Desenvolvimento de uma proposta curricular de ciências para os primeiros anos de escolaridade

Fundamentos, processo e produto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v27i00.18275

Palavras-chave:

Ensino das Ciências, Ensino Primário, Currículo de Ciências

Resumo

As preocupações para a promoção da literacia científica para todos estão alinhadas com as recomendações internacionais de organizações como a ONU e OCDE. Diretrizes advogam um ensino das ciências contextualizado, sequencial e sistemático desde os primeiros anos de escolaridade. Em Portugal, o currículo de ciências do ensino primário (6-10 anos de idade) privilegia os conhecimentos em detrimento das capacidades e atitudes e valores e revela a ausência de orientações explícitas para o ensino das ciências o que motivou a sua reformulação. Este artigo descreve o processo de desenvolvimento de uma proposta curricular para o ensino das ciências para os primeiros anos. Adotou-se a metodologia EDR e através da análise comparativa do atual currículo português da área de ciências, para o ensino primário com o de outros países (Singapura, Estados Unidos, Austrália, Inglaterra e Canadá) desenhou-se uma nova proposta de projeto curricular alinhada com uma perspectiva IBSE e orientação CTS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Christine Silva, Universidade de Aveiro

Bolseira de doutoramento no Departamento de Educação e Psicologia com bolsa FCT (SFRH/BD/143370/2019). Membro do Laboratório Aberto de Educação em Ciências (LEduC) e Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF).

Ana Valente Rodrigues, Universidade de Aveiro

Professora auxiliar no Departamento de Educação e Psicologia. Membro do Laboratório Aberto de Educação em Ciências (LEduC) e Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF).

Referências

AFONSO, M. M. A educação científica no 1.o ciclo do Ensino Básico: das teorias às práticas. Porto: Porto Editora, 2008.

AKMAN, B.; ÖZGÜL, S. G. Role of play in teaching science in the early childhood years. In: TRUNDLE, K. C.; SAÇKES, M. (ed.). Research in Early Childhood Science Education, p. 237-258. Dordrecht: Springer, 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2018.

BORGES, F.; REIS, C.; FERNANDES, J. A. Percepções de professores portugueses do 1º ciclo do ensino básico sobre a abordagem da educação ambiental na escola. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, [S.I], v. 1, n. 1, p. 187-202, 2012. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen11/REEC_11_1_10_ex558.pdf. Acesso em: 15 jul. 2022.

BUENO, A. P. La construcción del conocimiento científico y los conte-nidos de ciências. In: ALEIXANDRE, M. P. J. (coord.) Enseñar ciências, p. 33-54. Barcelona: Editorial GRAÓ, 2003.

CACHAPUZ, A. Educação em Ciências: Contributos para a mudança. Vitruvian Cogitationes, [S.I], v. 3, n. 2, p. 64–80, 2022. DOI: 10.4025/rvc.v3i2.65705. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/revisvitruscogitationes/article/view/65705. Acesso em: 15 jul. 2023.

CAVADAS, B.; SÁ-PINTO; X. Conceções de estudantes portugueses em formação inicial de professores sobre a evolução e a origem da vida. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, [S.I], v. 20, n. u, p. 1339-1362, 2021. DOI: 10.28976/1984-2686rbpec2020u13391362. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/22018. Acesso em: 15 jul. 2023.

CIASCAI, L.; MARCHIS, M. Critical analysis of the Romanian Mathematics and Sciences school curricula based on the Romanian pupils’ results on international testing. Review of Science, Mathematics and ICT Education, [S.I], v. 3, n. 2, p. 31–48, 2009. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/45258311_Critical_analysis_of_the_Romanian_Mathematics_and_Sciences_school_curricula_based_on_the_Romanian_pupils'_results_on_international_testing. Acesso em: 15 jul. 2022.

COHEN, A. C.; FRADIQUE, J. Guia da Autonomia e Flexibilidade Curricular. Lisboa: Raiz Editora, 2018.

COMISSÃO EUROPEIA/EACEA/EURYDICE. Promover o sucesso e a motivação na aprendizagem da matemática e das ciências nas escolas. Relatório Eurydice. Luxemburgo: Serviço das Publicações da União Europeia, 2023. Disponivel em: https://www.cnedu.pt/pt/noticias/internacional/1919-promover-o-sucesso-e-a-motivacao-na-aprendizagem-da-matematica-e-das-ciencias-nas-escolas. Acesso em: 15 jul. 2023.

CORREIA, M.; FREIRE, A. Perspectivas de professores sobre o ensino experimental das ciências no 1.o Ciclo. In: Educação e formação: ciência, cultura e cidadania. Encontro nacional de Educação em Ciências, v. 3, p. 484-492. Anais [...]. Castelo Branco: Escola Superior de Educação de Castelo Branco, 2009.

COSME, A. Autonomia e flexibilidade curricular. Propostas e Estratégias de Ação. Porto: Porto Editora, 2018.

COSTA, C.; MARTINS, I. P. Educação em Ciências no Primeiro Ciclo do Ensino Básico para o Desenvolvimento Sustentável. Indagatio Didactica, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 30–45, 2016. DOI: 10.34624/id.v8i1.3070. Disponível em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/3070. Acesso em: 25 jul. 2023.

COSTA, M. C.; DOMINGO A. M.; TEODORO, V. D. Promover o ensino experimental das Ciências recorrendo ao questionamento investigativo. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 5, p. 220–240, 2018. DOI: 10.26843/rencima.v9i5.1771. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1771. Acesso em: 15 jul. 2023.

COUTINHO, C. Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: teoria e prática. Coimbra: Edições Almedina, 2014.

DERMAN, M.; GURBUZ, H. Environmental Education in the science curriculum in different countries: Turkey, Australia, Singapore, Ireland, and Canada. Journal of Education in Science, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 129-141, 2018. DOI: 10.21891/jeseh.409495. Disponível em: https://dergipark.org.tr/en/pub/jeseh/issue/36285/409495. Acesso em: 15 jul. 2023.

DUARTE, A. et al. TIMSS 2019 - Portugal. Volume 0: Estudo TIMSS 2019. Lisboa: IAVE, 2020.

FERNANDES, I. M.; PIRES, D.; DELGADO-IGLESIAS, J. Integração de conteúdos CTSA no currículo e nos manuais escolares portugueses de ciências do 2.º CEB: Que relação de continuidade/descontinuidade? Indagatio Didatica, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 986-999, 2016. DOI: 10.34624/id.v8i1.3600. Disponível em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/3600. Acesso em: 15 jul. 2023.

FERNANDES, I. M.; PIRES, D.; DELGADO-IGLESIAS, J. Ciência-tecnologia-sociedade-ambiente nos documentos curriculares portugueses de ciências. Cadernos de Pesquisa, [S. l.], v. 47, n. 165, p. 998–1015, 2017. DOI: 10.1590/198053144260. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/kDFcmBMqjXxqmKWbTg3wmZK/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

FERNANDES, I.; PIRES, D. Educação CTSA em Portugal: uma análise das Metas Curriculares de Ciências Naturais (5.º e 6.º anos). Revista Iberoamericana Ciencia, Tecnología y Sociedad (CTS), [S.I], v. 40, n. 14, p. 225-243, 2019. Disponível em: https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/19140. Acesso em: 15 jul. 2023.

FERREIRA, C. A. A. flexibilidade curricular: um estìmulo à mudança das práticas pedagógicas. Revista Espaço do Currículo, [S.I], v. 13, n. 2, p. 316-325, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.1983-1579.2020v13n1.45563. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rec/article/view/45563. Acesso em: 15 jul. 2023.

FERREIRA, S.; SARAIVA, S. Complexity of practical work in Portuguese primary science textbooks. Investigações em Ensino de Ciências, [S.I], v. 26, n. 3, p. 281-297, 2021. DOI: 10.22600/1518-8795.ienci2021v26n3p281. Disponível em: https://ienci.if.ufrgs.br/index.php/ienci/article/view/2605. Acesso em: 15 jul. 2023.

FURMAN, M. et al. The use of questions in early years science: a case study in Argentine preschools. International Journal of Early Years Education, [S.I], v. 27, n. 3, p. 271-286, 2019. DOI: 10.1080/09669760.2018.1506319. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/09669760.2018.1506319. Acesso em: 15 jul. 2023.

GALVÃO, C. et al. Avaliação de competências em ciências: sugestões para professores dos ensinos básico e secundário. 1. ed. Porto: ASA Editores, 2006.

GLÓRIA, A. C.; ROSA, C.; CAVADAS, B. Conceções dos alunos do 1.º CEB sobre o lobo-ibérico. Revista Electronica de Enseñanza de las Ciencias, [S.I], v. 11, n. 3, p. 620-634, 2012. Disponível em: https://repositorio.ipsantarem.pt/handle/10400.15/751. Acesso em: 15 jul. 2023.

GONÇALVES, C. D.; VALADAS, S.; FREIRE, A. M. Percepções de duas professoras do 1.o Ciclo sobre Actividades preconizadas no EEC. In: Encontro de educação em ciências para o trabalho, o lazer e cidadania, 14, 2022, Braga. Anais eletrônicos [...]. Braga: Universidade do Minho, 2011. Disponível em: https://sapientia.ualg.pt/bitstream/10400.1/1836/1/Artigo%20Final%20Revisto%20ENEC%2015-07-2011.pdf. Acesso em: 26 jun. 2023.

GUALBERTO, L.; RODRIGUES, A. M. Autonomia curricular como fator associado ao desempenho de ciência no PISA. Ciência & Educação, Bauru, v. 27, p. 1-15, 2021. DOI: 10.1590/1516-731320210064. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/zhDgfnq5Nzg8Xjwk5g8HsDt/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

HARLEN, W.; QUALTER, A. The teaching of science in primary schools. London and New York: Routledge, 2018.

HAVU-NUUTINEN, et al. Understanding Early Childhood Science Education: Comparative Analysis of Australian and Finnish Curricula. Research in Science Education, [S.I], v. 52, p. 1093–1108, 2022. DOI: https://doi.org/10.1007/s11165-020-09980-4. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s11165-020-09980-4. Acesso em: 15 jul. 2023.

INTERNATIONAL SCIENCE COUNCIL. Unleashing science: delivering missions for sustainability. Paris: International Science Council, 2021.

SWEE CHIN, N. et al. A Comparative Study of the Curriculum and Approach towards Teaching Science: An International Study. 2022. Disponivel em: https://www.researchgate.net/publication/242019051_A_Comparative_Study_of_the_Curriculum_and_Approach_towards_Teaching_Science_An_International_Study. Acesso em: 15 jul. 2023.

LEITE, L.; DOURADO, L.; MORGADO, S. Formação contínua de professores de ciências, em Portugal: Desafios e formas de os superar. In: CACHAPUZ, A. F., S. N. A.; FORTUNATO, I. (Org.), Formação inicial e continuada de professores de ciências: O que se pesquisa no Brasil, Portugal e Espanha, São Paulo: Edições Hipótese, 2018. p. 235-256.

LÓPEZ CEREZO, J. A. Ciencia, Tecnología y Sociedad: el estado de la cuestión en Europa y Estados Unidos. Revista Iberoamericana de Educación, [S.I], v. 18, p. 41-68, 1998. DOI: 10.35362/rie1801091. Disponível em: https://rieoei.org/RIE/article/view/1091. Acesso em: 15 jul. 2023.

MARTINS, I. P. Educação e Educação em Ciências. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2002.

MCKENNEY, S.; REEVES, T. Conducting Educational Design Research, 2 ed. London: Routledge, 2019.

MCKENNEY, S.; REEVES, T. Educational design research: Portraying, conducting, and enhancing productive scholarship. Medical Education, [S.I], v. 55, p. 82–92, 2021. DOI: 10.1111/medu.14280. Disponível em: https://asmepublications.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/medu.14280. Acesso em: 15 jul. 2023.

MEMBIELA, P. Una revisión del movimiento CTS en la enseñanza de las ciencias. In MEMBIELA, P. (ed.), Enseñanza de las ciencias desde la perspectiva Ciencia-Tecnología- Sociedad - Formación científica para la ciudadanía, Madrid: Narcea, 2001. p. 91-103.

MEMBIELA, P. Una revisión del movimiento educativo ciencia-tecnología-sociedad. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, [S.I], v. 15, n. 1, p.51-57, 1997. Disponível em: https://raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/21476. Acesso em: 15 jul. 2023.

MERCEDES, C.; TEMBLADERA, C. La indagación científica para la enseñanza de las ciencias. Horizonte de la Ciencia, Huacayo, v. 3, n. 5, p. 99-104, 2013. DOI: 10.26490/uncp.horizonteciencia.2013.5.81. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5420523. Acesso em: 15 jul. 2023.

NG, S. C. et al. A Comparative Study of the Curriculum and Approach towards Teaching Science: An International Study. 4th International Conference on Science and Mathematics Education CoSMEd, 2011.DOI: 10.1177/2158244019899432. Disponível em:

https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2158244019899432. Acesso em: 15 jul. 2023.

NUDELMAN, N. S. Educación en ciencias basada en la indagación. Revista Iberoamericana de Ciencia, Tecnología y Sociedad, Buenos Aires, v. 10, n. 28, p. 1-10, 2015. ISSN: 1850-0013. Disponível em: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1850-00132015000100002. Acesso em: 15 jul. 2023.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Evolution of student interest in science and technology studies. Policy report: OECD, 2006. p. 1-18. Disponível em: https://www.oecd.org/science/inno/36645825.pdf. Acesso em: 19 jun. 2023.

ORHAN, A. T. A Comparative Analysis of the Science Curricula Applied in Turkey between 2000 and 2017. International Journal of Higher Education, [S.I], v. 7, n. 6, p. 13-25, 2018. DOI: 10.5430/ijhe.v7n6p13. Disponível em: https://www.sciedupress.com/journal/index.php/ijhe/article/view/14360. Acesso em: 15 jul. 2023.

PANSERA-DE-ARAÚJO, M. C. et al. Enfoque CTS na pesquisa em Educação em Ciências: extensão e disseminação. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, [S.I], v. 9, n. 3, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/3996. Acesso em: 15 jul. 2023.

PAWILEN, G. T.; SUMIDA, M. A Comparative Study of the Elementary Science Curriculum of Philippines and Japan. Education, [S.I], v. 52, n. 1, p. 167-180, 2005. Disponivel em: https://citeseerx.ist.psu.edu/document?repid=rep1&type=pdf&doi=4d67ba0682838dbaffac3d5ac7eca43b2bb05878. Acesso em: 15 jul. 2023.

PEREIRA, A. Educação para a Ciência. Lisboa: Universidade Aberta, 2002.

RAMOS, A. C. N. et al. A educação para a saúde nos primeiros anos de escolaridade em portugal: uma perspetiva a partir dos documentos curriculares oficiais portugueses. Investigações em Ensino de Ciências, [S.I], v. 2, n. 1, p. 176-189, 2023. DOI: 10.22600/1518-8795.ienci2023v28n1p176. Disponível em: https://ienci.if.ufrgs.br/index.php/ienci/article/view/3075. Acesso em: 15 jul. 2023.

REIS, P. Desafios à educação em ciências em tempos conturbados. Ciência & Educação, Bauru, v. 27, p. 1-9, 2021. DOI: 10.1590/1516-731320210000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/r9Wb8h9z9ytj4WrqhHYFGhw/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

RIBEIRO, et al. Ciência-tecnologia-sociedade, alfabetização científica e questões sociocientíficas: convergências e divergências. VIII Seminário Ibero-Americano CTS, 2023. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/siacts/article/view/3771. Acesso em: 15 jul. 2023.

ROBERTS, D. A.; BYBEE, R. W. Scientific Literacy, Science Literacy, and Science Education. In: LEDERMAN, N. G; ABELL, S. K. (org.). Handbook of Research on Science Education. Abingdon: Routledge, 2014. p. 545-558.

ROCARD, M. et al. Science education now: A renewed pedagogy for the future of Europe. Bruxelas: European Commission, 2007.

RODRIGUES, A. V. et al. PEDIME M3.15. MOSPOS – Monitorizar o sucesso para o sucesso. Práticas de ensino formal de ciências nos Agrupamentos de Escolas da CIMT. Relatório. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2019.

RODRÍGUEZ-MIRANDA, F. P.; CARRAPIÇO, F.; SOUSA, C. Que educação científica propõe o currículo oficial em Portugal para o 1º ciclo do ensino básico?. Revista Interacções, [S.I], v. 11, n. 39, p. 272-284, 2016. DOI: 10.25755/int.8737. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/view/8737. Acesso em: 15 jul. 2023.

ROSA, V. A. et al. O TIMSS e a participação de Portugal. Medi@ções, [S.I], v. 9, n. 2, p. 21–35, 2022. DOI: 10.60546/mo.v9i2.288. Disponível em: https://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/article/view/288. Acesso em: 15 jul. 2023.

SÁ, P.; PAIXÃO, F. Competências-chave para todos no séc. XXI: orientações emergentes do contexto europeu. Revista Interacções, [S.I], v. 11, n. 39, p. 243-254, 2016. DOI: 10.25755/int.8735. Disponivel em: https://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/view/8735. Acesso em: 15 jul. 2023.

SALEHJEE, S.; WATTS, M. Becoming Scientific: Developing Science across the life-course. Stories and insights for the journey. Cambridge: Cambridge Scholars Publishing, 2020.

SANTOS, M. E. A cidadania na “voz” dos manuais escolares: O que temos? O que queremos?. Lisboa: Livros Horizonte, 2001.

SANTOS, M.; MAIA, P.; JUSTI, R. Um Modelo de Ciências para Fundamentar a Introdução de Aspectos de Natureza da Ciência em Contextos de Ensino e para Analisar tais Contextos. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, [S.I], v. 20, p. 581–616, 2020. DOI: 10.28976/1984-2686rbpec2020u581616. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/19938. Acesso em: 15 jul. 2023.

SANTOS, W. L. P. DOS; MORTIMER; E. F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, [S.I], v. 2, n. 2, p. 110-132, 2000. DOI: 10.1590/1983-21172000020202. Disponível em: https://www.scielo.br/j/epec/a/QtH9SrxpZwXMwbpfpp5jqRL/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2023.

SCHWAN, G.; AYRES DOS SANTOS, R. Dimensionamentos curriculares de enfoque CTS no ensino de ciências na educação básica. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, v. 6, p. 1-15 2020. DOI: 10.31417/educitec.v6i.981. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/981. Acesso em: 15 jul. 2023.

ŞENTÜRK, C.; AYDOĞMUS, M. Comparison of Turkish Elementary School Science Curriculum: 2005-2013-2017. International Journal of Modern Education Studies, [S.I], v. 1, n. 1, p. 46-57, 2017. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=ED586981. Acesso em: 15 jul. 2023.

SILVA; P. C.; RODRIGUES; A. V.; VICENTE, P. N. Aprendizagens essenciais do currículo português e aprendizagens previstas no TIMSS 2019: encontros e desencontros. In: Encontro nacional de educação em ciências, 19. International seminar onscience education, 4, 2021, Coimbra. Anais [...]. Coimbra: Escola Superior de Educação de Coimbra e Associação Portuguesa de Educação em Ciências, 2021. p. 268-271.

SILVA, P. C.; RODRIGUES, A. V.; VICENTE, P. N. Práticas de Ensino Experimental das Ciências no 1.º Ciclo do Ensino Básico em Portugal: uma análise dos relatórios da Inspeção-Geral da Educação e Ciência. Práxis Educativa, [S.I], v. 18, p. 1–22, 2023a. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.18.21358.062. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/21358. Acesso em: 15 jul. 2023.

SILVA, P. C.; RODRIGUES, A. V.; VICENTE, P. N. Science curriculum for primary education: A comparative analysis between Portugal, England, United States, Australia and Singapore. Education Policy Analysis Archives, [S.I], v. 31, p. 1-25, 2023b. DOI: 10.14507/epaa.31.8192. Disponível em: https://epaa.asu.edu/index.php/epaa/article/view/8192. Acesso em: 15 jul. 2023.

SOTHAYAPETCH, P.; LAVONEN, J.; JUUTI, K. A comparative analysis of PISA scientific literacy framework in Finnish and Thai science curricula. Science Education International, [S.I], v. 24, n. 1, p. 78-97, 2013. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1015827.pdf. Acesso em: 15 jul. 2023.

SOUZA, D. N.; COSTA, A. P.; SOUZA, F. N. Desafios e inovação do estudo de caso com apoio das tecnologias. In: SOUZA, F. N. et al. (org.). Investigação qualitativa: inovação, dilemas e desafios. 1. ed. Aveiro: Ludomedia, 2015. p. 143-162.

TEIXEIRA, O. P. B. A. Ciência, a Natureza da Ciência e o Ensino de Ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 25, n. 4, p. 851–854, 2019. DOI: 10.1590/1516-731320190040001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/G3WCvDQG8WmSskJWfVJtHRB/. Acesso em: 15 jul. 2023.

TENREIRO-VIEIRA, C.; VIEIRA, R. M. Abordagem de temas do currículo de ciências do ensino básico num quadro EDS com orientação Ciência-Tecnologia-Sociedade/ Pensamento Crítico. Indagatio Didactica, [S.I], v. 11, n. 2, p. 895-914, 2019. DOI: 10.34624/id.v11i2.6850. Disponivel em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/6850. Acesso em: 15 jul. 2023.

UUM, M. S. J.; VERHOEFF, R. P.; PEETERS, M. Inquiry-based science education: towards a pedagogical framework for primary school teachers. International Journal of Science Education, [S.I], v. 38, n. 3, p. 450-469, 2016. DOI: 10.1080/09500693.2016.1147660. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/09500693.2016.1147660. Acesso em: 15 jul. 223.

VARELA, P.; MARTINS, A. P. O papel do professor e do aluno numa abordagem experimental das ciências nos primeiros anos de escolaridade. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, [S.I], v. 6, n. 2, p. 97-116, 2013. DOI: 10.3895/S1982-873X2013000200006. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/view/1449. Acesso em: 15 jul. 2023.

VIECHENESKI, J. P.; SILVEIRA, R. M. C. F.; CARLETTO, M. R. Proposta curricular de ciências para os anos iniciais e o enfoque CTS. Indagatio Didactica, [S.I], v. 8 n. 1, p. 1539-1551, 2016. DOI: 10.34624/id.v8i1.10805. Disponível em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/10805. Acesso em: 15 jul. 2023

VIEIRA, N. Literacia Científica e Educação de Ciências. Dois objetivos para a mesma aula. Revista Lusófona da Educação, [S.I], v. 10, p. 97-108, 2007. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/636. Acesso em: 15 jul. 2023.

VIEIRA, R. M.; TENREIRO-VIEIRA, C.; MARTINS, I. P. A educação em ciências com orientação CTS: atividades para o ensino básico. Porto: Areal editores, 2011.

VILALLONGA, R. M. P. Los trabajos prácticos en la educación infantil y en la educación primaria. In: Las ciencias en la escuela: Teorías y prácticas. Barcelona: Graó, 2002. p. 65–78.

ZIMAN, J. The rationale of STS education is in the approach. In: SOLOMON, J.; AIKENHEAD, G. S. (eds.). STS Education: International Perspectives on Reform. New York: Teachers College Press, 1994. p. 21-31.

Publicado

28/12/2023

Como Citar

SILVA, P. C.; RODRIGUES, A. V. Desenvolvimento de uma proposta curricular de ciências para os primeiros anos de escolaridade: Fundamentos, processo e produto. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 27, n. 00, p. e023072, 2023. DOI: 10.22633/rpge.v27i00.18275. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/18275. Acesso em: 29 fev. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.