Universidade: autonomia, diversidade e inclusão

Luiz Andrade

Resumo


O principal objetivo deste ensaio é articular três temas inerentes à universidade: autonomia, diversidade e inclusão. A universidade, enquanto instituição autônoma, mas não soberana, possui propriedades emergentes advindas dos nós conversacionais entre os membros que a integram. Tendo em vista que estas redes de conversações são multidimensionais, diversas e inclusivas, a universidade, entendida como processualidade instituinte e não como realidade instituída, pode sempre gerar novas abordagens, novas formações profissionais, novas intervenções inter e transdisciplinares e, sobretudo, novos sujeitos históricos. É essa especificidade da eficiência universitária que justifica todo nosso esforço em preservar isso que se apresenta como a sua condição de sobrevivência e potencialidade: sua autonomia.

Palavras-chave


Universidade; Autonomia; Diversidade; Inclusão.

Texto completo:

PDF/A PDF/A (English)

Referências


ABBAGNAMO, N. (2007) Dicionário de filosofia. 5ª ed. São Paulo: Martins Fontes.

ANDRADE, L. A. B; LONGO, W. P.; PASSOS, E. (2000) Autonomia como um modelo explicativo da ontologia da universidade. Revista Universidade e Sociedade, n. 21, p. 73-84, Distrito Federal.

ANDRADE, L.A.B.; SILVA, E.P.; LONGO, W. P. & PASSOS, E. (2002) Coderiva: uma historia de congruência entre universidade e sociedade. Movimento. Revista da Faculdade de Educação da UFF, Niterói, v.6, p. 58-89.

ANDRADE, L.A.B.; SILVA, E.P.; LONGO, W. P. & PASSOS, E. (2002) A utopia da poieis universitária. Revista Educação Brasileira, vol. 24, números 48 e 49, págs. 61-78, Distrito Federal.

ANDRADE, L.A.B. & SILVA, E.P. (2001) Universidade e sua relação com o outro: um conceito para extensão universitária. Educação Brasileira, v. 23, n. 47, p.65-79, Distrito Federal.

ANDRADE, L.A.B. & SILVA, E. P. (2005). Dialética, diálogo e conversa: consonâncias e dissonâncias epistemológicas entre Freire e Maturana. Revista Educação Brasileira, 55, V.27, p.51-77, Distrito Federal.

BRITO, L. F. (1995) Por uma gramática de língua de sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

DILL, D. & VUGHT, F. (2010). Introduction. In: DILL, D. &. VUGH, F. (Eds.) National Innovation and the Academic Research Enterprise. Baltimore, MD: John Hopkins University Press.

DINIZ, C. N. & RANGEL, A. V. (2018) Acessibilidade arquitetônica em biblioteca escolar: algumas recomendações para adaptações. P. 279-293. In: Caminhos da Educação - Percorrer juntos novas trilhas pedagógicas e encontrar novos caminhos da educação. DICKMANN, I. (Org.) Volume I, São Paulo, Editora Diálogo Freiriano.

DINIZ, C. N.; ASSIS, J. B.; ALVES, L. D. (2018) Perspectivas da acessibilidade e inclusão de pessoa com deficiência nas universidades federais brasileiras da ótica de seus sítios e bibliotecas In: DNA Educação, v.2, 1 ed. São Paulo: Dialogar, p. 97-120.

FALLIS, G. (2007). Multiversities, Ideas, and Democracy. Toronto, ON: University of Toronto Press.

FIORI, J. L. (1995) Em busca do dissenso perdido. Ensaios críticos sobre a festejada crise do estado. Rio de janeiro, Insight.

GALVÃO, T. A. F. & DAMASCENO, L. L. (2002). Educação especial e novas tecnologias: o aluno construindo sua autonomia. Brasília, DF: PROINFO, MEC.

GREENWALD, A. G, KRIEGER, L. H. (2006) Implicit Bias: Scientific Foundations. 94 Cal. L. Rev. 945. Disponível em: http://dx.doi.org/https://doi.org/10.15779/Z38GH7F

KERR, C. (2001). The Uses of the University, Fifth Edition. Cambridge, MA: Harvard University Press.

MATURANA, H. (1997) A ontologia da realidade. Editora UFMG, Belo Horizonte.

MATURANA, H. (2001) Cognição, ciência e vida cotidiana. Editora UFMG, Belo Horizonte.

MANZINI, E. J. & DELIBERATO, D. (2007) Portal de ajudas técnicas para educação: equipamento e material pedagógico especial para educação, capacitação e recreação da pessoa com deficiência física: recursos pedagógicos adaptados II/ Secretaria de Educação Especial – Brasília: ABPEE – MEC: SEESP.

MASI, D. D. (2002a) Criatividade e grupos criativos. Volume 1 – Descoberta e Invenção. 464p. Editora Sextante, Rio de Janeiro.

MASI, D. D. (2002b) Criatividade e grupos criativos. Volume 2 – Fantasia e Concretude. 310p. Editora Sextante, Rio de Janeiro.

MERLEAU-PONTY, M. (2014). O visível e o invisível (Tradução de Artur Gianotti e Armando Mora d’Oliveira) São Paulo, 4a Edição, Perspectiva, 271p.

MOTA-SANTOS, T. A. (1998) Discurso proferido na transmissão de cargo de Reitor da UFMG ao Prof. Francisco César de Sá Barreto. UFMG.

NEWMAN, J. H. (1996). The Idea of a University (edited by F.M. Turner). New Haven, CT: Yale University Press.

PENA, S. D. (2007) À flor da pele: reflexões de um geneticista, Vieira & Lent. Rio de Janeiro.

RENAUT, A (1995). Les révolutions de l’univeristité: Essai sur la modernisation de la culture, Paris, Calmann-Lévy.

SANTOS, B. S. (1999) Da ideia de universidade à universidade de ideias. In: Pela mão de Alice – o social e o político na pós-modernidade. São Paulo, Cortez.

SANTOS, B. S. (2002) A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. Vol. 1. 4ª ed. Cortez, São Paulo.

SANTOS, B. S. (2003) Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitanismo multicultural. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.

SANTOS, B. S (2019) O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do sul. Autêntica Editora, Belo Horizonte.

SKLIAR, C. A (1998) Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre, Porto Alegre: Mediação.

SKLIAR, C. A. (2003) A educação e a pergunta pelos Outros; diferença, alteridade, diversidade e os outros “outros”. Ponto de Vista, Florianópolis, n.05, p. 37-49.

SCHWARTMAN, S. (2006) Inclusão Social na Universidade: uma questão pertinente? Texto apresentado no Simpósio Universidade e Inclusão Social – Experiência e Imaginação, Universidade Federal de Minas Gerais. Disponível em: http://www.schwartzman.org.br/simon/nclusao_ufmg.pdf

STAATS, C.; CAPATOSTO, K.; WRIGH, R. A. & CONTRACTOR, D. (2015) State of the Science: Implicit Bias Review. Kirwan Institute for the study of race and ethnicity.

TAKAHASHI, R. (2015) Proposta de Formação Transversal: Saberes Tradicionais, UFMG, Belo Horizonte, disponível em: https://www.ufmg.br/online/arquivos/036863.shtml

VARELA, F. (1989) Autonomie et connaissance. Paris, Seuil.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp2.13830



Direitos autorais 2020 Luiz Andrade

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.