A ação colegiada na escola: de praticas manipulatórias a praticas participativas

Autores

  • Júlio César Rufino de Freitas Especialista em Gestão Educacional, Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP. Professor da rede estadual de ensino de Pernambuco. Av. Mario Álvares Pereira de Lira, 905. Iputinga. CEP 50670130. Recife/PE. Fone: 81 88858606.

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v0i10.9296

Palavras-chave:

Participação, Escola, Comunidade Introdução

Resumo

Este artigo demonstra através de estudo bibliográfico que as práticas participativas em órgãos colegiados são identificadas como um processo generalizado de relações estratégicas dirigidas pelo poder e pela moeda. Também aborda, de forma sucinta, a participação da comunidade nas decisões da escola, com o objetivo de esclarecer os prováveis motivos que indicam o não avanço da comunidade no reconhecimento da instituição educativa como espaço de garantia de direitos e deveres de cidadania. Diante deste contexto, observamos que para criticar as praticas nos órgãos colegiados precisamos conhecer o processo e estar inseridos nele de forma coletiva assumindo responsabilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30/01/2011

Como Citar

FREITAS, J. C. R. de. A ação colegiada na escola: de praticas manipulatórias a praticas participativas. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, n. 10, p. 62–71, 2011. DOI: 10.22633/rpge.v0i10.9296. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9296. Acesso em: 20 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.