que o provimento de bens sociais pela esfera privada ou de organizações públicas não-estatais está eivado de interesses voltados para a autovalorização das entidades provedoras e para a produção de um novo homo economicus consoante com o modus operandi neoliberal em voga no tempo presente.

Biografia do Autor

Maria Vieira Silva, UFU

Doutora em Educação pela UNICAMP. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia, com atuação no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação, Mestrado e Doutorado.

Leonice Matilde Richter, UFU

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com estágio doutoral na Universidade do Minho, Portugal. Professora do Instituto de Ciências Humanas do Pontal (ICHPO/UFU), com atuação no curso de Pedagogia.

Referências

ADRIÃO, T.; et al. Uma modalidade peculiar de privatização da educação pública: a aquisição de "sistemas de ensino" por municípios paulistas. Educ. Soc., v. 30, n. 108, out., 2009.

ANDERSON, P. Balanço do Neoliberalismo. In: SADER, E.; GENTILI, P. Pós-Neoliberalismo: as políticas sociais e o estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

BOURDIEU, P. Contrafogos, táticas para a invasão neoliberal. Rio de Janeiro, Zahar, 1998.

BRASIL. Presidência da República. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, 1995.

DEROUE, J.L.; NORMAND, R.; PACHECO, R.G.P.; La modernización del sistema educativo en Francia: la nueva gestión pública entre la afirmación del Estado y la gobernanza descentralizada. Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 132, p. 723-741, jul./set., 2015

FELDFEBER, M. Estado e reforma educativa: la construcción de nuevos sentidos para la educación pública em la Argentina in: Feldefeber, M (comp.) Los sentidos de lo publico. Reflexiones desde el campo educativo, Buenos Aires: Centro de Publicaciones Educativas y Material Didáctico, 2009.

HALL, D.; GUNTER, H. A nova gestão pública na Inglaterra: a permanente instabilidade da reforma neoliberal. Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, n. 132, p. 743-758, jul./set. 2015.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna. 13 ed. São Paulo: Edições Loyola. 2004.

NEWMAN J. CLARKE J. Gerencialismo. Educ. Real., Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 353-381, maio/ago. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edreal/v37n2/03.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

NORMAND, R. A profissão docente à prova da Nova Gestão Pública: a reforma inglesa da Terceira Via. Revista Educação em Questão, Natal, v. 46, n. 32, p. 37-50, maio/ago. 2013

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democrático-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 132, p. 625-646, jul.-set., 2015

RICHTER, L. M. Trabalho docente, políticas de avaliação em larga escala e accountability no Brasil e em Portugal. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Uberlândia, 2015.

SANO, H. ABRUCIO, L.F. Promessas e resultados da nova gestão pública no Brasil: o caso das organizações sociais de saúde em São Paulo in: Revista de Administração de Empresas, v. 48, n. 3, jul./set. 2008.

SILVA, M.V. Empresa e Escola: do discurso da sedução a uma relação complexa, Tese (Tese de Doutorado em Educação) – UNICAMP. Campinas. 2001.

SILVA, M. V.; DINIZ, P. V. Lamana . Enredamentos históricos da participação da esfera privada na questão social e no setor educacional. Educ. Soc., Campinas, v. 35, n. 126, p. 43-59, jan.-mar. 2014.

VERGER, T.; CURRAN, M.; PARCERISA, L. La trayectoria de una reforma educativa global: el caso de la Nueva Gestión Pública en el sistema educativo catalán. Educ. Soc., Campinas, v. 36, nº. 132, p. 675-697, jul./set., 2015

VIOR, S. Privatización de la educaión: fragmentación y disolución de los “interesses comunes” em la sociedade argentina “posneoliberal” in: GOUVEIA, A.B.; FERNANDES, M.D (orgs). Relações público e privado na educação: embates e desdobramentos para a democratização da educação. São Paulo: Xamã, 2013.

Downloads

Publicado

02/12/2018

Como Citar

Silva, M. V., & Richter, L. M. (2018). A adoção da nova gestão pública nas agendas governamentais em diferentes países: influências nas reformas educacionais e no ensino médio mineiro. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 22(esp3), 1276–1296. https://doi.org/10.22633/rpge.v22iesp3.12012

Edição

Seção

Artigos