O abandono no curso de estatística da Universidade Federal de Goiás: quando os alunos desistem?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15i2.13012

Palavras-chave:

Educação superior, Evasão, Permanência, Estatística.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar quando ocorre a desistência dos alunos que ingressaram no curso de bacharelado em Estatística da Universidade Federal de Goiás (UFG) no período de 2009 a 2012. Para tanto, é feita pesquisa documental, em consulta a documentos do Ministério da Educação, e, particularmente, a dados do Censo da Educação Superior Brasileira, divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, no período de 2009 a 2017. Além disso, o estudo está ancorado em pesquisa bibliográfica, fundamentada em autores que discutem principalmente os temas da evasão e permanência na educação superior. Como resultado, este estudo mostra que: a maior evasão absoluta do curso acontece já no primeiro ano, e a maior chance de evasão é do quarto para o quinto ano do curso; poucos conseguem se formar; dos que se formam, a maioria leva mais que o período regular, que é de nove semestres; e é significativo o percentual dos que transferem para outros cursos da mesma universidade.

Biografia do Autor

Chaiane de Medeiros Rosa, Universidade Federal de Goiás

Pós-Doutorado em Educação na Universidade Estadual Paulista (Unesp), câmpus Araraquara (2017). Doutora em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), câmpus Araraquara (2016). Mestra em Educação pela Universidade Federal de Goiás (UFG), câmpus Catalão (2013). Graduada em Licenciatura Plena em Letras - Português, pela Universidade Federal de Goiás (UFG), câmpus Catalão (2009). Técnica em Assuntos Educacionais na UFG. 

Eder Angelo Milani, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Bacharelado em Matemática Aplicada e Computacional pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008) e mestrado em Estatística pela Universidade Federal de São Carlos (2011) e doutorado em Estatística na Universidade Federal de São Carlos (2016). É professor do Instituto de Matemática e Estatística da UFG. Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de sobrevivência e séries temporais.

Fabiano Fortunato Teixeira dos Santos, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Matemática pela Universidade de Brasília (UnB) (2011). Mestre em Matemática pela Universidade Federal de Goiás (UFG), câmpus Goiânia (2002). Graduado em Licenciatura em Matemática, pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) (1998). Professor no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da UFG. Área de interesse em investigação científica: Equações diferenciais estocásticas, inferência em processos estocásticos, EDPs estocásticas, estatística apliacada.

Referências

AKAIKE, Hirotugu. A new look at the statistical model identification. IEEE Transactions on Automatic Control, v. 19, n. 6, p. 716-723, 1974.

ANDIFES. V Pesquisa Nacional de Perfil Socioeconômico e Cultural dos(as) Graduandos(as) das IFES – 2018. Uberlândia, 2019.

BELTRÃO, Kaizô Iwakami; ALVES, José Eustáquio Diniz. A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX. In: XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2004, Caxambú-MG. Anais [...]. Caxambú-MG: ABEP, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Estatísticas Educacionais. Metodologia de Cálculo dos Indicadores de Fluxo da Educação Superior. Brasília: MEC/Inep/DEE, 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/informacoes_estatisticas/indicadores_educacionais/2017/metodologia_indicadores_trajetoria_curso.pdf. Acesso em: 19 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior – Sinopses Estatísticas. 2009 a 2017. Brasília: MEC/Inep/DEE, 2009-2017. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 20 mai. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei. n. 4.739, de 15 de julho de 1965. Dispõe sobre o exercício da profissão de estatístico e dá outras providências. Dário Oficial da União, Brasília, DF, 17 jul. 1965. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L4739.htm. Acesso em: 19 ago. 2019.

COLOSIMO, Enrico Antônio; GIOLO, Suely Ruiz. Análise de sobrevivência aplicada. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.

CONFE. Escolas de graduação em Estatística no Brasil e seus sites. Disponível em: http://www.confe.org.br/instituicoesensino.htm. Acesso em: 10 ago. 2019.

CONRE-3. Profissionais falam sobre o uso da Estatística no cotidiano. Disponível em: http://www.conre3.org.br/portal/dia-do-estatistico-profissionais-falam-sobre-o-uso-da-estatistica-no-cotidiano/. Acesso em: 10 ago. 2019.

IGNÁCIO, Sérgio Aparecido. Importância da Estatística para o processo de conhecimento e tomada de decisão. Ipardes, Curitiba, n. 6, p. 1-15, out. 2010. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/biblioteca/docs/NT_06_importancia_estatistica_tomada_decisao.pdf. Acesso em: 19 ago. 2019.

KAPLAN, Edward Lynn; MEIER, Paul. Nonparametric estimation from incomplete observations. Journal of the American Statistical Association, v. 53, p. 457-481, 1958.

LIMA, Franciele Santos; ZAGO, Nadir. Evasão na educação superior: tendências e resultados de pesquisa. Movimento – Revista de Educação, Niterói, ano 5, n. 9, p. 131-164, jul./dez. 2018.

MANTEL, Nathan. Evaluation of survival data and two new rank order statistics arising in its consideration. Cancer Chemotherapy Reports, v. 50, p. 163-170, 1966.

MELO, Geovana Ferreira; NAVES, Marisa Lomônaco de Paula. Retenção e Evasão: Desafios para a Gestão na Educação Superior. In: 5 Conferência FORGES - Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa, 2015, Coimbra. Anais [...]. Coimbra: Editora da Universidade de Coimbra, 2015.

R CORE TEAM. R: A Language and Environment for Statistical Computing. Vienna, Austria: R Foundation for Statistical Computing, 2019. Disponível em: https://www.R-project.org/. Acesso em: 05 jul. 2019.

REVISTA EXAME. Melhor profissão do ano nos EUA deve explodir no Brasil. Entenda. Revista Exame, 16 de maio de 2017. Disponível em: https://exame.abril.com.br/carreira/melhor-profissao-do-ano-nos-eua-deve-explodir-no-brasil-entenda/. Acesso em: 10 ago. 2019.

RICOLDI, Arlene; ARTES, Amélia. Mulheres no ensino superior brasileiro: espaço garantido e novos desafios. Ex æquo, n. 33, p. 149-161, 2016.

ROSA, Chaiane de Medeiros; RIBEIRO, Ricardo. Acesso, retenção e evasão: os contornos da exclusão na Universidade Federal de Goiás. Cadernos de Pesquisa, São Luís, v. 25, n. 3, p. 185-203, jul./set. 2018.

ROSA, Chaiane de Medeiros; SANTOS, Fabiano Fortunato Teixeira. A retenção nos cursos de graduação do IME/UFG. Horizontes, Itatiba-SP, v. 36, n. 3, p. 200-216, set./dez. 2018.

UFG. Analisa Dados. Painel estudantes de graduação. 2019. Disponível em: https://analisa.dados.ufg.br/paineis/superset/dashboard/painel_estudantes_graduacao_atual/. Acesso em: 05 ago. 2019.

USTÁRROZ, Eliza; QUADROS, Sérgio Feldmann; MOROSINI, Marilia Costa. Democratização da educação superior brasileira: do acesso ao compromisso com o sucesso acadêmico. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, v. 3, n. 3, p. 539-561, set./dez. 2017.

Downloads

Publicado

20/02/2020

Como Citar

Rosa, C. de M., Milani, E. A., & Santos, F. F. T. dos. (2020). O abandono no curso de estatística da Universidade Federal de Goiás: quando os alunos desistem?. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(2), 597–618. https://doi.org/10.21723/riaee.v15i2.13012

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)