Projeto de vida: uma proposta democrática-participativa para as juventudes do Ensino Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i2.13175

Palavras-chave:

Projeto de vida, Ensino Médio, Formação compartilhada

Resumo

Esta pesquisa caracteriza-se como um processo investigativo-formativo a partir da problemática: como mobilizar os saberes das juventudes do Ensino Médio tencionando o protagonismo na formação ao longo da vida, com objetivo de compreender a produção de saberes e representações de estudantes do Ensino Médio no Instituto Estadual de Educação Vicente Dutra – RS - IEEVD, considerando um processo compartilhado de construção dos seus projetos de vida a partir das reflexões realizadas de maneira compartilhada com os sujeitos envolvidos. A concepção teórico-metodológica esteve sistematizada a partir da pesquisa-formação com abordagem (auto)biográfica, tendo como fio condutor os círculos dialógicos investigativos-formativos, priorizando as narrativas que mobilizaram as subjetividades, do grupo de estudantes do Ensino Médio, articulando as experiências vividas aos contextos em que estão inseridos, capacitando-os a expressarem seus interesses e desejos na prospecção de futuro. A pesquisa resultou em um Roteiro Orientador para a construção compartilhada do Projeto de Vida dos estudantes de Ensino Médio. Espera-se potencializar o protagonismo e a autonomia intelectual dos estudantes do Ensino Médio para a tomada decisão consciente, evitando o abandono e o fracasso escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Lucia da Luz Mazzardo, Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul (SEDUC), Júlio de Castilhos – RS

Professora na Educação Básica e Coordenadora Pedagógica no Instituto Estadual de Educação Vicente Dutra. Mestrado em Políticas Públicas e Gestão Educacional (UFSM).

Marilene Gabriel Dalla Corte, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria – RS

Professora Adjunta no Departamento de Administração Escolar, Coordenadora e Docente no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional (PPPG) e Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Pós-Doutorado em Educação (PUCRS).

Joacir Marques da Costa, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria – RS

Professor/Orientador no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Gestão Educacional (PPPG/UFSM). Integrante do Projeto de Extensão Grupo de Apoio e Debate de Questões LGBTQIA. Doutorado em Educação (UFSM).

Referências

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo escolar 2000-2018. Brasília, DF: INEP. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/censo-escolar. Acesso em: 09 out. 2018.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 248, p. 27833, 23 dez. 1996. PL 1258/1988

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, DF: MEC, 2018a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF: MEC, 2018b. Disponível em: http://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Parecer-cne-ceb-003-2018-11-08.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

CHRISPINO, A. Introdução ao estudo de políticas públicas: uma visão interdisciplinar e contextualizada. Rio de Janeiro: FGV Editora. 2016.

DAYRELL, J.; CARRANO, P. Juventude e Ensino Médio: quem é este aluno que chega à escola. In: DAYRELL, J.; CARRANO, P.; MAIA, C. L. (Org.). Juventude e ensino médio sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte. UFMG, 2014. p. 101-134

DELORY- MOMBERGER, C. Abordagens metodológicas na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 51, p. 523-740, set./dez. 2012.

DOMICÉ, P. O processo de formação e a.guns dos seus componentes relacionais. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN. São Paulo, SP: Paulus, 2010, p. 81-95.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

GIMENO, S. J. Educar e conviver na cultura global: as exigências da cidadania. Trad. Ermani Rosa. Porto Alegre, RS: Artmed, 2002.

HENZ, C. I.; FREITAS, L. M.; SILVEIRA, M. N. Círculos dialógicos investigativos-formativos: uma metodologia de pesquisa inspirada nos círculos de cultura freireanos. Revista Perspectiva do Centro de Ciência da Educação, Florianópolis, n 3, v. 36, p. 835-850, jul./set. 2018. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2018v36n3p835

JOSSO, M. C. Caminhar para si. Porto Alegre, RS: EDIPURS, 2010.

JOSSO, M. C. História de vida e projeto: a história de vida como projeto e as “histórias de vida” a ser viço de projetos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 11-23, jul./dez. 1999. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97021999000200002

KUENZER, A. Z. O ensino médio no plano nacional de educação 2011-2020: superando a década perdida? Educ. Soc., 2010, Campinas, v. 31, n. 112, p. 851-873. ISSN 1678-4626. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302010000300011

KUENZER, A. Z.; GRABOWSKI, G. Educação Profissional: desafios para a construção de um projeto para os que vivem do trabalho. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 297-318, jan./jun. 2006.

LOPES, A.C. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

PARO, V. H. Gestão democrática da escola pública. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2016.

PASSEGGI, M. C.; SOUZA, E. C. O movimento (auto)biográfico no Brasil: esboço de suas configurações no campo educacional. Grupo de Interés Especial en Investigación Cualitativa en Español y Portugués, v. 2, n. 1, 2017. Disponível em: https://ojs.revistainvestigacioncualitativa.com/index.php/ric/article/viewFile/56/36. Acesso em: 23 jun. 2019.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria Estadual de Educação - SEDUC-RS. Referencial Curricular Gaúcho. 2018. Disponível em: http://curriculo.educacao.rs.gov.br/. Acesso em: 23 jan. 2019.

Downloads

Publicado

01/02/2021

Como Citar

MAZZARDO, A. L. da L.; CORTE, M. G. D.; COSTA, J. M. da. Projeto de vida: uma proposta democrática-participativa para as juventudes do Ensino Médio. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 2, p. 749–760, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i2.13175. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/13175. Acesso em: 12 abr. 2021.