A importância do controle da evasão na Educação à Distância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i4.15509

Palavras-chave:

Evasão, Educação, Ensino, Ferramentas, Estratégias

Resumo

Mesmo com o avanço tecnológico cada vez maior no EAD, não foi eficiente para conter o número de evasão. Trabalhar a educação a distância não é simples, sendo necessária uma metodologia de ensino em sinergia com as ferramentas de navegação, simples de serem absorvidas pelos alunos e que venham a criar uma interação entre docentes e discentes que são os grandes atores do ensino. O objetivo do estudo é o de conhecer os principais fatores que contribuem para a evasão no EAD e apresentar estratégias em seu controle. Realizou-se um estudo mesclado, quantitativo e qualitativo, questionário online para os coordenadores e professores responderem com a finalidade de entender o que vem sendo feito no combate à evasão. Foi também realizada pesquisa bibliográfica e análise documental com o propósito de melhor entender o objeto investigado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Vieira da Rocha, Universidade Estácio de Sá (UNESA), Rio de Janeiro – RJ

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação.

Sonia Regina Mendes dos Santos, Universidade Estácio de Sá (UNESA), Rio de Janeiro – RJ

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Educação (UFRJ).

Referências

BRASIL. CASA CIVIL. Decreto n. 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 26 maio 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9057.htm. Acesso em: 10 jul. 2021.

CORRÊA, H. L. et al. Planejamento, programação e controle da produção. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

Gil, A. C. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2011.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr., 1995.

GÜNTHER, H. Como elaborar um questionário. In: Günther, H. (org.). planejamento de pesquisa para as ciências sociais. Brasília, DF: UNB, 2003.

KAY, A.; RUMBLE, G. (Eds.). Distance teaching for higher and adult education. London: Croom Helm, 1981.

MAIA, C.; MATTAR, J. ABC da EAD: a Educação a Distância hoje. São Paulo: Pearson, 2007.

MATTAR, J. Tutoria e interação em educação a distância. São Paulo: Cengage Learning,2010.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

ROMANOWSKI, J. P. Formação docente: concepção, teoria e prática. Curso de Especialização para formação de docentes e de orientadores acadêmicos em EAD. Grupo Uninter, 2010.

SANTOS FILHO, G.-K. Biblioteca digital como recurso informacional no Ensino Superior a distância (EAD): Uma análise das instituições de Ensino Superior (IESs) credenciadas para programas de EAD na região Sul do país. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v. 19, n. 3, p. 87-97, set./dez. 2009.

SCHLEMMER, E.; LOPES, D. Q.; SABRITO, C. E. Unisinos EAD: gestão para a qualidade e inovação na educação. CVARICESU – Comunidade Virtual de Aprendizagem. Redes de Instituições Católicas de Ensino Superior, 2013

SPIEGEL, M. R. Estatística. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 1993, p. 214-252.

TUBINO, D. F. Manual de planejamento e controle da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

Publicado

21/10/2021

Como Citar

ROCHA, J. V. da; SANTOS, S. R. M. dos. A importância do controle da evasão na Educação à Distância. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 4, p. 2701–2719, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i4.15509. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/15509. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos