Entre a exigência de qualidade no trabalho pedagógico e a inclusão de alunos com deficiência no ensino médio e na universidade

Manoel Pinéo de Sousa, Maria Socorro Lucena Lima, Regiane Rodrigues Araújo

Resumo


 O texto apresenta uma reflexão sobre os processos inclusivos na Educação 

O texto apresenta uma reflexão sobre os processos inclusivos na Educação Escolar e na Universidade. Uma questão orienta a pesquisa: como é feito a inclusão de alunos no Ensino Médio e na Universidade? Partindo da complexidade do contexto social, diante da proposta da educação de qualidade para todos, o texto tem como objetivos levantar o debate sobre as possibilidades e limites da educação de qualidade para todos, fazer uma revisão técnica que de subsídios para a discussão e refletir sobre o trabalho dos professores da Educação Básica e da Universidade diante dos alunos com deficiências nas salas de aula. Para tanto, tivemos como recurso metodológico a pesquisa bibliográfica e documental e diálogo com os professores. Com a utilização de autores como: Carneiro (2013), Magalhães (2002), Minayo (2010), Pimenta (2014), Mantoan (2006), Dorziat (2011), entre outros, o texto aponta para a necessidade de efetivação das políticas de inclusão e principalmente das condições objetivas de trabalho e formação. É preciso incentivo na pesquisa e nos processos formativos para a efetivação das políticas de inclusão.


Palavras-chave


Trabalho Pedagógico. Inclusão. Deficiência.

Texto completo:

PDF

Referências


AARAUJO, R. D. de. O acompanhamento do estágio supervisionado na formação docente: concepções e condições de trabalho dos supervisores. 1 ed. Curitiba, PR: CRV, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394/96. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2017.

CARNEIRO, M. A LDB Fácil, Leitura Crítico¬ Compreensiva Artigo a Artigo. 20. ed. Petrópolis ¬ RJ: Editora Vozes, 2013.

CANDAU, V. M. (Org). Rumo uma nova didática. 23. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CHARLOT, B. Formação de professores: a pesquisa e a política educacional. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

DORZIAT, A. A formação de professores e a educação inclusiva: desafios contemporâneos. In: CAIADO, K. R. M.; JESUS, D. M. de.; BAPTISTA, C. R. (Orgs.). Professores e educação especial: formação em foco. Porto Alegre: Mediação/CDV/FACITEC, 2011, p. 147-159.

LIMA, M. S. L.; NASCIMENTO, A. M. do. As raízes do Estágio Curricular Supervisionado: fundamentos que sustentam suas práticas. In: ALBUQUERQUE, J. V. de.; MOTA NETO, J. C. da.; OLANDA, O. F. J.; RIBEIRO, W. de O. (Orgs.). O estágio na formação do pedagogo: reflexões e vivências. Belém: EDUEPA, 2015, p. 19-38.

LIMA, M. S. L.; NASCIMENTO, A. M. do. Estágio e aprendizagem da profissão docente. Brasília: Liber Livro, 2012.

LIMA, M. S. L.; NASCIMENTO, A. M. do; COSTA, E. A. da S. A formação do professor para o trabalho em Educação de Jovens e Adultos: lições do estágio curricular supervisionado. In: ALMEIDA, M. I. de.; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Estágios supervisionados na formação docente: educação básica e educação de jovens e adultos. São Paulo: Cortez, 2014. p. 41-67.

MAGALHÃES, R. de C. B. P. Ensino superior no Brasil e inclusão de alunos com deficiência. In: VALDÉS, M. T. M. (Org.). Inclusão de pessoas com deficiência no ensino superior no Brasil: caminhos e desafios. Fortaleza: EDUECE, 2006, p. 39-55.

MAGALHÃES, R. de C. B. P. Traduções para as palavras diferença/deficiência: um convite à descoberta. In: MAGALHÃES, R. de C. B. P. (Org.). Reflexões sobre a diferença: uma introdução à educação especial. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002, p. 21-34, 112.

MINAYO, M. C de S. Disciplinaridade, interdisciplinaridade e complexidade. Emancipação, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 435-442, 2010.

MOREIRA, C. L. In(ex)clusão na universidade: o aluno com necessidades educacionais especiais em questão. Revista Educação Especial, n. 25, 2005, p. 1-6.

NAUJORKS, M. I. A pesquisa em educação especial na Universidade Federal de Santa Maria. In: JESUS, D. M. de.; BAPTISTA, C. R.; BARRETO, M. A. S. C.; VICTOR, S. L. (Orgs.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. 2.ed. Porto Alegre: Mediação, 2009. p. 243-248.

MATTOS, M. J. V. M. de. O estágio supervisionado na formação dos profissionais da educação. In: PARENTE, C. da M. D.; VALLE, L. E. L. R. do.; MATTOS, M. J. V. M. de. (Orgs.). A formação de professores e seus desafios frente às mudanças sociais, políticas e tecnológicas. Porto Alegre: Penso, 2015.

PIMENTA, S. G (orgs.). Estágios supervisionados na formação docente: educação básica e educação de jovens e adultos. São Paulo: Cortez, 2014.

PRIETO, R. G. Atendimento escolar de alunos com necessidades educacionais especiais: um olhar sobre as políticas públicas de educação no Brasil. In: MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. Mantoan, M. T. E., Prieto, R. G.; Arantes, V. A. (Org.). São Paulo: Summus, 2006.

VALENTINI, C. B.; BISOL, C. A. Inclusão no Ensino Superior: especificidades da prática docente com estudantes surdos. Caxias do Sul, RS: Educs, 2012.

ZEICHNER, K. Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90. In: NÓVOA, A. (Org.) Os Professores e a sua Formação, p. 115-138, Lisboa: Pub. Dom Quixote. 1992.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n.esp2.2017.10371



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.