Os fundamentos ontológicos da didática: a mediação compreendida a partir da ontologia do ser social

José Luis Vieira de Almeida

Resumo


Este texto enfoca a mediação na perspectiva da Ontologia do Ser Social e também como categoria central nas atividades educativas. Compreendida dessa maneira, a mediação se torna fundamental para a Didática. A mediação e a Ontologia do Ser Social devem fundamentar a Didática porque ela sempre estabelece uma relação entre o imediato e o mediato – mediação. A mediação é ontológica por ser uma possibilidade exclusiva do ser humano, mas o caráter ontológico da didática não se limita à mediação. Ele também se expressa na preocupação fundamental da didática que está voltada para a compreensão dos processos que envolvem o ensino e, dessa forma, permitem que se aprenda. Cabe lembrar que ensinar e aprender também são possibilidades restritas ao ser humano, o que reforça o cunho ontológico da didática. Além disso, no âmbito escolar, o ensino e a aprendizagem exprimem uma tensão entre um professor que é único e os seus alunos que são vários, dois, dez, quarenta... Pensando-se, por exemplo, numa aula expositiva: a fala do professor é única, mas e a compreensão dos alunos? Desse modo, não basta afirmar que a didática é ontológica, faz-se necessário dizer que ela deve pautar-se na Ontologia do Ser Social. Para discutir “os fundamentos ontológicos da didática”, optou-se pela apresentação de três tópicos. No primeiro, discute-se a mediação; no segundo, oferecem-se pistas à pergunta formulada no parágrafo anterior; e no terceiro, discute-se a didática. Na conclusão, procura-se estabelecer uma síntese dos tópicos desenvolvidos, evidenciando-se o cunho ontológico da Didática expresso na mediação que se estabelece entre o professor e o estudante.


Palavras-chave


Mediação. Didática. Fundamentos.

Texto completo:

PDF

Referências


CANDAU, Vera. Maria. Rumo a uma nova Didática. Petrópolis: Vozes, 1988.

GARAUDY, Roger. Para conhecer o pensamento de Hegel. Tradução de Suely Bastos. Porto Alegre: L&PM, 1983.

LUKÁCS, György. Ontologia do Ser Social: a falsa e a verdadeira ontologia de Hegel. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979a.

LUKÁCS, György. Ontologia do Ser Social: os princípios ontológicos fundamentais de Marx. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979b.

LUKÁCS, György. La categoría de la particularidad. In: Estética I. Tradução de Manuel Sacristán. Espanha: Grijalbo, 1982.

MÉSZÁROS, István. Marx: a teoria da alienação. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

WARDE, Mirian Jorge. O Estatuto epistemológico da Didática. In: Ideias, nº 11, p 48 - 55, 1991.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v20.n3.9757



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.