A teoria histórico-cultural e a educação de pessoas com deficiência intelectual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v18i00.17611

Palavras-chave:

Compensação social, Educação especial, Educação inclusiva

Resumo

Esta discussão teórica objetiva apresentar conceitos basilares relacionados aos fundamentos da defectologia propostos pela teoria Histórico-Cultural. Está pautada no questionamento: Quais conceitos discutidos pela teoria Histórico-Cultural fundamentam a educação de pessoas com deficiência intelectual no contexto da escola inclusiva? Os dados empíricos foram produzidos a partir de pesquisa bibliográfica e o do uso da ferramenta Voyant tools. Os conceitos basilares foram analisados por meio da análise de conteúdo (BARDIN, 2011). Como resultados, discutimos os principais conceitos que fundamentam atualmente a educação inclusiva: aprendizagem e desenvolvimento de crianças com deficiência intelectual, interação social, compensação, desenvolvimento cultural, processos, funções e capacidades mentais. Indicamos ainda esses conceitos como aportes para pesquisas no âmbito da educação inclusiva e a relevância de recorrer a teoria Histórico-Cultural pela defesa da não segregação e isolamento educacional e social de pessoas com deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriela Maria Noronha, Instituto Federal Catarinense

Professora do ensino básico, técnico e tecnológico. Doutora em Ensino de Ciência e Tecnologia (UTFPR).

Sanide Carvalho Rutz da Silva, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia. Doutorado em Ciências dos Materiais (UFRGS).

Elsa Midori Shimazaki, Universidade do Oeste Paulista

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (USP).

Referências

ALVES, D. et al. O poderoso NVivo: Uma introdução a partir da análise de conteúdo. Revista Política Hoje, Recife, v. 24, n. 2, p. 119-134, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/politicahoje/article/view/3723. Acesso em: 15 jun. 2022.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

BRASIL. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Brasília, DF: CORDE, 2007.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=424-cartilha-c&category_slug=documentos-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 jun. 2022.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 15 jun. 2022.

LEONTIEV, A. N. Os Princípios do Desenvolvimento Mental e o Problema do Atraso Mental. In: LEONTIEV, A. N. et al. (org.). Psicologia e pedagogia: Bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Tradução: Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2005.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia: UNESCO, 1990. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-mundial-sobre-educacao-para-todos-conferencia-de-jomtien-1990. Acesso em: 15 jun. 2022.

UNESCO. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha: UNESCO, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas V – Fundamentos de Defectologia. Madrid: Visor, 1997.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e Desenvolvimento Intelectual na Idade Escolar. In: LEONTIEV, A. N. et al. (org.). Psicologia e pedagogia: Bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. Tradução: Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2005.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

VIGOTSKI, L. S. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educ. Pesquisa, São Paulo, v. 37, p. 863-869, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/x987G8H9nDCcvTYQWfsn4kN/?lang=pt. Acesso em: 15 jun. 2022.

VIGOTSKI, L. S. Acerca dos processos compensatórios no desenvolvimento da criança mentalmente atrasada. Educ. Pesquisa, São Paulo, v. 44, p. 1-22, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/JvycVmnwS39xrXQbCXgCycw/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

VIGOTSKI, L. S. Acerca dos processos compensatórios no desenvolvimento da criança mentalmente atrasada. Educ. Pesquisa, São Paulo, v. 44, p. 1-22, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/JvycVmnwS39xrXQbCXgCycw/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 15 jun. 2022.

Publicado

04/05/2023

Como Citar

NORONHA, A. M.; SILVA, S. C. . R. da; SHIMAZAKI, E. M. A teoria histórico-cultural e a educação de pessoas com deficiência intelectual. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 18, n. 00, p. e023025, 2023. DOI: 10.21723/riaee.v18i00.17611. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/17611. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos teóricos

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.