Impacto do processo formativo na trajetória laboral de jovens mestrandos(as)

Necessidades de orientação educativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17i1.14539

Palavras-chave:

Estudantes de Mestrado, Processo Formativo, Orientação Educativa

Resumo

A presente pesquisa objetivou analisar o impacto da formação continuada na trajetória laboral de jovens estudantes do Mestrado em Educação, de uma universidade comunitária no sul do Brasil, e as necessidades de orientação educativa. A metodologia foi de abordagem qualitativa e a coleta dos dados ocorreu por meio de questionário semiestruturado e entrevista individual. A técnica de análise foi sistematizada pela análise de conteúdo. As expectativas reforçam o desejo desses estudantes em investir na qualificação profissional, pois o projeto é alcançar um doutorado e a maioria quer prosseguir os estudos para futuramente se inserir como docente no ensino superior. A maior dificuldade anunciada pelos(as) mestrandos(as) foi a possibilidade de conciliar educação e trabalho, o que, às vezes, leva a pensar em abandonar o curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naiara Gracia Tibola, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí – SC – Brasil

Professora e Pesquisadora na Graduação e no Grupo de Pesquisa Juventude, Educação e Trabalho (JET). Doutorado em Educação (UNIVALI).

Tânia Regina Raitz, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí – SC – Brasil

Professora e Pesquisadora na graduação e Programa de Mestrado e Doutorado em Educação (PPGE/Univali). Doutora em Educação (UFRGS). Pós-Doutorado em Transições Acadêmicas e Laborais (UB) – Espanha.

Alexandre Vanzuita, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense (IFC), Camboriú – SC – Brasil

Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico e do quadro permanente do Programa de Mestrado Acadêmico em Educação (PPGE/IFC). Doutorado em Educação (PPGE/UNIVALI).

Referências

ALVES, N. Juventudes e inserção profissional. Biblioteca Nacional de Portugal, 2018.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2007.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

BENDASSOLLI, P. F. Trabalho e identidade em tempos sombrios: insegurança ontológica na experiência atual com o trabalho. Aparecida, SP: Ideias e Letras, 2007.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL, V. et al. Orientação profissional e planejamento de carreira para universitários. Cadernos Acadêmicos, Palhoça, v. 4, n. 1, p. 117-131, fev./jul. 2012.

CARRANO, P. C. R. Estudantes Universitários: acesso, formação, experiências e inserção profissional. In: SPOSITO, M. P.(coord.). O Estado da Arte sobre juventude na pós-graduação brasileira: Educação, Ciências Sociais e Serviço Social (1999-2006). São Paulo: 2009. Disponível em: http://www.emdialogo.uff.br/sites/default/files/EstadoArte-Vol-1-LivroVirtual_0.pdf. Acesso em: 13 fev. 2020.

CORROCHANO, M. C.; NAKANO, M. Jovens, mundo do trabalho e escola. In: SPOSITO, M. P. (coord.). Juventude e Escolarização. Brasília -DF: INEP, 2002. p. 95-134.

DEL PRETTE, Z.; DEL PRETTE, A. No contexto da travessia para o ambiente de trabalho: treinamento de habilidades sociais com universitários. Estudos de Psicologia, v. 8, n. 3, p. 413-420, 2003.

DEMO, P. Educar pela pesquisa. 7. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

DIAS, M. S. D. L. Capítulo I. Pensando os sentidos do trabalho. In: DIAS, M. S. D. L. Sentidos do trabalho e sua relação com o projeto de vida de Universitários. 2009. Tese (Doutorado) – Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2009.

FIGUERA GAZO, M. P.; RAITZ, T. R.; LLANES, J. Os sentidos da formação acadêmica e do trabalho para estudantes de mestrados no Brasil e na Espanha. ETD: Educação Temática Digital, v. 15, n. 3, p. 612-613, 2012.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. Brasília, 5. ed. Campinas, SP: Ed. Autores Associados, 2018.

GARCIA. C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto, 1999.

GROPPO, L. A. Juventude: ensaios sobre a sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: DIFEL, 2000.

KUENZER, A. Z.; CALDAS, A. Trabalho docente: comprometimento e desistência. In: FIDALGO, F.; OLIVEIRA, M. A. M.; ROCHA FIDALGO, N. L. (org.). A intensificação do trabalho docente: tecnologias e produtividade. Campinas, SP: Papirus, 2009.

LUNA, Ì. N. Empreendedorismo e orientação profissional no contexto das transformações do mundo do trabalho. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 13, n. 1, p. 111-116, jan./jun. 2012.

MATEO, J. Los nuevos retos de la Educación Superior: los estúdios de posgrado. Educación Siglo XXI, v. 23, p. 69-88, 2005.

MELO, S. L.; BORGES, L. O. A transição da universidade ao mercado de trabalho na ótica do Jovem. Revista Psicologia, Ciência e Profissão, v. 27, n. 3, p. 376-395, 2007.

MELUCCI, A. O jogo do eu: a mudança de si em uma sociedade global. São Leopoldo, RS: Unisinos, 2004.

MICHAVILA, F. Bolonia en crisis. Revista de Docência Universitária, v. 9, p. 15-27, 2011.

OLIVEIRA, N. Mestrado acadêmico em enfermagem: interfaces de sua criação na perspectiva ecossistêmica. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, 73-81, 2005.

PAIS, J. M. Ganchos, tachos e biscates: jovens, trabalho e futuro. Porto: Ambar, 2005.

POCHMANN, M. Emprego e Desemprego Juvenil no Brasil: As transformações nos anos 90. In: Desemprego Juvenil no Brasil: em busca de opções à luz de algumas experiências internacionais. Organização Internacional do Trabalho. 2. ed. Brasília: OIT, 2001.

RIZATTI, Daniela B. et al. Transição de Carreira em Adultos Brasileiros: um Levantamento da Literatura Científica. Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 11, n. 1, p. 153-173, 2018.

RODRÍGUEZ-MORENO, L. et al. De los estudios universitarios al mundo del trabajo: la construcción del proyecto profesional. Barcelona: Universitat de Barcelona, 2008.

SANTOS, B. de S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almeida S.A., 2020. Disponível em: http://www.cesteh.ensp.fiocruz.br/sites/default/files/livro_boaventura_-_a_pedagogia_do_virus.pdf.pdf.pdf.pdf. Acesso em: 08, ago. 2020.

SANTOS, M. M. dos.; LUNA, I. N.; BARDAGI. M. P. O desafio da orientação profissional com adolescentes no contexto da modernidade líquida. Revistas de Ciências Humanas, v. 48, n. 2, p. 263-281, jul./dez. 2014.

SILVA, T. C.; BARDAGI, M. P. O aluno de pós-graduação stricto sensu no Brasil: revisão da literatura dos últimos 20 anos. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 12, n. 29, p. 683-714, jun. 2016.

SOARES, S. R.; CUNHA, M. I. Formação do professor: a docência universitária em busca de legitimidade. Salvador: EDUFBA, 2010.

SOUSA, C. M. de. Os sentidos da formação e do trabalho: inserção profissional e a carreira docente em foco. 2019. 131 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, SC, 2019.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

VALÉRIO, C.; SOUZA, N. S. Atratividade da carreira docente no curso de pedagogia: dilemas, escolhas e inserção profissional. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 24., 2012, Rio Claro. Anais [...]. Rio Claro, SP: UNESP, 2012.

VANZUITA, A. Os impactos da escolha, formação inicial e inserção profissional na construção de identidade(s) profissional(is) em educação física. Curitiba, PR: Editora CRV, 2021.

Publicado

02/01/2022

Como Citar

TIBOLA, N. G.; RAITZ, T. R.; VANZUITA, A. . Impacto do processo formativo na trajetória laboral de jovens mestrandos(as): Necessidades de orientação educativa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. 1, p. 0463–0483, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17i1.14539. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14539. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos