Percurso histórico das políticas de formação continuada paranaense: características e experiências de 1999 a 2006

Autores

  • Rayane Regina Scheidt Gasparelo Universidade Estadual de Ponta Grossa/UEPG.
  • Marisa Schneckenberg Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO/I.

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9741

Palavras-chave:

Políticas educacionais. Formação continuada. Desenvolvimento profissional.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo o resgate do contexto histórico das políticas educacionais para a formação continuada dos profissionais da educação no estado do Paraná, no período de 1999 a 2006. Foi neste contexto, mais especificamente no final do ano de 2005, que surgiu o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE/PR. Tal programa refere-se à um processo de formação continuada, cujos pressupostos estão ancorados na valorização e reconhecimento dos docentes; melhorias tanto nos processos de ensino/aprendizagem, como nos processos de tomadas de decisões relativos à gestão da escola e a formação ocorre integrada com as Instituições de Ensino Superior (IES). Tais pressupostos, articulam-se à concepção de professor enquanto profissional de ensino e não mais, como técnico. Em vista disso, torna-se inquietante e pertinente verificar, quais eram os propósitos dos programas de formação continuada, anteriores ao PDE/PR? Considerando a metodologia do ciclo de políticas (MAINARDES, 2006), para compreender o contexto de influência da criação do PDE/PR., recorremos à revisão bibliográfica sobre o processo de formulação das políticas e as características e experiências de formação continuada no Governo Jaime Lerner (1999 a 2002) e no Governo Roberto Requião (2003 a 2006). Verificou-se que vários projetos e propostas formativas foram desenvolvidas, até a criação do PDE/PR. Contudo, a essência do viés neoliberal imperava, pois as ações do Estado para formação eram indicadas pela Secretaria Estadual de Educação, e aos docentes cabia apenas cumprir determinados roteiros de estudos e a seguir, elaborar relatórios. As propostas priorizavam o viés da sensibilização para desenvolver atividades técnicas e impulsionar a eficiência e eficácia do sistema, aumentando a produtividade dos docentes e diminuindo sua capacidade intelectual e crítica. O surgimento do PDE, a partir a reinvindicação de representantes do Sindicato dos Professores, diferencia-se dos programas de formação continuada técnicos e funcionalistas que vinham sendo realizados. O texto, no qual, estão os pressupostos conceituais, a fundamentação político-pedagógica, o plano integrado de formação contínua e a avaliação da aprendizagem do PDE/PR retrata uma concepção de formação continuada, cujo objetivo é valorizar o conhecimento docente, as situações vivenciadas no âmbito da sua prática, bem como incentivar o ensino, a pesquisa e após a intervenção na realidade escolar.

Biografia do Autor

Rayane Regina Scheidt Gasparelo, Universidade Estadual de Ponta Grossa/UEPG.

Doutoranda em Educação - LAGE (laboratório de Gestão Educacional)/UNICAMP.

Marisa Schneckenberg, Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO/I.

Doutora em Educação. Docente do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação - UNICENTRO/Pr. Orientadora na linha de Pesquisa: Políticas Educacionais, história e organização da educação – PPGE/UNICENTRO.

Referências

ARCO-VERDE, Yvelise Freitas de Souza. Formação continuada para intelectuais orgânicos. In: BITTENCOURT Agueda Bernadete, FERREIRA, Naura Syria Carapeto (Orgs.). Formação humana e gestão da educação: a arte de pensar ameaçada. São Paulo: Cortez, 2008.

BALL, S. J. Profissionalismo, Gerencialismo e Performatividade. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 126, p. 539-564, set./dez. 2005

BOURDIEU, Pierre. A Escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Orgs). Pierre Bourdieu: escritos e educação. Petrópolis,RJ: Vozes, 2013.

CAMPOS, R. F. Do Professor reflexivo ao professor competente: os caminhos da reforma no Brasil. In: MORAES, Maria Célia; PACHECO, José A.; EVANGELISTA, Maria Olinda (Orgs.). Formação de professores: perspectivas educacionais e curriculares. Porto: Porto Editora, 2003.

FLORES, Maria Assunção. Dilemas e desafios na formação de professores. In: MORAES, Maria Célia; PACHECO, José A.; EVANGELISTA, Maria Olinda (Orgs.). Formação de professores: perspectivas educacionais e curriculares. Porto: Porto Editora, 2003.

IMBERNÓN, F Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educ. Soc., Campinas,SP, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006.

MAINARDES, Jefferson; FERREIRA, Márcia dos Santos; TELLO, César. Análise de Políticas: fundamentos e principais debates teórico-metodológicos. In: BALL, S. J.; MAINARDES, J. (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011. p. 143-171.

NADAL, Beatriz G. Gestão e formação contínua: práticas articuladas da gestão escolar. Olhar de Professor, Ponta Grossa,PR, v. 3, n. 3, p. 15-28, nov. 2007.

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: ______. (Coord.). Os Professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PARANÁ. Decreto 4482, de 14 mar. 2005. Fica implantado o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE, que disciplina a promoção e progressão do professor no nível III da carreira. Legislação Estadual de Recursos Humanos, Curitiba, em 14 de março de 2005. Disponível em: <http://celepar7cta.pr.gov.br/ seap/legrh-v1.nsf/5199c876c8f027f603256ac5004b67da/a15d33ad30fc460d 83256fcd005e873d?OpenDocument>. Acesso em: 02 fev. 2014.

______. Lei Complementar 103 de 15 de março de 2004. Institui e dispõe sobre o Plano de Carreira do Professor da Rede Estadual de Educação Básica do Paraná e adota outras providências. Casa Civil do Governo do Estado do Paraná, Curitiba, 15 de março de 2004. Disponível em: <http://www.legislacao.pr.gov.br/ legislacao/pesquisarAto.do?action=exibir&codAto=7470&indice=1&totalRegistros=1>. Acesso em: 02 fev. 2014.

______. Lei Complementar 130 de 14 de julho de 2010. Regulamenta o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE, instituído pela Lei Complementar nº 103/2004, que tem como objetivo oferecer Formação Continuada para o Professor da Rede Pública de Ensino do Paraná, conforme especifica. Casa Civil do Governo do Estado do Paraná, Curitiba, 14 de julho de 2010. Disponível em: <http://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/pesquisar Ato.do? action=exibir& codAto=56184&indice=1&totalRegistros=2>. Acesso em: 02 fev. 2014.

______. Documento Síntese PDE. Secretaria de Estado da Educação do Paraná. SEED: Curitiba, 2014. Disponível em: <http://www.gestaoescolar.diaadia. pr.gov.br/arquivos/File/pde_roteiros/2013/documento_sintese_2014_incorporando_avaliacao.pdf>. Acesso em: 02 fev. 2014.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Resolução nº 4341/2007. Normatiza a operacionalização do Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE, na Rede Pública Estadual de Ensino. Disponível em: <http://www.esedh. pr.gov.br/ arquivos/File/SECRETARIA_DE_ESTADO_DA_EDUCACAO_ RESOLUCAO_ 1670_2009.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2015.

PÉREZ-GÓMEZ, Angel. O Pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, Antônio (Coord.). Os Professores e sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PERONI, Vera Maria Vidal. Políticas Públicas e Gestão da Educação em tempos de redefinição do papel do Estado. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, VII, 2008. Anais... Itajaí: AnpedSul, 2008. p. 02-15. Disponível em: <http://www.pead.faced.ufrgs.br/sites/publico/eixo5/ organizacao_gestao/modulo1/pol%EDticas_publicas_e%20gestao_da_educacao_veraperoni.pdf>. Acesso em: 14 fev. 2015.

POSSI, Ester H. de Barros. Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE/Pr (2007 – 2009): um estudo sobre transformações e permanências. 2012. 218 f. (Dissertação) – Mestrado em Educação. Universidade Estadual de Londrina. 2012.

SAPELLI, Marlene L. S. Políticas educacionais do governo Lerner no Paraná (1995-2002). Cascavel,PR: Gráfica Igol, 2003.

SHIROMA, E. O. O Eufemismo da profissionalização. In: MORAES, M. C. M. (Org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

SOUZA, A. R. Reformas educacionais: descentralização, gestão e autonomia escolar. Educar, Curitiba, n. 22, p. 17- 49, 2003.

TAVARES, Tais Moura. Gestão pública do sistema de ensino no Paraná (1995-2002). 2004. 153 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

VAILLANT, Denise; MARCELO, Carlos. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.

ZANARDINI, Isaura M. S.; BLUM, Marcia S. R.; MICHELLON, Edimor A. Uma Análise das políticas de gestão escolar no Paraná e no Brasil entre os anos de 1980 e 2006. Revista Educação e Fronteiras On-Line, Dourados,MS, v. 3, n. 7, p. 131-139, jan./abr. 2013.

Downloads

Publicado

15/01/2017

Como Citar

Gasparelo, R. R. S., & Schneckenberg, M. (2017). Percurso histórico das políticas de formação continuada paranaense: características e experiências de 1999 a 2006. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 81–107. https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9741

Edição

Seção

Artigos