Mudanças curriculares e formação docente: desafios e possibilidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iEsp.1.14918

Palavras-chave:

Formação docente, Currículo, Autonomia curricular, Profissionalidade

Resumo

Políticas curriculares promovem mudanças nos currículos escolares, na prática e na formação docente. Considerando o contexto social e cultural em que a escola está inserida, os ajustes curriculares devem atender às identidades e características da realidade escolar, exigindo uma construção curricular coletiva e formação permanente do professor. Com base nesse contexto, esta produção tem como objetivo discutir os desafios em relação aos enfrentamentos dos professores diante de novas propostas curriculares prescritas e a formação docente. De perspectiva metodológica qualitativa, a pesquisa apresenta uma discussão teórica sobre conceitos e percepções acerca da formação docente e dos estudos curriculares. Os estudos evidenciam que a possibilidade de avanços na Educação Básica nacional implica investimentos na reorganização da formação de professores, buscando uma residência docente pautada na autonomia curricular, que considere o apoio teórico metodológico aos professores como intelectuais críticos e transformadores, visando à desconstrução/reconstrução de agendas e planejamentos que ressignifiquem a profissionalidade docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jane Mery Richter Voigt, Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE), Joinville – SC

Professora Titular e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (PUC/SP).

Sonia Maria Chaves Haracemiv, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR

Professora Associada IV no Departamento de Teoria e Prática de Ensino. Doutorado em História e Filosofia da Educação (PUC/SP).

Nivia Moreira de Camargo, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba – PR

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Leiri Aparecida Ratti, Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE), Joinville – SC

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

ALVES, P. Autonomia curricular: a face oculta da (re) centralização? In: COLÓQUIO SOBRE QUESTÕES CURRICULARES, 5.; COLÓQUIO LUSO-BRASILEIRO, 1., 2002, Braga. Anais [...]. Braga, Portugal, 2002. p. 161-166.

ALVES, C. S., ANDRÉ, M. E. D. A. A constituição da profissionalidade docente: os efeitos do campo de tensão do contexto escolar sobre os professores. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 36., 2013, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, 2013.

ANDRÉ, M. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, v. 33, n. 3, p. 174-181, 2010.

APPLE, M. Ideologia e poder. Porto Alegre: Artmed, 2006.

ARROYO, M. G. Currículo, território em disputa. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

BOTO, C. António Nóvoa: uma vida para a educação. Revista Educação e Pesquisa, v. 44, 2018.DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s1678-4634201844002003

CAMARGO, N. M. Formação docente e o Ensino Médio a distância na educação de jovens e adultos. 2018. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

GIROUX, H. Os professores como intelectuais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

HAGEMEYER, R. C. de C. Dilemas e desafios da função docente na sociedade atual: os sentidos da mudança. Educar, n. 24, p. 67-85, 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.350

HARACEMIV, S. M. C.; SOEK, A. M.; MILEK, E. Diversidade e multiculturalismo: formação docente necessária à educação de jovens e adultos. Dialogia, n. 31, p. 155-164, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5585/dialogia.N31.8675

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional, formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARCELO, C. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sisifo - Revista de Ciência da Educação, n. 8, p. 7-22, 2009a.

MARCELO, C. Identidade docente: constantes e desafios. Formação Docente. Revista Brasileira de Pesquisa Sobre Formação Docente, v. 1, n.1, p. 95-108, 2009b.

MARQUES, E. de S. A. Perijivânie (vivência), afetos e sentidos na obra de Vigotski e na pesquisa em educação. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 12., 2015, Curitiba. Anais [...]. Curitiba, PR: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2015. p. 6774-6787.

MOREIRA, A. F. B. Os parâmetros curriculares nacionais em questão. Educação & Realidade, v. 21, n. 1, p. 9-22, 1996.

MORGADO, J. C. A (des)construção da autonomia curricular. Porto: Edições ASA, 2000.

MORGADO, J. C. Currículo e profissionalidade docente. Porto: Porto, 2005.

MORGADO, J. C. Identidade e profissionalidade docente: sentidos e (im) possibilidades. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 19, n. 73, p. 793-812, 2011a.

MORGADO, J. C. Lideranças e autonomia: impactos na mudança das práticas curriculares. Revista Contrapontos, v. 4, n. 3, p. 425-438, 2009.

MORGADO, J. C. Liderança e autonomia: impactos na mudança das práticas curriculares. Contrapontos, v. 4, n. 3, p. 425-438, 2004.

MORGADO, J. C. Projecto curricular e autonomia da escola: das intenções às práticas. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 27, n. 3, p. 361-588, 2011b. DOI: https://doi.org/10.21573/vol27n32011.26411

NÓVOA, A. Entre a formação e a profissão: ensaio sobre o modo como nos tornamos professores. Currículo Sem Fronteiras, v. 19, n. 1, p 198-208, 2019.

NÓVOA, A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. In: NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009

PACHECO, J. A. Estudos curriculares para compreensão crítica da educação. Porto: Porto, 2005.

PACHECO, J. A. Ser professor em contextos de regulação transnacional. Para uma atitude cosmopolita docente. CIEd-IE, Universidade do Minho, Portugal, 2018.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

VEIGA, I. P. A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva. In: VEIGA, I. P. A. (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas: Papirus, 2002. p. 11-35.

VOIGT, J. M. R. O projeto político-pedagógico da escola brasileira e a construção da autonomia curricular: possibilidades e desafios. Revista de Estudos Curriculares, v. 9, n. 2, p. 20-33, 2019.

Publicado

01/03/2021

Como Citar

VOIGT, J. M. R.; HARACEMIV, S. M. C.; CAMARGO, N. M. de; RATTI, L. A. Mudanças curriculares e formação docente: desafios e possibilidades. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp.1, p. 835–849, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iEsp.1.14918. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14918. Acesso em: 11 maio. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)