A complexidade dos desafios das políticas curriculares em Educação de Jovens e Adultos na atualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24i3.14167

Palavras-chave:

Política curricular, Educação de jovens e adultos, Complexidade e desafios

Resumo

O texto em tela desenvolve-se em torno do eixo discursivo denominado políticas curriculares em Educação de Jovens e Adultos (EJA), colocando em realce complexidade e desafios inerentes a essas políticas, mediante seu propósito de promoção de sua formação crítica conforme requerida na atualidade deste século XXI. Adota a análise histórico-dialética como referencial de pesquisa. Explica que toda proposta de formação na EJA, que visa superação de tensões, contradições e limites, implica compreendê-la dentro de sua perspectiva histórica, política, epistemológica e pedagógica, assim como das múltiplas práticas que a condicionam e de seus impactos na vida dos educandos que cursam essa modalidade de ensino, reconhecidos como personagens ativos de histórias de direitos negados.

Biografia do Autor

Raimundo Nonato Moura Oliveira, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Caxias – MA

Professor Adjunto no Departamento de Educação. Doutorado em Educação (PUC/SP).

Georgyanna Andréa Silva Morais, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Caxias – MA

Professora Adjunta no Departamento de Educação. Doutora em Educação (UFC).

Referências

ARROYO, M. G. Educação de Jovens e Adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L. et al. (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 19-50.

BEISEIGEL, C. R. Estado e educação popular: um estudo sobre a educação de adultos. São Paulo: Pioneira, 1974.

BEISEIGEL, C. R. Considerações sobre a política da união para a educação de jovens e adultos analfabetos. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 4, p. 26-34, jan./fev./mar./abr. 1997.

BEISEIGEL, C. R. Questões de atualidade na educação popular: ensino fundamental de jovens e adultos analfabetos ou pouco escolarizados. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 31, p. 7-19, jun. 2000. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo. Acesso em: 3 dez. 2012.

BEISEIGEL, C. R. Alfabetização de jovens e adultos: desafios do século 21. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 84, n. 206/207/208, p. 34-43, jan./dez. 2003. DOI: https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.84i206-07-08.887

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da união: Seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 23 dez. 1996. PL 1258/1988

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada. Alfabetização e Diversidade. Documento Nacional Preparatório à VI Conferência Internacional de Educação de Adultos (VI CONFINTEA). Brasília: MEC; Goiânia: FUNAPE/UFG, 2009.

CANÁRIO, R. O que é a Escola? Um “olhar” sociológico. Portugal: Porto Editora, 2005.

CARLOS, E. J. O enunciado da educação de adultos no Brasil: da programação da República à década de 1940. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, n. 29, 2006, Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG, 2006. 17 p. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/29ra/trabalhos/trabalho/GT18-2344--Int.pdf. Acesso em: 12 set. 2012.

DAYREALL, J. T. Múltiplos olhares sobre a educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

DI PIERRO; M. C. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 6, n. esp. 92, p. 1115-1139, out. 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000300018

DI PIERRO; M. C.; JOIA, O.; RIBEIRO, V. M. Visões da educação de jovens e adultos no Brasil. Cadernos Cedes, Campinas, ano XXI, n. 55, p. 58-77, nov. 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32622001000300005

DIAS, F. et al. (Org.). Educação de jovens e adultos: o que revelam as pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

FÁVERO, O. Educação de jovens e adultos: passado de histórias; presente de promessas. In: RÍVERO; J.; FÀVERO, O. Educação de jovens e adultos na América Latina: direito e desafio de todos. São Paulo: UNESCO: Moderna, 2009.

GIDDENS, A. Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. Rio de Janeiro. Record, 2011.

HADDAD, S. Tendências atuais na educação de jovens e adultos. Em Aberto, Brasília, vol. 11, n. 4, p. 3-12, out./dez. 1992.

HADDAD, S. A educação de pessoas jovens e adultas e a nova LDB. In: BRZEZINSKI, I. (Org.). LDB interpretada: distintos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez, 1997.

HADDAD, S. A participação da sociedade civil brasileira na educação de jovens e adultos e na CONFINTEA VI. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 41, p. 355-369, maio/ago. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a07.pdf. Acesso em: 2 jun. 2010.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 14, p. 108-130, maio/ago. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a07.pdf. Acesso: em: 2 jun. 2011.

OEI. Organização dos Estados Iberoamericanos para a Educação, a Ciência e a Cultura. 1996. Disponível em: http: www.oei.es/educacion.php. Acesso em: 23 out. 2012.

OLIVEIRA, K. M. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 12, p. 59-73, 1999.

PAIVA, J. Direito à educação de jovens e adultos: concepções e sentidos. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, n. 29, 2006, Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG, 2006. 17 p.

PAIVA, J. Os sentidos do direito à educação de jovens e adultos. Petrópolis, RJ: DP ET Alii/FAPERJ, 2009.

RIBEIRO, V. M. M. Alfabetismo e atitudes: pesquisa junto a jovens e adultos. Campinas, SP: Ação Educativa/Papirus, 1998.

RÍVERO, J. Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos na América Latina, direito humano fundamental e fator social de equidade social. In: RÍVERO; J.; FÀVERO, O. Educação de jovens e adultos na América Latina: direito e desafio de todos. São Paulo: UNESCO: Moderna, 2009.

SÉRGIO, M. C. A organização do tempo curricular na prática pedagógica da educação de jovens e adultos (EJA). Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 3, n. 2, jun. 2008. Disponível em: http://www.pucsp.br/ecurriculum. Acesso em: 1 nov. 2012.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

SINGER, P. Poder, política e educação. Revista Brasileira de Educação. Conferência de abertura da XVIII Reunião Anual da ANPEd, Caxambu, outubro de 1995, n. 1, p. 5-15, 1996.

SOARES, L. et al. (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 7-17.

VIEIRA, M. C. Políticas de Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Experiências e desafios no município de Uberlândia (anos 80 e 90). In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, n. 23, 2000, Caxambu. Anais [...]. Caxambu, MG, 2000. 24 p.

VÓVIO, C. L. Alfabetização de pessoas jovens e adultas: outras miradas, novos focos de atenção. In: SAMPAIO, M. N.; ALMEIDA, R. S. (Org.). Práticas de educação de jovens e adultos: complexidade, desafios e propostas. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 296-324.

VÓVIO, C. L.; MOURA, M. P; RIBEIRO, V. M. Fundamentos da educação de jovens e adultos. Brasília: SESI, 2001.

Downloads

Publicado

01/09/2020

Como Citar

Oliveira, R. N. M., & Morais, G. A. S. (2020). A complexidade dos desafios das políticas curriculares em Educação de Jovens e Adultos na atualidade. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 24(3), 1350–1367. https://doi.org/10.22633/rpge.v24i3.14167